Coletivo de cientistas negros faz live sobre representatividade midiática da mulher negra; confira

Enviado por / FonteG1

O Coletivo Nacional de Cientistas e Intelectuais Negros vai exibir uma live no próximo sábado (29), às 19h, com o tema: Representatividade e Representação Midiática da Mulher Negra.

A live será transmitida simultaneamente nos canais do Youtube do Quilombo da Ciência e nas plataformas digitais do Colegiado de Psicologia da UNEB.

Para iniciar as atividades, o Quilombo promoverá uma live em parceria com o Colegiado de Psicologia da Universidade Estadual da Bahia (UNEB), com a participação das potiguares e ativistas do Movimento Negro, Ana Paula Campos e Idyane França. Que também são integrantes do Coletivo.

Algumas ações pontuadas:
Quilombo Bilíngue – De forma voluntária pessoas dentro do quilombo que apresentam fluência nas línguas inglesa e espanhola promoverão aulas remotas, uma vez por semana para os integrantes do Quilombo da Ciência. Uma vez que, a ciência mundial é baseada e produzida na língua inglesa

Tutoria Profissional – A cada quinze dias, os profissionais do Quilombo da Ciência promoverão palestras sobre suas respectivas áreas, para que jovens que almejam entrar no mercado de trabalho consigam um direcionamento sobre possíveis cursos, dentro das universidades espalhadas pelo país. Além disso, esses profissionais poderão promover palestras sobre outros parâmetros dentro da sua formação, como por exemplo, biólogos podem abordar áreas voltadas para a conservação dos ecossistemas brasileiros

O Quilombo da Ciência é um coletivo formado por cientistas e intelectuais negros, fundado nas redes sociais no dia 18 de maio de 2020. Foi criado em decorrência do silenciamento e apagamento intelectual que o povo preto tem sofrido dentro e fora das academias e centros de pesquisa brasileiros. Ele nasce com o intuito de promover cientistas pretas e pretos, de retintos a pele clara que estão produzindo ciência no Brasil e no mundo, tendo como objetivo aquilombar as produções, discutir propostas e parcerias, divulgar trabalhos científicos e literários nas diversas áreas e atuações.

+ sobre o tema

Escritora Elisa Pereira lança amanhã “Sem Fantasia”, seu segundo livro!

Na próxima terça-feira (29), às 19h, será lançado “Sem...

O conferencismo e o marchismo como formas de lutas políticas

Aconteceu em Brasília, em 18 de novembro, a Marcha...

“O Quarto de Despejo está vivo”, afirma filha de Carolina Maria de Jesus

Em 60 anos do livro “Quarto de Despejo: Diário...

Mulheres Maravilhosas: Cristiane Sobral

Não me lembro exatamente como entrei em contato com...

para lembrar

Tiago Leifert está errado. Representatividade importa

Onde estão os negros? Os indígenas? As mulheres? Os...

Juízes negros se reúnem para discutir baixa representatividade

Juízes negros de várias regiões do país se reuniram...

Carnaval fora de época, mas dentro do tom

Depois de um recesso forçado pela pandemia, o Carnaval...
spot_imgspot_img

Onde estão os cientistas negros?

"Mas se adotarmos cotas, corremos o risco de perder o aluno-padrão Unicamp." Eu ouvi essa frase em 2015, numa das palestras sobre ações afirmativas...

Só 2 a cada 5 vagas de cotas para juiz negro são preenchidas

Oito anos após a instituição de cotas em concursos para juiz, só 2 em cada 5 vagas reservadas a negros foram preenchidas nos Tribunais...

A ciência de ponta vai além das pessoas brancas

No final de 2022, assumimos um desafio com o qual sonhávamos há anos: lançamos uma chamada pública voltada exclusivamente a cientistas negros e indígenas, em...
-+=