Mapa do Acolhimento

Nenhuma mulher deve sofrer sozinha
Mexeu com uma, mexeu com todas

Abrimos este espaço para conectar vítimas de violência sexual a profissionais especializadas neste tipo de assistência. Nesta primeira etapa, iremos cadastrar as terapeutas que queiram oferecer seus serviços gratuitamente a estas vítimas – e voluntárias que queiram ajudar avaliando os serviços públicos das suas cidades. No segundo momento, mulheres que sofreram violência sexual poderão se inscrever para receberem informações sobre estes serviços cadastrados e avaliados.

no Mapa do Acolhimento

mapa-do-acolhimento2

QUER OFERECER SEUS SERVIÇOSQUER AJUDAR DE OUTRA FORMA?

A cada 11 minutos, uma mulher é estuprada no Brasil. De acordo com uma pesquisa feita pelo IPEAcerca de 527 mil pessoas são estupradas por ano no país, sendo que 89% da vítima destes atos violentos são mulheres. 

A recente barbárie do estupro coletivo no Rio de Janeiro chamou atenção de todo o Brasil para este absurdo ao qual as mulheres são diariamente expostas. Estes crimes são resultado da cultura de estupro e de violência contra mulheres que permeiam ainda hoje nossa sociedade machista. Ações e manifestações contra esta cultura, como a #EstuproNuncaMais, viralizaram nas redes sociais e estão tomando as ruas do país.

Este caso mais recente iluminou um grande entrave à assistência a essas vítimas: a falta de informação e a ineficácia de muitos dos serviços especializados neste tipo de atendimento.

 

As consequências da violência sexual na vida de uma mulher ou menina são imensuráveis, mas é possível, através de acompanhamento e acolhimento, que elas consigam lidar melhor com esse trauma.

Por isso, criamos este espaço para que terapeutas inscrevam-se como voluntárias para atenderem mulheres vítimas em várias cidades do Brasil. Para quem não é terapeuta mas também quer chegar junto na rede de acolhimento, basta se inscrever para ajudar  a mapear os serviços públicos disponíveis para o auxílio a mulheres vítimas de violência sexual.

 

+ sobre o tema

As lições da Noruega sobre feminismo

Evento em Brasília discute equidade de gênero e traz...

Cai participação de mulheres negras no mercado de trabalho em relação ao período pré-pandemia

No mercado de trabalho, só metade das mulheres negras consegue...

Paulo Gustavo reage a ataque homofóbico: “Vou ser viado até o último dia da minha vida”

Paulo Gustavo reage a ataque homofóbico. O humorista revelou...

“Boca de Cachorro Louco” relato de uma mulher que conviveu com a dor travestida de amor

Escritora cearense lança livro sobre relacionamento abusivo   Um relato...

para lembrar

Caminhada contra preconceito racial percorre praias do Leme e de Copacabana

"A realização da pré-marcha faz parte da mobilização do...

Juíza viraliza nas redes ao citar em sentença a poesia “A Vida É Loka” de Sergio Vaz

“Esses dias tinha um moleque na quebrada com uma arma...

Documentário aborda Toni Morrison, primeira autora negra a ganhar o Nobel

'The Pieces I Am' reconta a vida da autora...

Morre Linda Brown, ícone da luta contra a segregação racial nas escolas dos EUA

Após ser rejeitada em uma escola primária por ser...
spot_imgspot_img

Aborto legal: ‘80% dos estupros são contra meninas que muitas vezes nem sabem o que é gravidez’, diz obstetra

Em 2020, o ginecologista Olímpio Moraes, diretor médico da Universidade de Pernambuco, chegou ao hospital sob gritos de “assassino” porque ia interromper a gestação...

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...

Moraes libera denúncia do caso Marielle para julgamento no STF

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), liberou nesta terça-feira (11) para julgamento a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra...
-+=