Delegacias especializadas em crimes étnicos-racias

O ministro da Igualdade Racial anunciou nesta quarta-feira (29/10) a intenção da SEPPIR de estimular a criação e apoiar financeiramente a implantação de delegacias especializadas em crimes étnico-raciais e correlatos em todos os estados brasileiros. O objetivo é criar uma
estrutura semelhante às delegacias da mulher, facilitando o registro de queixas por discriminação e reduzindo a impunidade que marca este tipo de delito. Pela proposta, cada estado que aderir à idéia receberá um auxílio de R$ 100 mil. O custeio e as despesas futuras
das delegacias ficarão a cargo das secretarias de segurança dos estados.

“A Constituição Federal de 1988 incorpora princípios da justiça social e do pluralismo buscando a garantia dos direito fundamentais.
O desafio é também criar mecanismos que possam da melhor forma garantir o exercício da cidadania. Há falta de preparo dos policiais para registrar queixas por racismo nas delegacias convencionais. Em alguns casos, a vítima que vai à delegacia denunciar uma ofensa acaba

sendo processada por calúnia. E mesmo nos casos em que a denúncia é corretamente registrada, raramente o processo resulta na condenação do agressor na Justiça. A impunidade é a regra”, justificou o ministro.

Além das ofensas contra os negros, as delegacias também vão investigar crimes contra integrantes de minorias étnicas, como ciganos e judeus, que também são alvo de discriminação. Pela proposta da SEPPIR as delegacias especializadas deverão contar com
profissionais das áreas da saúde, psicologia, sociologia, assistência social, e antropologia, além das instâncias jurídicas e administrativas que formam o quadro de recursos humanos de uma Delegacia de Polícia.

 

+ sobre o tema

Tico Santa Cruz anuncia retirada de produtos do Carrefour e web pede mais

Após o assassinato de João Alberto, um homem negro,...

Os crimes de discriminação nos hospitais

Por Caiubi Miranda - Ei, negão! O remédio do meu...

Pelé: Racismo e esquecimento marcam os 80 anos do jogador

Ele figura em todas as listas de melhores atletas...

para lembrar

A democracia burguesa e as ilusões perdidas da luta anti-racista

No mês da consciência negra, participei de onze debates...

Keeanga-Yamahtta Taylor reflete sobre a força que vem do ativismo negro

As eleições que levaram a afro-americana Kamala Devi Harris...

É Bem Mato Grosso deste sábado (21), abraça a luta contra a ‘Discrimanação Racial’!

Convidamos você a participar conosco desse programa especial! Confira...

Funcionários de papelaria sofrem com racismo

Três funcionários de uma papelaria na avenida Bento Gonçalves...
spot_imgspot_img

Como as mexicanas descriminalizaram o aborto

Em junho de 2004, María, uma jovem surda-muda de 19 anos, foi estuprada pelo tio em Oaxaca, no México, e engravidou. Ela decidiu interromper...

Como o diabo gosta

Um retrocesso civilizatório, uma violência contra as mulheres e uma demonstração explícita do perigo que é misturar política com fundamentalismo religioso. O projeto de lei...

Homens, o tema do aborto também é nossa responsabilidade: precisamos agir

Nesta semana, a escritora Juliana Monteiro postou em suas redes sociais um trecho de uma conversa com um homem sobre o aborto. Reproduzo aqui: - Se liberar o...
-+=