Barbados se despede de rainha Elizabeth e dá a Rihanna título de heroína

Enviado por / FonteUOL

Rihanna foi nomeada heroína nacional de Barbados durante uma cerimônia que marcou o rompimento da ilha do Caribe com a monarquia britânica após cerca de 400 anos.

Barbados se tornou oficialmente uma república ontem à noite, em uma cerimônia na qual a rainha Elizabeth II deixou de ser a chefe de Estado da ilha.

A cantora e empresária foi parabenizada pela primeira-ministra Mia Mottley, que fez até uma referência à música “Diamonds” em seu discurso.

Que você continue a brilhar como um diamante e honrar sua nação por meio de seus trabalhos, de suas ações. 

DISSE MOTTLEY

Rihanna nasceu em Saint Michael, em Barbados, e cresceu na cidade de Bridgetown antes de se mudar para os Estados Unidos. Com o evento realizado ontem também em Bridgetown, o país se tornou uma república.

A cerimônia ocorreu na presença do príncipe Charles e marcou a posse de Sandra Mason, até então governadora-geral de Barbados, como primeira presidente na história da ilha caribenha.

“A República de Barbados zarpou para sua viagem inaugural”, declarou Mason em seu discurso de posse, reconhecendo o mundo “complexo, fraturado e turbulento” em que o país precisará navegar.

“Nossa nação precisa sonhar sonhos grandes e lutar para realizá-los”, acrescentou. A proclamação da república encerra quatro séculos de submissão ao trono britânico, incluindo mais de 200 anos de escravidão, abolida apenas em 1834.

“Desde os dias mais sombrios de nosso passado e a terrível atrocidade da escravidão, que mancha nossa história para sempre, o povo dessa ilha forjou seu caminho com extraordinária firmeza”, reconheceu Charles.

Com cerca de 280 mil habitantes, Barbados vive sobretudo do turismo, setor duramente afetado pela pandemia de covid-19 e que depende dos visitantes britânicos.

No entanto, ativistas de movimentos negros acreditam que a proclamação da república é um primeiro passo para obter reparações financeiras pelos mais de dois séculos de escravidão, período que moldou as profundas desigualdades vistas no país atualmente.

*Com informações da AFP e Ansa

+ sobre o tema

Lideranças femininas e saberes tradicionais dão força à preservação do Cerrado

Três mulheres líderes de povos indígenas e comunidades tradicionais...

74% das mulheres encarceradas são mães e cumprem pena em estrutura masculinizada

Especialistas e parlamentares criticaram em audiência na Câmara o...

Conferência estadual debate política pública para a mulher

O Conselho Estadual da Condição Feminina promove nos dias...

para lembrar

A violência sexual precisa ser contextualizada

Na última terça-feira, fui convidada para uma exibição gratuita...

Senado conclui votação de projeto que regulamenta PEC das Domésticas

Senadores mantiveram contribuição de 8% do empregador ao INSS. Com...

‘Meu namorado me estuprou por um ano enquanto eu dormia’

Niamh Ní Dhomhnaill relembra como foi vítima de violência...

Presidente Lula, não precisamos de uma juíza negra no STF, precisamos de 3

Não há solução civilizatória razoável para o Brasil que...
spot_imgspot_img

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...

Justiça brasileira não contabiliza casos de homotransfobia, cinco anos após criminalização

O STF (Supremo Tribunal Federal) criminalizou a homotransfobia há cinco anos, enquadrando o delito na lei do racismo —com pena de 2 a 5 anos de reclusão— até que...

Maria da Conceição Tavares: quem foi a economista e professora que morreu aos 94 anos

Uma das mais importantes economistas do Brasil, Maria da Conceição Tavares morreu aos 94 anos, neste sábado (8), em Nova Friburgo, na região serrana do Rio...
-+=