Doméstica que defendeu Dado Dolabella em caso de agressão agora processa ator

Uma ex-empregada doméstica que trabalhava com Dado Dolabella está movendo uma ação trabalhista contra o ator. Ela reclama que foi mandada embora sem receber 264 horas extras, além de cerca de R$ 1,2 mil referentes a dias trabalhados que não foram pagos. A ex-funcionária tem 55 anos e foi uma das testemunhas em favor do ator quando Dado foi acusado de agressão pela ex-mulher, Viviane Sarahyba, em 2010. Na ocasião, ela disse que Viviane a pressionou a escrever uma carta denunciando as agressões.

dado-dolabella.jpg

“Tinha um carinho grande por ele, mas me demitiu para colocar uma pessoa para ganhar a metade do que ganho, alegando que estava sem dinheiro para me pagar”, reclama Tânia Mara Netto, que ganhava cerca de R$ 1,5 mil. Tânia reclama que nunca teve a carteira assinada nem o INSS recolhido. “É importante para mim, para que possa me aposentar”. Dado, que ganhou R$ 1 milhão num reality show, alegou que passa por dificuldades desde que perdeu seu contrato na TV. Procurado pela Retratos da Vida, o ator não foi encontrado.

dado-dolabella2

Em julho do ano passado, o advogado de Dado Dolabella, Michel Assef Filho, conseguiu anular a condenação de Dado por agressão a Luana Piovani. Em 2008, a atriz foi empurrada pelo ator numa boate e enquadrou seu ex-namorado na Lei Maria da Penha.

Na ação, Dado Dolabella foi condenado, em regime aberto, a dois anos e nove meses de prisão. Mas o ator recorreu e o tribunal considerou que a atriz não pode ser amparada pela Lei Maria da Penha, por não ser uma mulher “hipossuficiente nem vulnerável”.

Dois dias depois, Dado Dolabella usou as redes sociais para comentar o caso: “Avisem pra Renata Gandalf que se eu tivesse batido nela (Luana) como “ELA AFIRMA”, ela, COM CERTEZA, não estaria na praia de biquíni poucas horas depois se beijando com seu atual ex Felipe Simão. Eu teria deixado marca! Pode ter certeza… Mas graças a Deus tenho minha consciência tranquila!!! Ela não tem uma marca!!! Veja o vídeo!! Ela cai de bêbada quando tenta me segurar cravando as unhas no meu braço!!! Sai pra lá! Agressão a mulher tem outro nome. COVARDIA. Isso você pode ter certeza que eu nunca fui!”.

No mesmo caso ele foi condenado a pagar R$ 40 mil por agressão à camareira Esmeralda de Souza Honório, a dona Esmê. Foi ela quem tentou separar a briga entre ele e Luana Piovani, que foi sua principal testemunha no caso.

Fonte: Extra 

+ sobre o tema

Aborto e machismo no mercado de trabalho

Nas últimas semanas, a grande mídia passou a dar...

Mulheres negras são hoje maior grupo nas universidades públicas do país

Discriminadas no mercado de trabalho, as mulheres negras tiveram uma série de...

Já parou para pensar como seria se homens fossem assediados, como as mulheres no cotidiano? (VÍDEO)

A comunidade pró-sororidade Vamos Juntas postou nesta quarta-feira (2)...

A Marcha das Vadias é necessária!

  Nota da Justiça Global em apoio à Marcha das...

para lembrar

Evento debate desafios e vivências de LGBTQ negros no universo cultural brasileiro

Artistas e personalidades debaterão preconceito e intolerância na cena...

É fácil reconhecer, denunciar e processar alguém por estupro?

A sociedade costuma colocar a responsabilidade do abuso sobre...

Governo defende liberar aborto

Programa federal retoma polêmica e recomenda ao Congresso descriminalizar...

Enfrentei aquele homem e faria tudo de novo

Muitos de vocês conhecem minha história. Diria até que...
spot_imgspot_img

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...

Justiça brasileira não contabiliza casos de homotransfobia, cinco anos após criminalização

O STF (Supremo Tribunal Federal) criminalizou a homotransfobia há cinco anos, enquadrando o delito na lei do racismo —com pena de 2 a 5 anos de reclusão— até que...

Maria da Conceição Tavares: quem foi a economista e professora que morreu aos 94 anos

Uma das mais importantes economistas do Brasil, Maria da Conceição Tavares morreu aos 94 anos, neste sábado (8), em Nova Friburgo, na região serrana do Rio...
-+=