Capacetes azuis trocam produtos por sexo no Haiti e na Libéria

Relatório da ONU afirma que essa é uma prática comum das tropas de paz

Os casos de exploração sexual por parte dos capacetes azuis das Nações Unidas continuam sendo algo sistêmico. O último relatório de supervisão interna da organização concentra-se na conduta dos soldados no Haiti (onde o Brasil tem o comando militar da missão da ONU) e na Libéria, dois dos países mais pobres do planeta e os mais afetados por esses abusos. O estudo revela que o sexo utilizado como moeda de troca é “bastante comum”, ainda que as vítimas tendam a não denunciar – o que dificulta a assistência adequada.

A ONU tem cerca de 125.000 capacetes azuis mobilizados no mundo todo, em missões de manutenção da paz em zonas de conflito ou realizando tarefas de assistência em países atingidos por desastres naturais. A prática de pagar por sexo é proibida aos capacetes azuis, pois coloca em risco a credibilidade da instituição de proteger a população civil mais vulnerável. É inclusive desaconselhada a relação pessoal com os que recebem ajuda.

O rascunho do relatório, que será divulgado em breve embora tenha sido vazado na imprensa, revela que durante o ano passado houve denúncias de 51 casos de abuso e exploração sexual em todas as missões da ONU, segundo a agência AP. São 15 a menos que no último relatório anual. Mas os pesquisadores consideram insuficiente essa redução, apesar do aumento no número de soldados mobilizados.

Continue lendo aqui 

+ sobre o tema

Nem falso, nem inócuo. Exemplar

Fonte: Estado de São Paulo - por: Roseli Fischmann*- O discurso...

Mia Couto e seu colar de miçangas incomuns

Escritor moçambicano conta que tece novos mundos substituindo eurocentrismo...

para lembrar

Relator da ONU pede que países redobrem esforços contra o racismo na Internet e mídias sociais

O relator especial da ONU sobre formas contemporâneas de...

Capacitação de mulheres é chave para desenvolvimento sustentável

Vice-secretária-geral da ONU, Asha-Rose Migiro, diz na abertura da...

Pela primeira vez, mulheres ocupam chefia de todas as comissões regionais da ONU

As comissões regionais das Nações Unidas existem há mais...
spot_imgspot_img

Documento final da CSW leva parecer de organizações negras do Brasil

Em parceria estabelecida entre Geledés - Instituto da Mulher Negra e as organizações-não-governamentais Casa Sueli Carneiro e Criola, foi-se possível alcançar um importante resultado...

Geledés e OEA juntas em Washington

Em parceria com a Missão Brasileira na Organização dos Estados Americanos (OEA) e a Missão Colombiana na OEA, Geledés – Instituto da Mulher Negra...

No Dia para Eliminação da Discriminação Racial ONU reforça importância de investir em mulheres negras

No Dia Internacional para Eliminação da Discriminação Racial, 21 de março, ONU defende investimento em mulheres negras como caminho para o progresso. A campanha "Investir...
-+=