Dilma: “Bolsonaro não insulta apenas a mim, mas a milhares de vítimas da ditadura”

Enviado por / FontePor Jornal GGN

Ao desrespeitar quem foi torturado quando estava sob a custódia do Estado, escolhe ser cúmplice da tortura e da morte”, escreveu a ex-presidente

A ex-presidente Dilma Rousseff respondeu, em nota pública, na tarde desta segunda (28), à declaração de Jair Bolsonaro que ironizou e debochou da tortura sofrida pela petista durante a ditadura militar. Mais cedo, Bolsonaro disse a seguidores que até hoje aguarda ver um “raio-x” que prove que Dilma teve a mandíbula quebrada enquanto esteve presa pelo Estado. A ex-presidente ficou quase 3 anos detida ilegalmente, nos idos dos anos 1970.

Dilma respondeu que Bolsonaro é um indigno, cúmplice de torturador, que macula o cargo de presidente da República e ataca não apenas a ela, mas a todas as vítimas e familiares de vítimas do regime militar. Confira a íntegra abaixo:

*

ÍNDOLE DE TORTURADOR

Por Dilma Rousseff

Jair Bolsonaro promoveu mais uma de suas conhecidas sessões de infâmia e torpeza, falando a um pequeno grupo de apoiadores, nesta segunda-feira, 28 de dezembro.

Como não respeita nenhum limite imposto pela educação e pela civilidade, uma exigência a qualquer político, e mais ainda a um presidente da República, desmoraliza mais uma vez o cargo que ocupa. Mostra-se indigno ao tratar com desrespeito e com deboche o fato de eu ter sido presa ilegalmente e torturada pela ditadura militar. Queria provocar risos e reagiu com sórdidas gargalhadas às suas mentiras e agressões.

A cada manifestação pública como esta, Bolsonaro se revela exatamente como é: um indivíduo que não sente qualquer empatia por seres humanos, a não ser aqueles que utiliza para seus propósitos. Bolsonaro não respeita a vida, é defensor da tortura e dos torturadores, é insensível diante da morte e da doença, como tem demonstrado em face dos quase 200 mil mortos causados pela Covid-19 que, aliás, se recusa a combater. A visão de mundo fascista está evidente na celebração da violência, na defesa da ditadura militar e da destruição dos que a ela se opuseram.

É triste, mas o ocupante do Palácio do Planalto se comporta como um fascista. E, no poder, tem agido exatamente como um fascista. Ele revela, com a torpeza do deboche e as gargalhadas de escárnio, a índole própria de um torturador. Ao desrespeitar quem foi torturado quando estava sob a custódia do Estado, escolhe ser cúmplice da tortura e da morte.

Bolsonaro não insulta apenas a mim, mas a milhares de vítimas da ditadura militar, torturadas e mortas, assim como aos seus parentes, muitos dos quais sequer tiveram o direito de enterrar seus entes queridos.

Um sociopata, que não se sensibiliza diante da dor de outros seres humanos, não merece a confiança do povo brasileiro.

+ sobre o tema

Universidade e violência contra as mulheres: vamos falar sério?

As mulheres já são maioria nas universidades brasileiras. Combater...

O feminismo político do século XX

Este artigo integra revista semestral Margem Esquerda – ensaios marxistas,...

Parem de nos matar – por Maria Clara Machado

Em crônica publicada em janeiro de 1915, intitulada “Não...

Com Lei Maria da Penha, cresce divulgação dos direitos da mulher no País

BRASÍLIA - O terceiro aniversário da implementação da lei...

para lembrar

Time de meninas passa por grandes de São Paulo e é campeão de torneio masculino

Um dos principais celeiros de jogadoras de futebol feminino...

Tumulto na Marcha das Mulheres Negras foi racismo, afirma militante

Secretária de Combate ao Racismo da Confederação Nacional dos...

Quando Sueli Carneiro saiu

Surpreendente e dolorosa a saída da filósofa e ativista Sueli...

Por um outubro rosa feminista

Texto de Silvia Badim para as Blogueiras Feministas. Sim, câncer...
spot_imgspot_img

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...

Em reunião com a ministra das Mulheres, movimentos denunciam casos de estupros e violência em abrigos para atingidos pelas enchentes no RS

Movimentos feministas participaram de uma reunião emergencial com a ministra da Mulher, Cida Gonçalves, no final da tarde desta terça-feira (7), de forma online....

Documentário sobre Ruth de Souza reverencia todas as mulheres pretas

Num dia 8 feito hoje, Ruth de Souza estreava no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. O ano era 1945. Num dia 12, feito...
-+=