‘BBB17’: racismo e intolerância contra Gabi Flor marca início de nova temporada

A baiana Gabi Flor já foi chamada de ‘macumbeira’ e sofreu comentário racista sobre seu cabelo.

Foto: Artur Meninea/Gshow

Por Mfeitosa Do BlastingNews

A nova temporada do Big Brother Brasil mal começou e já aconteceu o primeiro caso de racismo e intolerância religiosa. A sister Gabi Flor, que é baiana, foi vítima de comentários maldosos vindos de Antônio e Mayara.

Mayara já mostrou interesse de indicar a bailarina para o paredão e já disse que se ela disser algo, será aconselhada a alisar o seu cabelo crespo. Pouco antes, Antônio falou que a moça ‘deve ser macumbeira’, pelo fato de ela ser baiana e negra.

Nas redes sociais, os comentários foram quase unânimes contra as demonstrações de racismo. Os internautas se mostraram indignados com os comentários feitos pelos brothers: ‘Vai ter muito black sim’, disse uma internauta sobre o estilo do cabelo da moça.

‘Ela precisa ter vergonha na cara’, disse um dos comentaristas sobre Mayara e seu comentário maldoso. Na apresentação dela na edição de ontem (24) do programa, Mayara disse ter sofrido bullying, e isto foi um dos assuntos comentados no Twitter: ‘Ela disse ter sofrido bullying mas está atacando a Gabi’, disse uma internauta.

Crime

Por mais que tenha sido um comentário fora de contexto, as palavras de Antônio e Mayara podem ser categorizadas como crime, uma vez que a não aceitação do visual da moça e de sua possível religião foram estopim para tais comentários. Os ‘brothers’ podem ser punidos por isto.

Recentemente, a atriz Taís Araújo, a jornalista Maria Júlia Coutinho e os cantores Preta Gil e Tiaguinho também foram vítimas públicas de racismo nas redes sociais.

Estrela internacional, a atriz e comediante Leslie Jones condenou as ofensas recebidas por ela na internet. Na época, ela chamou o racismo de ‘causa doentia’.

O último caso que foi manchete sobre racismo foi o da cantora Ludmilla. A dona do sucesso Sou Eu foi chamada pelo apresentador do Balanço Geral do DF de ‘pobre e macaca’. Ela processou o jornalista, que foi demitido da Record TV.

Lei

Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional. Art. 1º da lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989.

Pena: reclusão de um a três anos.

+ sobre o tema

Feminismo asiático: mulheres amarelas lutam contra a erotização e o racismo 

"O feminismo asiático se tornou um espaço de identificação...

Caso Extra: Sessão de ameaças durou 10 minutos

  S. Paulo - No quartinho em que T. ficou...

Mulheres negras são o principal alvo de discurso de ódio na internet

Estudo de universidade inglesa conclui que maior parte dos...

para lembrar

Futebol brasileiro já tem 14 denúncias de racismo em 2019

Dados de observatório mostram que caso na Arena do...

Sheriff americano antiimigrante perde força

Fonte:Jornal A Hora Online - Acusado de racismo, Joe...

Relatório aponta ‘níveis alarmantes’ de ataques racistas na Grécia

Relatório aponta "níveis alarmantes" de ataques racistas na...
spot_imgspot_img

Fifa apresenta pacote de medidas contra o racismo no esporte

A Federação Internacional de Futebol apresentou um pacote de medidas contra o racismo no esporte. O mundo do futebol está reunido em Bangkok, na Tailândia, onde...

Tragédia no Sul é ambiental, mas sobretudo política

Até onde a vista alcança, o Rio Grande do Sul é dor, destruição. E vontade de recomeçar. A tragédia socioclimática que engolfou o estado, além da...

Para os filhos que ficam

Os seus pais vão morrer. É ainda mais difícil se dar conta disso depois de um Dia das Mães, como foi o último domingo....
-+=