Carvalho critica proposta de redução da maioridade penal

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, disse hoje (12) que o governo é contra a redução da maioridade penal e quer a ajuda dos estados para a ampliação e consolidação do Plano de Prevenção à Violência contra a Juventude Negra, conhecido como Juventude Viva.

Ontem (11), o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse que seu partido, o PSDB, deve apresentar no Congresso um projeto para tornar mais rígido o Estatuto da Criança e do Adolescente. A proposta do governador é que adolescentes que tenham cometido crimes e tenham completado 18 anos não fiquem mais na Fundação Casa. A proposta foi anunciada após o assassinato do estudante Victor Hugo Deppman, de 19 anos, por um jovem de 17 anos, durante um assalto em São Paulo. O menor completou 18 anos hoje.

Segundo o ministro, é possível discutir um período de transição para que aqueles menores infratores que completem 18 anos durante a pena no abrigo sejam deslocados para outro espaço. A redução da maioridade penal, no entanto, não acabará com fatos trágicos como o que ocorreu na capital paulista, na avaliação de Carvalho. “Eu acho que a ilusão de que reduzindo a idade penal vai resolver alguma coisa no país vai nos levar daqui a pouco a reduzir a idade penal para 10 anos, porque os traficantes, porque os bandidos vão continuar usando o menor.”

“Ao mesmo tempo que temos uma profunda dor e uma solidariedade com a situação como essa, é próprio e necessário que os governantes tenham muita maturidade no que falam e naquilo que propõem em uma hora como essa. A situação é muito mais complexa do que ficar mexendo na questão da idade penal”, disse Carvalho.

Sobre o Juventude Viva, ele destacou que o programa oferecerá oportunidades aos jovens negros que vivem na periferia. “O Juventude Viva é um programa que previne, que dá alternativa sobretudo ao jovem negro da periferia, que é a principal vítima, para que ele tenha alternativas que não seja o tráfico de drogas, que o tire do desemprego, que o tire da situação de marginalidade”, disse Carvalho, acrescentando que o programa depende da parceria com estados e municípios e inclui projetos culturais e qualificação profissional.

 

Maioridade penal aos seis. Afinal, nessa idade, eles já se vestem sozinhos

Quando o crime é cometido por adolescente de classe média alta a indignação da imprensa é seletiva

Maioridade penal só vai atingir a população pobre

Fonte: Agência Brasil

+ sobre o tema

Pesquisa mostra que 24% das escolas públicas não discutem o racismo

Sonora: “Acabar com o racismo é importante porque, tipo,...

Academia de Hollywood prefere negros em personagens subservientes, diz estrela de Selma

A não-indicação de “Selma” para mais categorias do Oscar...

Assembleia aprova cota de 20% para negros em concursos públicos do Ceará

Foi aprovada na última quinta-feira (04) pela Assembleia Legislativa...

Técnico pede demissão após ato racista contra zagueiro

O técnico Agenor Picinin pediu demissão, nesta semana,...

para lembrar

Relatório “arrasa” políticas nacionais contra racismo, diz Solidariedade Imigrante

O presidente da associação Solidariedade Imigrante defendeu...

Frugalidade da crônica para quem?

Xico, velho mestre, nesse périplo semanal como cronista, entre...

Refletindo sobre a Cidadania em um Estado de Direitos Abusivos

Em um momento em que nos vemos confrontados com...

Uma pantera afro-zen caminha entre nós

Angela Davis, uma pantera afro-zen que caminha entre nós Por...
spot_imgspot_img

‘Volta pra senzala’: o que disse a policial denunciada por injúria racial contra garçom em Fortaleza, segundo denúncia

Uma inspetora da Polícia Civil denunciada por um garçom pelo crime de injúria racial foi indiciada pela Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública...

Uma descoberta

Fiz uma descoberta importante nos últimos meses. Na verdade, nem é uma coisa nova, mas para mim a “descoberta” foi tão surpreendente quanto a...

SC tem alta de 51% nos casos de injúria racial e lidera denúncias do crime no país

Em Santa Catarina, seis pessoas procuraram a polícia por dia, em média, para denunciar casos de injúria racial em 2023. No ano passado, 2.280 pessoas sofreram ofensas...
-+=