Com suspeita de tuberculose, Rafael Braga é internado no Rio de Janeiro

Sem que família ou a defesa fossem avisadas, Rafael Braga está internado na Unidade de Pronto Atendimento e Hospital Dr. Hamilton Agostinho Vieira de Castro, localizado no Complexo Penitenciário de Gericinó, no Rio de Janeiro. O anúncio foi feito nesta segunda, 21, pela defesa do jovem negro que se tornou ícone do combate ao racismo institucional e seletividade penal, em especial por ter sido o único preso no contexto das manifestações de 2013, bem como por posteriormente ter sido preso e condenado por tráfico de drogas em um processo extremamente questionado pela comunidade jurídica e ativista. Informações preliminares dão conta que o quadro seria de tuberculose.

no Justificando

Responsável pela defesa de Rafael, o Instituto de Defensores dos Direitos Humanos (DDH) afirmou, em nota, que “nem a defesa, nem os familiares e apoiadores de Rafael Braga foram notificados sobre a sua transferência para uma unidade hospitalar. A informação só foi descoberta quando Adriana Braga, mãe de Rafael, tentou, sem sucesso, visitá-lo no último domingo”.

Novamente, os suplícios suportados por Rafael causaram revolta nas redes sociais. Para o historiador mestrando na Universidade Federal da Bahia (UFBA) e colaborador no Justificando Henrique Oliveira: “Só quero lembrar que Rafael Braga foi condenado por tráfico de drogas, que segundo o código penal é um atentado a saúde pública. Agora pensem, o Estado prende o cara por supostamente atentar a saúde pública, uma pessoa saudável e deixa ele adoecer. Que defesa da saúde pública é essa, me digam?” – escreveu em sua página.

Doença tratável

A tuberculose contraída por Rafael é exemplo do descaso do Estado brasileiro com a saúde dos presos. Inclusive, o país é internacionalmente conhecido por permitir que seus cidadãos presos e presas contraíam e morram de doenças tratáveis, inclusive algumas que poderiam ser curadas sem maiores complexidades – “a situação relatada está longe de ser um fato isolado, ao contrário, é o retrato de um cenário dramático. Infelizmente, o Estado Brasileiro vem permitindo que um surto de tuberculose se alastre pelo sistema penitenciário nacional sem que sejam tomadas medidas adequadas para a interrupção da insalubridade” – afirmou a defesa de Rafael, em nota.

Tuberculose é uma delas. A pneumologista e pesquisadora da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Margareth Dalcolmo, citando as políticas de encarceramento massivo, especialmente da população mais pobre, afirmou que “estar preso é um fator de risco, ter passado pelo sistema prisional também”.

“É frustrante que estejamos diante de uma doença benigna, fácil de ser diagnosticada, com tratamento de boa qualidade e, mesmo assim, tenhamos esse universo perverso no sistema carcerário no Brasil”, completou.

+ sobre o tema

Mbappé desabafa sobre racismo na França: ‘Não posso jogar para pessoas que pensam que sou um macaco’

Principal estrela da França e presente na lista de Didier Deschamps...

Protesto: mulher negra pinta seu corpo de branco

"Se você quiser sobreviver, vire branco", diz a americana...

Vídeo mostra policial quebrando o vidro do próprio carro da polícia em SP

Um vídeo gravado nas imediações da rua da Consolação...

para lembrar

Urbanismo afro-futurista de Wakanda: um ecossistema de estruturas BIM para nômades urbanos

A segunda era das máquinas, violência baseada em gênero,...

Polícia apura crime de tortura contra quilombola amarrado e agredido no RN

A Polícia Civil do Rio Grande do Norte abriu...

Governo incentiva projetos de combate à violência contra negros

Para incentivar ações de enfrentamento à violência contra...

Apenas UM: a tokenização no mercado de trabalho

Por várias questões que me cercam e quem se...
spot_imgspot_img

Uma supernova

No dia em que minha irmã nasceu, a Nasa fotografou uma supernova no universo. Quando minha irmã nasceu, foi uma das maiores alegrias da minha...

Número de crianças e adolescentes mortos pela polícia cresce 58% sob governo Tarcísio, apontam dados da SSP

O número de crianças e adolescentes mortos pela polícia aumentou 58% entre 2022 e 2023 — primeiro ano do governo de Tarcísio de Freitas (Republicanos) —,...

A ‘inteligência artificial’ e o racismo

Usar o que se convencionou chamar de "inteligência artificial" (pois não é inteligente) para realizar tarefas diárias é cada vez mais comum. Existem ferramentas que, em...
-+=