(Des) Ajuste, reforma, Gênero e Raça ou Até tu Dilma?

Tenho acompanhado com atenção a atual conjuntura brasileira, principalmente os últimos acontecimentos. O ajuste fiscal, a queda de popularidade, as ações para o impeachment, enfim um conjunto de ameaças que pairam no horizonte encaminhando para um possível retrocesso das recentes conquistas sociais que se tornaram  extraordinárias, face ao tamanho do abismo social existente na sociedade brasileira.

Enviado por Sílvio Humberto via Guest Post para  o Portal Geledés

Essa breve nota é para refletir sobre mais uma proposta de (des)ajuste fiscal do governo federal que propõe fundir a Secretaria Nacional de Promoção da Igualdade Racial – Seppir, a Secretaria de Mulheres – SPM e de Direitos Humanos em um único ministério: Ministério da Cidadania , jogando por terra e água todos os esforços e avanços de enfrentamento ao racismo e ao sexismo, com vistas a redução das desigualdades raciais e de gênero por meio da implementação de políticas públicas focalizadas. O debate foi travado e ganho na sociedade e dentro do governo. A pobreza tem cor, idade e gênero. Isso não é mera sopa de letras e palavras, aqui temos uma concepção de política.

O dia 26 de abril de 2012, é um marco na história das relações raciais brasileiras, a vitória acachapante no Supremo Tribunal Federal -STF é insofismável! Temos base legal para as ações afirmativas, seja na educação, mercado de trabalho, saúde… .

Assim, essa junção da Seppir, Mulheres e Direitos Humanos em um ” Ministério da Cidadania ” é retroceder ao universalismo estreito das políticas públicas, nem vou falar do impacto sobre os gastos públicos porque é simplesmente ridículo, mas o impacto político, este sim tende a ser devastador face ao seu efeito dominó sobre os espaços de promoção da igualdade nos Estados e municípios. Isso que hoje se configura, atende-se apenas aos interesses conservadores que estão em alta no Brasil. Portanto, não podemos aceitar, isso não significa desconhecer a crítica proferida aos espaços de promoção de igualdade racial como também o racismo institucional enfrentado por esses espaços dentro das estruturas de governo nos quatro cantos do país. Com mais essa decisão política desastrosa em nome de assegurar o (des)ajuste fiscal o governo Dilma II definitivamente se entrega aos ditames das hóstias conservadoras e se volta contra aqueles e aquelas e também contra as políticas públicas afirmativas( racial e de gênero ) quem lhe garantiu a vitória na última eleição. Até tu Dilma! O interessante é que o ministério da aviação e portos continuam em pleno voo de brigadeiro e mar de almirante a fim de atender os interesses políticos do PMDB. Aqui mais uma vez as coisas(aviões e portos) valem mais do que as pessoas ( negros, mulheres, LGBTTs e demais excluídos ). Sem falar que o novo ministério da Cidadania será comandado por um homem, até tu Dilma!

O que fazer ?
O sempre atual historiador Joseph Ki-zerbo nos ensina : ” se nos deitarmos estaremos mortos” .
Sílvio Humberto
Vereador de Salvador
Líder do PSB na Câmara Municipal
[email protected]

+ sobre o tema

Corpo de Armando Nogueira é velado no Maracanã

O velório do ex-diretor da Central Globo de Jornalismo...

O (polêmico) mês da Consciência Negra.

Para começo de conversa, vale explicar que o dia...

Zendaya, Nicole Byer e Dime Davis podem fazer história no Emmy 2020

O Emmy 2020 garantiu uma edição mais inclusiva com...

Somos todos africanos

Por Felipe A. P. L. Costa   Na...

para lembrar

Suíça defendeu escravidão no Brasil, revela documento; tema é tabu no país

Documentos oficiais revelam que o governo da Suíça sabia...

Campeã Olímpica Fabiana Claudino faz seu desfile de vitória hoje

A jovem atleta luziense Fabiana Claudino, da Seleção...

Câmara do Rio institui 24 de junho como Dia do Jongo

A Câmara Municipal do Rio de Janeiro aprovou o...

Em Berlim, Criolo homenageia Sabotage e leva notícia: “SP não está fácil”

Criolo fez o terceiro show da turnê europeia de...
spot_imgspot_img

Obrigada Shirley

É com muita tristeza que compartilhamos a notícia do falecimento da Shirley Villela, nossa companheira e amiga, tecedora da Redes da Maré, de 2013...

NICHO 54 lança publicação inédita que investiga a história do Cinema Negro no Brasil 

Pesquisa que mapeou e consolidou dados sobre filmes produzidos por pessoas negras no Brasil de 1949 a 2022 encontrou 1.104 obras; 83% de toda...

Gilberto Gil é homenageado na Uerj por contribuições culturais ao país

Cantor, compositor, escritor, produtor musical, imortal da Academia Brasileira de Letras, ex-ministro da Cultura. Dono de vários talentos e posições, Gilberto Gil ganhou nesta...
-+=