Ativistas do Femen roubam a cena na festa da Independência

As duas integrantes do grupo feminista Femen presas em Brasília nesta sexta-feira, após invadirem o desfile militar de 7 de Setembro realizado na Esplanada dos Ministérios, com os seios nus, foram liberadas logo após chegar à Delegacia de Repressão a Pequenas Infrações. O protesto aconteceu por volta das 10h30 entre os ministérios do Exército e da Fazenda. As ativistas foram identificadas como Sara Winter e Júlia Kaus.

Homens da Polícia Militar, presentes ao local em que ocorreu a invasão da pista, disseram que as duas integrantes do grupo Femen pularam o gradeado que isolava o público apenas de short.

– Foi tudo muito rápido. Por aqui os protestos são normais – disse Fabiana Rodrigues, moradora de Brasília que estava com a família próximo ao local do incidente.

As ativistas protestaram em favor da emancipação da mulher brasileira. Para o Femen, o Brasil ainda é uma “colônia de exploração”, sob a ótica feminista.

Fonte: Correio do Brasil

+ sobre o tema

Fabiana Cozza desiste de interpretar Dona Ivone Lara nos palcos

Do Facebook  Fabiana Cozza dos Santos, brasileira Nascimento: 16 de janeiro...

Mel Duarte representa literatura brasileira em festival de Angola

Poeta participa de sarau e bate-papo sobre literatura lusófona...

Empresas devem tornar ambiente mais inclusivo para pessoas LGBTQIA+

Ainda existe discriminação muito forte contra pessoas LGBTQIA+ no...

Norueguesa é condenada à prisão por denunciar estupro em Dubai

Marte Deborah Dalelv foi condenada a 16 meses de...

para lembrar

Grupo NEGRAS da UFRB lança a segunda edição do Caderno Sisterhood

O Núcleo de Estudos e Pesquisas em Gênero, Raça...

Dafiti coloca à venda uma camiseta que cita “mulher burra” como exemplo de pleonasmo

A loja online Dafiti está enfrentando uma avalanche de críticas de...

“Se você gostar de mulher, eu te mato”

Adolescentes que sofrem preconceito em casa e na escola...

Veja perguntas e respostas sobre o julgamento da união gay pelo STF

Supremo reconheceu a união estável entre casais do mesmo...
spot_imgspot_img

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...

Justiça brasileira não contabiliza casos de homotransfobia, cinco anos após criminalização

O STF (Supremo Tribunal Federal) criminalizou a homotransfobia há cinco anos, enquadrando o delito na lei do racismo —com pena de 2 a 5 anos de reclusão— até que...

Maria da Conceição Tavares: quem foi a economista e professora que morreu aos 94 anos

Uma das mais importantes economistas do Brasil, Maria da Conceição Tavares morreu aos 94 anos, neste sábado (8), em Nova Friburgo, na região serrana do Rio...
-+=