Câmara aprova projeto que agiliza divórcio

Fonte: Folha de São Paulo

 

Foto: Yuri Arcurs—Getty Images/Tetra images RF

A Câmara dos Deputados aprovou ontem, com 374 favoráveis e 15 contrários, proposta de emenda constitucional que acaba com a figura da separação judicial, facilitando o divórcio de casais. O prazo de dois anos da separação de fato de um casal, hoje previsto como uma possibilidade para se fazer o divórcio direto, sem separação formal anterior, também sai do texto constitucional.

O projeto, apresentado em nome do IBDFAM (Instituto Brasileiro de Direito da Família), precisa passar por outra votação na Câmara e mais duas no Senado antes de ser promulgado e entrar em vigor.

Atualmente, há duas maneiras de se conseguir o divórcio. Depois de um ano da data da sentença da separação judicial ou após dois anos da separação de fato (com a saída de uma das partes de casa, por exemplo). Com o projeto, o casal poderia conseguir o divórcio, na teoria, no dia seguinte da separação.

Para Marcos Quezado, 46, a existência de um divórcio sem separação evitaria sofrimento, inclusive para os filhos. Separado de fato há um ano, Quezado conseguiu há três dias a separação judicial, mas precisa esperar um ano para dissolver o casamento, que durou 13 anos.
“Fica como uma situação não consolidada. No meu caso, como na maioria, não tem retorno, fica uma coisa que não é. Quando há crianças pequenas elas não entendem bem.”

O autor de uma das duas propostas que deram corpo ao texto aprovado, deputado Sérgio Carneiro (PT-BA), diz que a mudança vai facilitar a vida das pessoas. “Vamos eliminar dois processos, dois honorários advocatícios e vamos economizar tempo do judiciário”, disse.
Ele alega ainda que hoje muita gente fica apenas no processo de separação, não chegando ao divórcio de fato. “Eles não querem depois de algum tempo resgatar as mesmas mágoas do passado”, explica.

Críticos da proposta dizem que a mudança vai contra a instituição familiar. “Conheço muita gente que retorna ao casamento após algum tempo. O divórcio não pode ser vulgarizado assim”, diz o deputado Miguel Martini (PHS-MG).

As regras estabelecidas pelo projeto valem para todas as hipóteses de separação, sejam litigiosas ou consensuais.
Dados do IBGE mostram que, em 2007, foram concedidos 152.291 divórcios em primeira instância no país, sendo que 69% foram diretos -sem a separação formal. As separações judiciais foram 91.743.

Matéria original: Câmara aprova projeto que agiliza divórcio

+ sobre o tema

Rede de Mulheres

A Rede de Mulheres Empreendedoras , que é tocada...

Universidade de Oxford muda regras de vestimenta por causa de transsexuais

Sob a nova regulamentação, estudantes em exames e provas...

Ações afirmativas, como a igualdade racial, são assunto de audiência de comitiva sul-africana com a SEPPIR

    A secretária Angela Nascimento apresentou as principais diretrizes políticas...

Poderoso documentário sobre assédio é exibido pela 1ª vez em Manaus

Dirigido por Amanda Kamanchek Lemos e Fernanda Frazão e...

para lembrar

Paternidade honesta, participativa e feminista

Em uma cultura voltada para o consumo e que...

MG: polícia prende taxista suspeito de estuprar 17 mulheres

A Polícia Civil de Minas Gerais prendeu na manhã...
spot_imgspot_img

Casa Sueli Carneiro abre as portas ao público e apresenta o III Festival Casa Sueli Carneiro, pela primeira vez em formato presencial

RETIRE SEU INGRESSO A Casa Sueli Carneiro, fundada em dezembro de 2020 e atuando em formato on-line desde abril de 2021, é uma entidade criada...

Aborto legal: falhas na rede de apoio penalizam meninas e mulheres

As desigualdades sociais no Brasil podem explicar a razão para que meninas e mulheres busquem apoio para o aborto legal também após 22 semanas...

Referência do feminismo negro, Patricia Hill Collins vem ao Brasil para conferência, curso e lançamento de livro

Referência do feminismo negro, a socióloga estadunidense Patricia Hill Collins participa, nesta quarta-feira (19), de um evento em Salvador, na Universidade do Estado da Bahia (Uneb)....
-+=