Ator Alan Miranda fará campanha nas redes sociais com a filha contra preconceito

A filha do ator, Eloá Miranda, 10 anos, foi vítima de injúria racial na escola onde estuda na última quarta-feira (4)

Por Diogo Costa Do Correio24Horas

Após denunciar nas redes sociais o caso de injúria racial sofrido pela filha de 10 anos na escola, o humorista Alan Miranda irá criar uma campanha nas redes sociais para discutir o tema. Batizada de “Leãozinho na Escola”, a iniciativa, segundo o ator, terá o objetivo de estimular que outros pais postem fotos de seus filhos que também possuem cabelos crespos utilizando uma hashtag com o nome da campanha.

“A gente entende que esse é um momento difícil, mas também é um momento de a gente mostrar representatividade. Nós recebemos o apoio de muita gente nas redes sociais. Temos percebido como esse evento mobilizou as pessoas. A abordagem contra o preconceito tem sido positiva. Iremos fazer algumas fotos com a Eloá (Miranda) para começar a campanha”, disse.

Na quarta-feira (4), durante recreio na escola privada onde estuda, Eloá Miranda, filha do humorista, foi questionada por um dos colegas da turma se ela não usava shampoo no cabelo. Eloá tem cabelos crespos e, segundo Miranda, é a única a usar black power na escola.

“Quando fui buscá-la na escola, ela estava sentada no canto da sala, chorando. Perguntei o que aconteceu, mas ela não quis falar. Quando chegamos em casa, ela contou para a mãe e depois as duas falaram comigo”, contou o ator.

13124475_681651041974477_7237742073635251731_n

Hoje, minha filha chegou chorando da escola. Um colega de sala perguntou se ela usa shampoo no cabelo, de forma pejorativa. Não é a primeira vez. A luta é grande, nessa Roma negra, onde 81% das pessoas têm o cabelo igual ao dela, mas ainda são ridicularizadas por serem o que são. E entre elas mesmas. Uma crise de representatividade secular que repercute no horário de recreio de minha rebenta e de tantas outras crianças. Alguém pode me dizer o que há de errado nessa mistura,

See More

RTEmagicC_e654c5eea4.jpgAlan integra o Mais Um Filmes, portal do Youtube

Ainda de acordo com Miranda, a escola se posicionou sobre o caso de forma positiva.

“A gente entende que o que aconteceu foi algo isolado, longe das professoras. Nós também temos consciência de que a criança que falou aquilo apenas reproduziu um discurso que é da própria sociedade. As pessoas ainda são muito intolerantes. A escola nos disse que irá reforçar debates sobre essa questão com os alunos”, disse.

Após denunciar o caso, a titular da Secretaria Municipal de Reparação Social, secretária Ivete Sacramento, entrou em contato agendando uma reunião com o humorista nesta sexta-feira para falar sobre o caso. A reunião, no entanto, foi remarcada a pedidos do ator para a próxima quarta-feira, às 14h.

Além da campanha nas redes sociais, Eloá e o pai planejam um canal no You Tube onde a garota será a protagonista. “Ela pediu para ter um canal onde tratará sobre essas questões. Inicialmente, tinha pensado em ser algo mostrando a relação dela com os pais, mas acho importante que uma criança que tem o cabelo crespo mostre a relação dela com o mundo”, concluiu o artista.

+ sobre o tema

Show de Ludmilla no Coachella tem anúncio de Beyoncé e beijo em Brunna Gonçalves; veja como foi

Os fãs de Ludmilla já estavam em polvorosa nas redes sociais...

Geledés faz em Santiago evento paralelo para discutir enfrentamento ao racismo nos ODS

Geledés - Instituto da Mulher Negra realiza, de forma...

Ela me largou

Dia de feira. Feita a pesquisa simbólica de preços,...

As mulheres que se rebelam contra venda de meninas para casamentos no México

Inicialmente, Claudia* não havia pedido dinheiro em troca da...

para lembrar

Carta de repúdio ao racismo praticado na formatura de História e Geografia da PUC

Durante a tradicional cerimônia de formatura da PUC, onde...

PARANÁ: Caso de racismo leva treinador a pedir demissão no estadual

  O treinador Agenor Picinin pediu demissão do...

‘Prefiro que a loira me atenda’, diz cliente a atendente negra em restaurante

Após ser atendida pela funcionária branca e de cabelos...
spot_imgspot_img

Quanto custa a dignidade humana de vítimas em casos de racismo?

Quanto custa a dignidade de uma pessoa? E se essa pessoa for uma mulher jovem? E se for uma mulher idosa com 85 anos...

Unicamp abre grupo de trabalho para criar serviço de acolher e tratar sobre denúncias de racismo

A Unicamp abriu um grupo de trabalho que será responsável por criar um serviço para acolher e fazer tratativas institucionais sobre denúncias de racismo. A equipe...

Peraí, meu rei! Antirracismo também tem limite.

Vídeos de um comediante branco que fortalecem o desvalor humano e o achincalhamento da dignidade de pessoas historicamente discriminadas, violentadas e mortas, foram suspensos...
-+=