Desembargadora Kenarik Boujikian afirma que a polícia paulista comete abusos graves contra negros e pobres

Polícia cometeu abusos graves na USP, afirma desembargadora Kenarik Boujikian Felippe

A desembargadora do Tribunal de Justiça de São Paulo, Kenarik Boujikian Felippe, co-fundadora e ex-presidente da Associação Juízes para Democracia, critica a ação da PM na USP. Em entrevista à jornalista Marilu Cabañas, a desembargadora comenta a truculência dos policiais contra o estudante Nicolas Menezes, que foi agredido e teve a arma apontada para a cabeça na Universidade. Kenarik afirma que a polícia paulista comete abusos graves contra negros e pobres.

 

Fonte: Brasil Atual

+ sobre o tema

Capitalismo é incompatível com democracia, afirma escritor Achille Mbembe

Um dos mais importantes pensadores do mundo, o camaronês Achille...

Juventude negra, ciência e educação

Mesmo com os avanços já promovidos pela lei 12.711/2012, que nacionalizou...

STF volta a proibir a apreensão de menores sem o devido flagrante nas praias do Rio

Após audiência realizada na manhã desta quarta-feira, em Brasília, o STF determinou...

para lembrar

Desde 2012, USP teve 9 denúncias de violência sexual contra mulheres

Dados da Guarda Universitária incluem 3 tentativas de estupro. No...

Fuvest 2010: 2ª fase começa neste domingo; veja o que esperar de português e redação

A Fuvest, que seleciona estudantes para a USP (Universidade...

O sistema de cotas étnico-raciais adotado pela USP

Após resistir por décadas em adoção do sistema de...

Fuvest divulga aprovados no vestibular 2022; saiba como fazer a matrícula

A lista de convocados em primeira chamada do concurso...
spot_imgspot_img

Superior Tribunal Militar julga recurso de condenados pela morte do músico Evaldo Rosa e do catador de latinhas Luciano Macedo, no RJ

O Superior Tribunal Militar (STM), em Brasília, julga nesta nesta quinta-feira (29) um recurso contra a condenação de oito militares do Exército pelas mortes do músico Evaldo Rosa e do...

Adolescente denuncia mulher por agressão e injúria racial em Rio Preto

Um adolescente de 13 anos denunciou ter sofrido injúria racial e ter sido esganado por uma mulher após discutir com o genro dela, em São...

Posicionamento: pela divulgação do Relatório de Monitoramento de Violações na Baixada Santista

Geledés -Instituto da Mulher Negra apoia a Comissão Arns e as organizações da sociedade civil no repúdio às execuções sumárias e com exigência de...
-+=