Carro de luxo, ele negro, ela branca; o racismo e uma ação de 3 milhões

Um homem foi acusado de ser taxista ilegal por investigadores da cidade de Nova York após levar a esposa ao trabalho, de acordo com o site Russia Today.

Dann Keys, um negro de 66 anos, deixou a companheira, Symone Palermo, uma branca de 53, em um shopping do bairro do Queens em 8 de maio. Symone, proprietária do veículo, sentava no banco traseiro pois o banco do passageiro estava úmido por causa de uma forte chuva que havia caído na noite anterior.

Depois que a mulher saiu do carro, três investigadores ordenaram que Dann encostasse o veículo. Foi então que eles acusaram o homem de estar operando de forma ilegal – sem a licença de taxista – porque eles haviam observado Dann deixar uma mulher branca no shopping, e ambos trocarem dinheiro.

“Os policiais só pararam Keys porque eles viram um homem negro dirigindo para o que eles pensavam ser uma mulher branca”, consta na ação judicial.

Ao ver a cena, a mulher voltou até o carro e explicou aos policiais que ela era a esposa do motorista e dona do veículo. Ainda assim, os guardas redigiram um relatório em que diziam ter visto Dann levar uma passageira branca e que ela havia afirmado que o carro estava sendo usado como táxi.

O casal está processando a corporação em 3 milhões de dólares por ter sofrido discriminação racial.

De acordo com o processo, os investigadores sabiam que a ocorrência era mentirosa quando assinaram o documento.

O carro do casal ficou “ilegalmente” retido por 8 dias, o que fez com que Dann perdesse três dias de trabalho e Symone dois.

Em 16 de maio, o casal foi considerado inocente porque o Tribunal entendeu que o policial “forneceu declarações inconsistentes em todo o seu testemunho”.

Fonte:Noti Bras

+ sobre o tema

Cotas são remédio mais exitoso no combate às desigualdades, diz Sueli Carneiro

No momento que avalia ser o de maior recrudescimento...

Extrema-direita: UE desvaloriza aumento da radicalização?

A União Europeia não presta a devida atenção ao...

“O racismo produz privilégios”, diz Jurema Werneck em entrevista ao Correio

A fundadora da ONG Criola estará na capital para...

Alunos da Ufes protestam em volta de professor afastado por racismo

Ele foi suspenso em novembro de 2014 e voltou...

para lembrar

Psicanalista terá de pagar R$ 50 mil por racismo contra funcionária de cinema no DF

Acusado teria dito à vítima que fosse cuidar de orangotangos...

‘Não vou falar com preto’: executivo negro relata racismo no mundo corporativo brasileiro

Cesar Nascimento pode vestir paletós caros, óculos de grife,...

Fábio Assunção, Lavínia Vlasak e Leona Cavalli posam contra o racismo

Atores apareceram ao lado de outros membros da equipe...

Traficantes dão ordem para fechar terreiros na Baixada Fluminense

Último caso aconteceu na semana passada em Duque de...
spot_imgspot_img

Nem a tragédia está imune ao racismo

Uma das marcas do Brasil já foi cantada de diferentes formas, mas ficou muito conhecida pelo verso de Jorge Ben: "um país tropical, abençoado...

Futuro está em construção no Rio Grande do Sul

Não é demais repetir nem insistir. A tragédia socioclimática que colapsou o Rio Grande do Sul é inédita em intensidade, tamanho, duração. Nunca, de...

Kelly Rowland abre motivo de discussão com segurança em Cannes: ‘Tenho limites’

Kelly Rowland falou à imprensa sobre a discussão que teve com uma segurança no tapete vermelho do Festival de Cannes durante essa semana. A cantora compartilhou seu...
-+=