Denuncie crimes federais praticados na internet como racismo e pedofilia

Ministério Público Federal em SP criou canal para facilitar as denúncias.
Quem encontra esses crimes em páginas da internet já pode denunciar.

Por: Graziela Azevedo

O mundo virtual está repleto de crimes e ameaças reais e que parecem se multiplicar. A mesma facilidade que existe para que o crime desfile pela internet existe também para fazer a denúncia.

O Ministério Público Federal em São Paulo acaba de reformular sua página na internet para facilitar a vida de quem, mesmo de maneira anônima, queira denunciar crimes que foram constatados no ambiente da rede.

Pedofilia e racismo são exemplos de crimes virtuais. Outros crimes federais também podem ser denunciados mesmo que cometidos fora da internet, como crime de moeda falsa, crime de estelionato praticado contra a previdência social, fraudes praticadas contra a previdência, crime de descaminho contrabando, crime de tráfico de drogas internacional, crime ocorrido abordo de aeronaves e crimes envolvendo servidores públicos federais.

Ao entrar na página do Ministério Público Federal em São Paulo é possível encontrar o caminho para a digi-denúnica. É preciso apontar se o crime foi presenciado na internet, fazer um resumo do que aconteceu e anexar as provas. Quanto mais detalhes melhor.

“O local onde aconteceu os fatos, a data onde aconteceu os fatos, o nome das pessoas envolvidas, o nome das pessoas que podem dar informações sobre aquele fato que ocorreu, documentos que eventualmente a pessoa tenha. Ela pode copiar esses documentos e anexar à denuncia. O que a pessoa que vai investigar precisa saber para que efetivamente possa essa denuncia ter alguma conseqüência. Esperamos receber denúncias com mais precisão, com mais dados, com mais informações, que é isso que nós procuramos passar para o usuário”, afirma Pedro Antonio Machado, procurador.

Patrícia Peck Pinheiro, advogada especializada em direito digital, acha que o digi-denúncia vai ajudar o internauta que já viu muita coisa, mas não queria enfrentar a burocracia ou tinha receio de denunciar. “É um dever de cidadania fazer denuncia. Muitas vezes a pessoa pensa ‘ah, se eu tiver que sair de casa, ir até uma repartição publica, uma delegacia’. Ele acaba desistindo, então não tem por que não denunciar ainda mais se é online”.

Saiba como denunciar clicando nos estados abaixo:

São Paulo

Pernambuco

Rio de Janeiro

Rio Grande do Norte

Rio Grande do Sul

Rondônia

Roraima

Santa Catarina

Sergipe

Tocantins

Paraná

Mato Grosso

Mato Grosso do Sul

Minas Gerais

Pará

Paraíba

Goiás

Distrito Federal

Acre

Alagoas

Amapá

Amazonas

Bahia

Ceará

Espírito Santo

Maranhão

 

Fonte: G1

 

Leia Também: 

Estabelecimentos comerciais de SP lideram denúncias de racismo

Marcha denuncia mortes e racismo na periferia de São Paulo

Orientação racista na PM-SP provoca indignação de grupo de Direitos Humanos

+ sobre o tema

Educação escolar quilombola traz potencial transformador

Professores, gestores e pesquisadores das cinco regiões do país...

Relacionamento Afrocentrado não é conto de fadas da Disney

Relações afrocentradas são aquelas que envolvem escolha de e...

Sobrevivi a R. Kelly e a violência contra mulheres negras

Ser mulher negra é enfrentar a luta cotidiana, tentar...

Esvaziamento de Conselho da Criança expõe jovens às chibatadas modernas

A tortura sempre esteve presente na cultura brasileira. É...

para lembrar

Para mulheres asiático-americanas, racismo e machismo são inseparáveis

Depois que oito pessoas, seis delas mulheres asiáticas, foram...

Mulher denuncia racismo em entrada de academia em Fortaleza

Uma mulher denuncia ter sido vítima de racismo na...

Mortes de negros pela polícia brasileira aumentam; de brancos caem, diz ONU

A ONU denuncia a disparidade de tratamento da polícia...
spot_imgspot_img

Caça aos livros

Está aberta a temporada de caça aos livros no Brasil! Mas atenção. A perseguição restringe-se à indicação pedagógica de certas obras capazes de promover o debate e a...

Debate racial ficou sensível, mas menos sofisticado, diz autor de ‘Ficção Americana’

De repente, pessoas brancas começam a ser degoladas brutalmente com arame farpado. O principal suspeito é um homem negro que sempre está na cena...

Universidade, excelência e compromisso social

Em artigo publicado pelo jornal O Estado de S. Paulo, no dia 15 de junho, o professor de literatura geral e comparada da Unicamp, Marcos...
-+=