Capão Redondo ganha centro de atendimento a mulheres vítimas de violência

Além de assistência psicológica e jurídica, novo Centro de Referência da Mulher oferece cursos, palestras, oficinas e grupos reflexivos para o empoderamento e autonomia econômica

Do Capital

As mulheres em situação de violência de gênero e doméstica da cidade de São Paulo têm, a partir desta sexta-feira (3), mais uma porta aberta para apoiá-las na superação dos problemas e caminhar rumo à autonomia e o empoderamento econômico. Após a abertura, em março, do Centro de Referência da Mulher (CRM) em São Miguel Paulista, na zona leste, chegou à vez de o Capão Redondo, na zona sul, também contar com os serviços do equipamento público. Com a inauguração, será o quinto CRM em operação na cidade.

“Os Centros de Referência são importantíssimos. Ter uma porta aberta para a mulher, sem nenhum tipo de barreira, em que ela possa contar sua história, e ter do lado de cá um profissional dedicado a isso. E só a isso. E ele vai aprendendo também com a experiência cotidiana, aprimorando seu trabalho e se tornando um ponto de referência para a mulher agredida, que nós sabemos, infelizmente, ainda há muitas em São Paulo, das quais nós queremos nos aproximar, trazendo para o bairro um equipamento que seja acolhedor. E que dê sequência ao atendimento. Não basta só receber a queixa, é preciso dar sequência efetivamente para uma etapa de emancipação daquela reclamante”, disse o prefeito Fernando Haddad.

O Centro prestará atendimento psicológico e jurídico para mulheres da região do Capão. Além disso, são oferecidos cursos, palestras, oficinas e grupos reflexivos que ajudam as mulheres a alcançar a independência econômica. O CRM ainda faz encaminhamentos para Casas Abrigo e outros serviços, caso seja necessário. O equipamento recebeu o nome de Maria de Lourdes Rodrigues, como homenagem à feminista que foi uma das fundadoras da Liga Brasileira de Lésbicas e coordenadora-geral da Diversidade da extinta Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM) do Governo Federal.

“Este Centro irá fortalecer o atendimento às mulheres em situação de violência, principalmente nesta região, que precisa muito destes serviços, onde moram mulheres que enfrentam cotidianamente várias discriminações. As mulheres do Capão Redondo e do entorno poderão vir aqui para buscar informação, orientações e serem atendidas para romper com a violência de gênero de forma efetiva”, disse a secretária municipal de Políticas para Mulheres, Denise Motta Dau.

Para oferecer melhores serviços às mulheres paulistanas, desde o início da atual gestão a Secretaria Municipal de Políticas para Mulheres reformou totalmente os CRMs Casa Brasilândia e Casa Eliane de Grammont, que receberam novos mobiliários. A Prefeitura também reformou os cinco Centros de Cidadania da Mulher (CCMs), em Itaquera, Perus, Capela do Socorro, Parelheiros e Santo Amaro. Os CCMs são espaços de empoderamento econômico e político de mulheres. No local, as mulheres em situação de violência de gênero e doméstica também podem solicitar um primeiro atendimento.

Dados da Violência
Segundo dados do “Mapa da Violência 2015: Homicídio de Mulheres no Brasil”, o país ficou em 5° lugar entre os países onde mais ocorreram feminicídios em 2013, com uma taxa de 4,8 homicídios por 100 mil mulheres. Dos 4.762 homicídios femininos ocorridos nesse período, 50,3% (2.394) foram perpetrados por um familiar direito da vítima (uma média de sete mortes por dia).

Dessas 2.394 vítimas de familiares, 1.583 foram mortas por parceiros e ex-parceiros, o que representa 33,2% do total de homicídios de mulheres registrados em 2013. Nesse universo, foram quatro mortes por dia, considerando todas as faixas etárias. O estudo também mostra que, levando-se em conta apenas mulheres acima de 18 anos, a proporção de vítimas dos parceiros e ex-parceiros sobe para 43% do total de homicídios.

Serviço
CRM Maria de Lourdes Rodrigues
Rua Luiz Fonseca Galvão, 145 – Parque Maria Helena, Capão Redondo.
Horário de Funcionamento: 08h às 17h

CRM 25 de Março
Rua 25 de Março, 205 – Centro
Fone: (11) 3106-1100
Horário de Funcionamento: 08h às 17h

CRM Casa Brasilândia
Rua Silvio Bueno Peruche, 538 – Brasilândia
Fone: (11) 3983-4294 / 3984-9816
Horário de Funcionamento: 08h às 17h

CRM Casa Eliane de Grammont
Rua Dr. Bacelar, 20 – V. Clementino
Fone: (11) 5549-9339 / 5549-0335
Horário de Funcionamento: 08h às 17h

CRM Onóris Ferreira Dias
Rua Pedro Soares de Andrade, 664 – Vila Rosana – São Miguel Paulista
Horário de Funcionamento: 08h às 17h

+ sobre o tema

Conheça a InfoPreta: Primeira e única empresa de tecnologia criada por mulheres negras e LGBTs

Uma empresa criada por mulheres negras pensada para negras...

13 mulheres negras brasileiras de destaque na política

Dados do IBGE apontam que existem, no Brasil, cerca...

Winnie Bueno criou o ‘Tinder dos Livros’ para democratizar leitura entre negros

Ela, como adianta a descrição do Twitter, conecta pessoas...

Instaurar um movimento inédito por não carregar fardos alheios

Sou bem sucedida. Eu fracassei. Instaurar um movimento inédito...

para lembrar

Mulheres do campo participam de oficinas contra violência doméstica

Aproximadamente 90 mulheres das comunidades rurais Baús, Chapada Vacaria...

Primeira negra a ganhar ouro olímpico, Alice Coachman morre aos 90 anos

Americana conquistou medalha no salto em altura nas Olimpíadas...

Mary Ann Shadd

Mary Ann Camberton Shadd (9 de outubro de 1823...

Considerações sobre o que chamam de ‘ideologia de gênero’

Terry Eagleton é um crítico literário inglês. Bem-humorado e...
spot_imgspot_img

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...

Em reunião com a ministra das Mulheres, movimentos denunciam casos de estupros e violência em abrigos para atingidos pelas enchentes no RS

Movimentos feministas participaram de uma reunião emergencial com a ministra da Mulher, Cida Gonçalves, no final da tarde desta terça-feira (7), de forma online....

Documentário sobre Ruth de Souza reverencia todas as mulheres pretas

Num dia 8 feito hoje, Ruth de Souza estreava no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. O ano era 1945. Num dia 12, feito...
-+=