Cantora é vítima de racismo em restaurante: “Essa negra precisa aprender a cantar”

O caso é investigado pela 1ª DP como injúria racial e vias de fato. Suposta autora negou o crime e disse que estava longe do palco

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) investiga um suposto caso de injúria racial cometido por uma cliente do Vasto Restaurante, na Asa Sul, na noite dessa terça-feira (19/10). Uma empresária teria proferido as seguintes palavras contra Andresa Sousa Alves (foto em destaque), 34, durante uma apresentação no local: “Essa negra precisa aprender a cantar”. Além dos insultos, a autora teria agredido a artista com dois tapas no braço.

Segundo testemunhas, três mulheres aproximaram-se do palco, dentre elas a autora, para pedir uma música. Após Andresa cantar a canção solicitada, a mulher teria iniciado os insultos alegando que a profissional não sabia cantar. Ao Metrópoles, a empresária negou qualquer ato racista e disse que nem se aproximou do palco onde Andresa se apresentava. “Nem me levantei da mesa e estava de costas para a banda. Não sei nem o que dizer”, afirmou.

De acordo com o boletim de ocorrência, para evitar conflitos, a cantora disse que aprenderia a canção corretamente em outra oportunidade. No entanto, a cliente teria desferido dois fortes tapas no braço de Andresa, que seguiu ouvindo as provocações.

Em dado momento, a autora teria gritado no estabelecimento: “Essa negra não sabe cantar; vai aprender a cantar, negra”.

A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) foi acionada por um dos clientes do estabelecimento. A empresária, porém, recusou-se a acompanhar os policias até a DP. O caso é investigado pela 1ª Delegacia de Polícia, na Asa Sul, que intimará a autora a prestar depoimento. O caso foi registrado como injúria racial e vias de fato.,

O que diz o restaurante

Por meio de nota, o Vasto Restaurante lamentou o episódio. Leia na íntegra:

Em resposta ao triste episódio ocorrido ontem, o Vasto Restaurante se posiciona, por obvio, veementemente contra qualquer ato e/ou fala que endosse o crime de injuria racial. No momento do ocorrido, e durante o dia de hoje, prestamos todo apoio possível à vítima. Também nos colocamos à disposição das autoridades e das partes envolvidas para prestar os esclarecimentos necessários. Emitimos essa nota na certeza de que esse tipo de conduta deve ser reprimida sempre que presenciada“.

+ sobre o tema

UEPG anuncia fim das cotas para negros nos vestibulares da instituição

Regras de cotas para alunos da rede pública também...

“As cotas celebram os valores constitucionais”, afirma Flávia Piovesan

      Flávia Piovesan, professora-doutora da PUC-SP na área de direito...

Familiares de desaparecidos perderam a esperança de encontrar filhos com vida

  Por Paulo Eduardo Dias Do Ponte “Eu quero o corpo dele...

Gap contra o racismo: empresa responde anúncio vandalizado em Nova York

Publicidade estrelada por modelo seguidor do sikhismo é alvo...

para lembrar

Onde estão os jornalistas negros na imprensa esportiva brasileira?

por: Ricardo Riso     Um dado deve estar...

Carta ao Rei T’Challa

Querido irmão Chadwick Boseman, Diz um dito africano que, quando...

A ‘desfavelização’ e o ódio da elite às periferias perpetuam herança colonial

"Moro na Favela do Lixão há mais de 30 anos. Quando...

Silêncio de Witzel sobre morte de Ágatha é covardia política

Sempre que pode, o governador Wilson Witzel dá uma...
spot_imgspot_img

Fifa apresenta pacote de medidas contra o racismo no esporte

A Federação Internacional de Futebol apresentou um pacote de medidas contra o racismo no esporte. O mundo do futebol está reunido em Bangkok, na Tailândia, onde...

Tragédia no Sul é ambiental, mas sobretudo política

Até onde a vista alcança, o Rio Grande do Sul é dor, destruição. E vontade de recomeçar. A tragédia socioclimática que engolfou o estado, além da...

Para os filhos que ficam

Os seus pais vão morrer. É ainda mais difícil se dar conta disso depois de um Dia das Mães, como foi o último domingo....
-+=