Guest Post »

Bia Ferreira mostra sua negritude em show no Sesc Rio Preto

Compositora de São Paulo se apresenta nesta terça-feira, às 21h30

Por Francine Moreno, do  Diário da Região

Bia mostra sua negritude musical performática em gesto, fala, som e cordas

O Dia da Consciência Negra será comemorado na próxima segunda-feira, dia 20 de novembro. No entanto, durante o mês, o Sesc Rio Preto continua a abrigar uma programação diversificada dedicada a celebração da cultura afrodescendente e de matriz africana. O especial Negrura que, em especial, debate a representatividade do negro no mundo da arte, promove diferentes ações culturais e gratuitas nesta terça-feira, 14, na unidade local.

Um dos destaques da programação é o show da cantora Bia Ferreira. Compositora de São Paulo, ela desembarca em Rio Preto com um trabalho autoral. Artista do ghetto, como ela se define em suas redes sociais, Bia surge com originalidade na contramão de um cenário em que a repetição de fórmulas, vulgarização da sexualidade, segmentação de mercado e falta de raízes que ditam as regras no perfil da música brasileira.

O show de Bia é realizado em parceria com o 7º Festival Percussivo – Conexão Preta. A apresentação está marcada para às 21h30, na comedoria no Sesc. O público pode esperar, segundo ela, uma apresentação em que se vê negritude musical performática em gesto, fala, som e cordas. Ele se autointiula como uma brasileira sem clichê, moderna sem forçar a barra, batuqueira natural, de musicalidade profunda, suavidade jazzística e devota suprema do balanço.

Um pouco antes do show de Bia, às 19h, o público poderá participar de uma vivência de jongo, que é uma dança brasileira de origem africana, praticada ao som de tambores e essencialmente rural que influenciou na formação do samba carioca. Segundo os jongueiros, o jongo é o avô do samba. A atividade será ministrada por Taissol Ziggy, percussionista das comunidades de Jongo de Embu das Artes e Jongo de Piquete. A ação acontece também em parceria com o Festival Percussivo.

Na sequência, às 19h30, está agendado um encontro entre os saraus rio-pretenses Abrasa e das Pretas, que receberão o Sarau Preto, de Ribeirão Preto, e Sarau da Ponte pra Cá, de São Paulo. Ação tem o objetivo de unir temáticas comuns como a luta pela resistência e reflexão sobre o papel do negro na sociedade. Está programado ainda o lançamento do livro Troca, de Thata Alves. O encontro também integra o Festival Percussivo – Conexão Preta.

O especial Negrura continua até o dia 3 de dezembro em Rio Preto. Neste domingo, 19, às 15h, na área de convivência do Sesc, por exemplo, está agendado o evento Contando e Encantando com a África, que será coordenado pelo ator João Acaiabe, conhecido por interpretar o Tio Barnabé, na série Sítio do Picapau Amarelo, e o cozinheiro Chico, em Chiquititas. Ele propõe alcançar os mais fantásticos mundos através do imaginário. Nesta contação de histórias, os contos e lendas africanos são apresentados às crianças.

Região

Em Catanduva, a cultura afrodescendente também pauta a programação do Sesc. Será encenado nesta terça-feira, 14, às 20h, no ginásio de eventos, o espetáculo de dança Encontro Atlântico, com a Cia. Ballet Afro Koteban. O espetáculo é resultado do trabalho de pesquisa e uma produção coletiva do elenco formado por artistas africanos da Guiné e da diáspora africana no Brasil. É uma metáfora do encontro de irmandade com a mediação do Atlântico.

A performance de multilinguagens, como música, dança, canto e poesia, propõe, a partir do diálogo entre elas, uma reflexão da atualidade de nossa ancestralidade africana e a presença de nossos irmãos africanos na condição de refúgio no Brasil. Após a sessão do espetáculo, está programado um bate-papo sobre a condição de refúgio no Brasil após a apresentação. O evento faz parte da programação da Mostra Ubuntu – A África em Nós. A entrada é gratuita.

Related posts