Atores sul-africanos são vetados de filme sobre Mandela por baixa estatura

Nelson Mandela já foi interpretado no cinema por astros da estatura de Morgan Freeman, Danny Glover ou Sidney Poitier, entre outros. Nenhum deles, porém, nasceu na África do Sul. Agora, o caso se repetiu com a escolha do britânico Idris Elba para o papel principal em uma nova cinebiografia do líder político, “Long walk to freedom”. Os atores locais, como era de se esperar, não gostaram nada da escolha, justificada pela agência responsável pelo elenco de maneira inusitada: eles não têm altura suficiente para interpretar o herói sul-africano.

“Mandela é uma figura majestosa e grande em todos os sentidos: tem 1,93m de altura. Os atores da África do Sul não chegam a esta estatura”, afirmou o agente Moonyeenn Lee, para explicar a escolha do britânico Idris Elba – conhecido por papeis em séries de TV como “The wire” e “Luther”.

“Realizei testes na África do Sul e, na audição, conheci alguns atores extraordinários”, revelou Lee para o jornal “Sunday newspaper city press”. “Mas o problema maior era a altura dos atores. Em média, os sul-africanos não têm o tamanho necessário. Além disso, faltam artistas experientes, uma consequência do apartheid”, acrescentou.

“Os jovens atores, hoje, tem a chance de estudar e ir trabalhar no mercado internacional. Os mais velhos, porém, que cresceram durante o regime de segregação social, tiveram de lidar com o boicote cultural, com poucos papeis na televisão e quase nenhum em filmes. Não existe um número considerável de profissionais que possibilitasse uma escolha”.

As alegações de Lee foram rebatidas pelo “Creative workers union of south africa”. O presidente da instituição, Mabutho “Kid” Sithole, desabafou ao “City press”: “Nós não estamos impressionados. Então, ninguém possui a altura suficiente? Existe sempre uma razão que justifica o uso de atores não-africanos para contarem as nossas histórias. Na verdade, eles usam as estrelas internacionais por razões comerciais.”

“Entretanto, os atores sul-africanos são bons o suficiente para outros papeis. Nós vemos isso acontecer vez após vez. Amanhã eles irão fazer um filme sobre Walter Sisulu (famoso ativista anti-apartheid) e o que vai acontecer? Ninguém será baixo o suficiente?”, continuou. “Como esse ator estrangeiro irá pronunciar “Qunu”, local onde Mandela nasceu, ou ” Rolihlahla”, seu verdadeiro nome?

Para Sello Maake Ka-Ncube, ator sul-africano que ganhou um prêmio regional de teatro por interpretar Mandela (ele tem 1,80m de altura), disse que “a beleza está nos olhos dos espectadores. Não acho que somos muito baixos para qualquer coisa. Mesmo assim, eu respeito a visão do diretor”.

O elenco completo do filme está prestes a ser divulgado pelos produtores. Lee informou ainda que quase todos os outros papeis, inclusive o de Mandela na juventude, poderão ser interpretados por atores locais.

Outro projeto de filme, Winnie, provocou controvérsia por escalar os “hollywoodianos” Terrence Howard e Jenifer Hudson como Nelson e Winnie Mandela. Morgan Freeman, que interpretou o ex-presidente em “Invictus” (2009) também foi criticado.

Fonte: Yahoo

+ sobre o tema

“Papáveis” africanos disputam para suceder Bento XVI

Bento XVI apresentará sua renúncia oficial ao Pontificado...

Descolonização continua a ter «sentido negativo» para muitos portugueses

Quase quatro décadas depois, a palavra descolonização continua...

Europa caminha para o estado de mal-estar social

Tese é do sociólogo Boaventura Sousa Santos; ele...

Conflitos africanos são alimentados pelo Ocidente

O presidente do Zimbabwe, Robert Mugabe, acusou os...

para lembrar

Festival da Mulher Afro Latino Americana e Caribenha 2010

LATINIDADES - FESTIVAL DA MULHER AFRO LATINO AMERICANA E...

Kinpa vita: Cimarrona Angola

Por Jesùs Chucho Garcia. Con su fuerza espiritual,...

Vencedora de Prêmio Casa a favor de políticas contra o racismo

A cubana Zuleica Romay, Prêmio Extraordinário de Estudos sobre...
spot_imgspot_img

Um Silva do Brasil e das Áfricas: Alberto da Costa e Silva

Durante muito tempo o continente africano foi visto como um vasto território sem história, aquela com H maiúsculo. Ninguém menos do que Hegel afirmou, ainda no...

Artista afro-cubana recria arte Renascentista com negros como figuras principais

Consideremos as famosas pinturas “A Criação de Adão” de Michelangelo, “O Nascimento de Vênus” de Sandro Botticelli ou “A Última Ceia” de Leonardo da Vinci. Quando...

Com verba cortada, universidades federais não pagarão neste mês bolsas e auxílio que sustenta alunos pobres

Diferentes universidades federais têm anunciado nos últimos dias que, após os cortes realizados pelo governo federal na última sexta-feira, não terão dinheiro para pagar...
-+=