Coletivo de incentivo á leitura lança a primeira biblioteca do Brasil de troca de livros de autoras negras

O coletivo Mulheres Negras na Biblioteca que, desde 2016, promove atividades de mediação de leitura de obras de autoras negras, como encontros literários, rodas de poemas e bate-papos com educadores, lança, pelo site www.mulheresnegrasnabiblioteca.com.br, a primeira biblioteca on-line, do Brasil, de troca de livros de autoras negras.

Por meio de uma plataforma on-line, um acervo de aproximadamente 200 livros de autoras negras – ficção-científica, ensaios, poesia, biografias e romances nacionais e internacionais – será disponibilizado para o público (de qualquer lugar do Brasil) mediante à troca de obras apenas de autoras negras, que serão enviadas pelos Correios. O projeto Mulheres Negras na Biblioteca de Trocas (MNBT) tem o apoio do Programa VAI, da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo.

O lançamento da plataforma virtual será no dia 27 de maio, às 15h, via Zoom, em um evento em parceria com o SisEB (Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São Paulo), com as participações de Ola Ronke (The Free Black Women’s Library) – que serviu de inspiração para o projeto brasileiro –, Carine Souza (Mulheres Negras na Biblioteca) e Semayat Oliveira (Nós, mulheres da periferia). O bate-papo online sobre ações de incentivo à leitura de obras de autoras negras abordará experiências realizadas nos Estados Unidos e no Brasil.

O coletivo

Mulheres Negras na Biblioteca é um projeto de incentivo à leitura de obras de escritoras negras, idealizado e organizado por profissionais de Biblioteconomia e Letras, que se dedicam, desde 2016, a promover atividades culturais a fim de contribuir para a formação e aumento do público leitor de autoras negras, com o objetivo de tornar notável a importância da inclusão dessas obras nos acervos das bibliotecas.

SERVIÇO

Lançamento do projeto Mulheres Negras na Biblioteca de Trocas (MNBT)

Quando: 27 de maio

Horário: 15h

Onde: http://siseb.sp.gov.br/evento/webinar-autoras-negras-nas-bibliotecas-acoes-de-combate-a-invisibilizacao/?instance_id=1019

** ESTE ARTIGO É DE AUTORIA DE COLABORADORES OU ARTICULISTAS DO PORTAL GELEDÉS E NÃO REPRESENTA IDEIAS OU OPINIÕES DO VEÍCULO. PORTAL GELEDÉS OFERECE ESPAÇO PARA VOZES DIVERSAS DA ESFERA PÚBLICA, GARANTINDO ASSIM A PLURALIDADE DO DEBATE NA SOCIEDADE. 

+ sobre o tema

Não é ‘ideologia de gênero’, é educação e deve ser discutido nas escolas, diz pesquisadora

Pesquisa realizada pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar),...

A ditadura do corpo ideal e o preconceito velado – Por: Amanda Nunes

“Com a estética, o sujeito entra em uma relação...

Abraji: Rotina de ameaças e linchamento às mulheres jornalistas é diária 

Chorume, prostituta profissional, porca mentirosa, velhota ordinária, filha da...

para lembrar

Baiana recebe prêmio que estimula mulher negra contar sua história

A ativista da luta pela garantia dos direitos das...

Yasmin Costa e o feminicídio que mata mais as mulheres negras no Brasil

Yasmin Costa dos Santos, jovem universitária negra foi mais...

Espelho: Cápsulas de autoestima, vacinas contra o preconceito, anabolizantes da igualdade

Da galeria de imagens inesquecíveis da edição 2016 do...

Morre Rosane Kaingang, importante líder indígena do Sul do Brasil

Rosane Kaingang participou da fundação da Apib, foi coordenadora...
spot_imgspot_img

Mulher tem aborto legal negado em três hospitais e é obrigada a ouvir batimento do feto, diz Defensoria

A Defensoria Pública de São Paulo atendeu ao menos duas mulheres vítimas de violência sexual que tiveram o acesso ao aborto legal negado após o Conselho...

‘Abuso sexual em abrigos no RS é o que ocorre dentro de casa’, diz ministra

A ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, considera que a violência sexual registrada contra mulheres nos abrigos que recebem desalojados pelas enchentes no Rio Grande...

ONU cobra Brasil por aborto legal após 12 mil meninas serem mães em 2023

Mais de 12,5 mil meninas entre 8 e 14 anos foram mães em 2023 no Brasil, num espelho da dimensão da violência contra meninas...
-+=