CPI que investiga violência contra jovens negros e pobres ouve agentes de segurança pública

Audiência Pública será realizada nesta terça-feira (09), às 14h30, no Anexo II, Plenário 16, da Câmara dos Deputados

Do Seppir 

O Secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Artur Trindade, o Diretor da Polícia Civil do DF, Eric Seba de Castro, e o Comandante da Polícia Militar do DF, Florisvaldo Ferreira Cesar, participam, nesta terça-feira (09), de audiência pública na Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga as causas, razões, consequências, custos sociais e econômicos da violência, morte e o desaparecimento de jovens negros e pobres no Brasil. A participação dos agentes de segurança pública atende ao requerimento nº 24/2015, de autoria do Deputado Reginaldo Lopes. A audiência será realizada às 14h30, no Anexo II, Plenário 16 da Câmara dos Deputados.

A convocação dos agentes deve-se ao assassinato do jovem Cristiano Alves da Silva no último dia 8 de abril, na cidade de Ceilândia – DF, em frente a uma panificadora. Segundo testemunhas e moradores da Região que conheciam a vítima, o crime ocorreu por motivos banais e foi cometido pelo dono do comércio, autor de três disparos contra a vítima. De acordo com o requerimento, há a necessidade de se esclarecer a as circunstâncias do crime, o andamento das investigações e as denúncias acerca de violência policial contra familiares e amigos do jovem assassinado.

CPI

A CPI investiga o que motiva e quais os custos econômicos e sociais do aumento de mortes e desaparecimentos de jovens negros. Segundo informações do “Mapa da Violência 2014: Os jovens do Brasil”, os homicídios são hoje a principal causa de morte de jovens de 15 a 29 anos e atingem especialmente jovens negros do sexo masculino, moradores das periferias e áreas metropolitanas dos centros urbanos. Em 2012, dos 56.337 mortos por homicídios no Brasil, 53,37% eram jovens. Destes, 77% eram negros (assim considerados a soma de pretos e pardos) e 93,3% eram homens. O estudo mostra também que, de 2002 a 2012, o número de homicídios de jovens brancos caiu 32,3%, e de jovens negros aumentou 32,4%.

A Comissão realiza audiências públicas todas as terças e quintas-feiras, na Câmara dos Deputados, em Brasília, e às segundas-feiras os integrantes se deslocam para os diversos estados, onde acontecem as audiências e diligências que estão subsidiando o trabalho da CPI. Para estimular a participação da sociedade na discussão do tema, foi criada uma comunidade virtual por meio da página edemocracia.camara.leg.br.

 

+ sobre o tema

Leci Brandão sai em defesa da Vai-Vai: ‘Nenhuma instituição está acima da crítica’

'A crítica social é necessária na medida em que...

Nota de esclarecimento GRCSES VAI-VAI

Em 2024, a escola de samba Vai-Vai levou para...

Moção de solidariedade da UNEGRO ao Vai Vai 

A União de Negras e Negros Pela Igualdade (UNEGRO),...

para lembrar

spot_imgspot_img

Um guia para entender o Holocausto e por que ele é lembrado em 27 de janeiro

O Holocausto foi um período da história na época da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), quando milhões de judeus foram assassinados por serem quem eram. Os assassinatos foram...

Caso Marielle: mandante da morte de vereadora teria foro privilegiado; entenda

O acordo de delação premiada do ex-policial militar Ronnie Lessa, acusado de ser o autor dos disparos contra a vereadora Marielle Franco (PSOL), não ocorreu do dia...

Pacto em torno do Império da Lei

Uma policial militar assiste, absolutamente passiva, a um homem armado (depois identificado como investigador) perseguir e ameaçar um jovem negro na saída de uma...
-+=