Atrizes negras dominam premiação do 48º Festival de Cinema de Gramado

Enviado por / FonteMulher no Cinema

A atriz portuguesa Isabél Zuaa ganhou dois prêmios de melhor atriz: na mostra de longas, por Um Animal Amarelo; na de curtas gaúchos, por Deserto Estrangeiro. As outras atrizes premiadas na competição nacional de longas foram Alaíde Costa, escolhida melhor coadjuvante por Todos os Mortos; e Elisa Lucinda, que recebeu o prêmio especial do júri pelo filme Por que Você Não Chora?. Destaque, também, para Luciana Souza, que ganhou como melhor atriz na mostra de curtas brasileiros por Inabitável.

Neste ano, três filmes dirigidos por mulheres estavam entre os sete longas-metragens na competição brasileira de Gramado: a ficção Por que Você Não Chora?, de Cibele Amaral, e os documentários Me Chama que Eu Vou, de Joana Mariani, e O Samba É Primo do Jazz, de Angela Zoé. O prêmio principal, porém, foi para King Kong en Asunción, de Camilo Cavalcanti; e o de direção, para Ruy Guerra, por Aos Pedaços.

Na competição internacional de longas, a única cineasta mulher era a uruguaia Mariana Viñoles, que ganhou o troféu de direção e o prêmio especial do júri com o documentário El Gran Viaje al País Pequeño. Ganhou, também, os troféus entregues pela crítica e pelo público.

Veja as mulheres premiadas no Festival de Gramado:

LONGAS BRASILEIROS

Melhor atriz: Isabél Zuaa, por Um Animal Amarelo
Melhor atriz coadjuvante: Alaíde Costa, por Todos os Mortos
Melhor direção de arte: Dina Salem Levy, por Um Animal Amarelo
Prêmio especial do júri: Elisa Lucinda, por Por que Você Não Chora?

LONGAS ESTRANGEIROS

Melhor direção: Mariana Viñoles, por El Gran Viaje al País Pequeño
Melhor atriz: Daylin Vega Moreno e Sheila Monterola, por La Frontera
Prêmio especial do júri: El Gran Viaje al País Pequeño
Prêmio do júri popular: El Gran Viaje al País Pequeño, de Mariana Viñoles
Prêmio da crítica: El Gran Viaje al País Pequeño, de Mariana Viñoles

LONGAS GAÚCHOS

Melhor filme: Portuñol, de Thaís Fernandes

CURTAS BRASILEIROS

Melhor atriz: Luciana Souza, por Inabitável
Melhor fotografia: Valentina Ricardo, por O Barco e o Rio
Melhor montagem: Ana Júlia Travia, por Você Tem Olhos Tristes
Melhor desenho de som: Isadora Torres e Vinicius Prado Martins, por Receita de Caranguejo
Prêmio especial do júri: Preta Ferreira, por Receita de Caranguejo

CURTAS GAÚCHOS

Melhor atriz: Isabél Zuaa, por Deserto Estrangeiro
Melhor Fotografia: Luciana Baseggio, por Deserto Estrangeiro
Melhor Direção de Arte: Alice Sperb e Thiago Dorsch, por Sopa Noir

+ sobre o tema

Em ano eleitoral, movimento gay cobra aprovação de leis contra homofobia

No ano em que as eleições podem promover a...

Marca de make faz campanha de base com modelo que tem vitiligo

Amy Deanna é a estrela do anúncio da linha...

Exposição 1000 Mulheres pela paz ao redor do mundo

Exposição 1000 Mulheres pela paz ao redor do mundo

Presa na ditadura foi mais torturada por ser homossexual

Ex-escriturária passou oito anos sem sair de casa e...

para lembrar

Não somos nós

Pesquisa inédita do Instituto Patrícia Galvão e Data Popular...

Como ‘saiaços’ se tornaram arma para debater igualdade de gênero nas escolas

No ano passado, o professor Vitor Pelegrin, 30, participou...

Alunos suspeitos de violência sexual serão punidos, diz diretor da USP

Pamela Feitosa Silva sofreu uma tentativa de estupro em...

Por que não há uma única mulher entre os 39 atletas mais bem pagos do mundo

Às vésperas das Olimpíadas do Rio de Janeiro, a...
spot_imgspot_img

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...

Justiça brasileira não contabiliza casos de homotransfobia, cinco anos após criminalização

O STF (Supremo Tribunal Federal) criminalizou a homotransfobia há cinco anos, enquadrando o delito na lei do racismo —com pena de 2 a 5 anos de reclusão— até que...

Maria da Conceição Tavares: quem foi a economista e professora que morreu aos 94 anos

Uma das mais importantes economistas do Brasil, Maria da Conceição Tavares morreu aos 94 anos, neste sábado (8), em Nova Friburgo, na região serrana do Rio...
-+=