quarta-feira, setembro 23, 2020

    Tag: domésticas

    Mirtes Renata Santana, mãe de Miguel Otávio Santana da Silva Imagem: JÚLIO GOMES/LEIAJÁIMAGENS/ESTADÃO CONTEÚDO

    Caso Miguel e pandemia expõem violações de direitos das domésticas

    O mês de junho trouxe à luz os desafios que temos, como país, para romper definitivamente com a herança escravocrata ainda tão ligada ao trabalho doméstico. No dia 2 de junho, em Pernambuco, Mirtes Renata Santana de Souza, empregada doméstica, foi obrigada a romper o isolamento social determinado pelas autoridades sanitárias. Não tendo com quem deixar o filho, o menino Miguel Otávio, de 5 anos, o levou ao trabalho, deixando-o aos cuidados temporários da patroa, enquanto teve que levar o cachorro da mesma para passear. Miguel morreu ao cair de uma altura de 35 m. Miguel e Mirtes não conseguiram cumprir as recomendações das autoridades sanitárias porque a patroa e seu cachorrinho não puderam ficar sem a mão de obra da empregada, expondo-se a riscos de contágio, de adoecimento e de morte. E a morte chegou, pelo caminho do descaso, da negligência, evidenciando diversos abismos sociais instalados em nossa sociedade. ...

    Leia mais
    Cena do filme Histórias Cruzadas

    Empregos domésticos: serviços “essenciais” ou necessidades “coloniais”?

    O prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho (PSDB), anunciou hoje, (07/05/2020), que as empregadas domésticas estariam dentro dos serviços essenciais no período de Lockdown – fechamento total de vias e comércios considerados não essenciais por 10 dias. A decisão do prefeito tem como base o decreto estadual assinado pelo governador do Pará, Hélder Barbalho (MDB). A informação causou revolta por parte das pessoas que lutam por dignidade e respeito às profissionais do serviço doméstico. A lei Federal (13.979), sancionada para o enfrentamento à pandemia no Brasil, não lista o serviço doméstico como essencial. Portanto, a decisão tomada em Belém por optar em expor às trabalhadoras domésticas sob os riscos de uma pandemia difere do entendimento nacional.  A branquitude, como fundante da escravidão e mantedora dos seus resquícios escravocratas, dialoga com a permanência da mentalidade e prática da maioria dos serviços considerados subalternos, a exemplo do trabalho doméstico. O prefeito de Belém, ...

    Leia mais
    Mulheres diaristas denunciam propostas indecentes em meio à pandemia Imagem: Arquivo pessoal

    Trabalhadoras domésticas denunciam crime sexual em meio à pandemia

    Mãe de uma menina de 1 ano, Nielly Vasconcelos, 23, perdeu, no início da quarentena provocada pelo coronavírus, há mais de um mês, as quatro faxinas semanais que fazia. É o marido que está conseguindo pagar as contas da casa onde moram, em Diadema (SP), fazendo bico como padeiro em três padarias. Além de todas as dificuldades, Nielly ainda teve que enfrentar assédio ao procurar um emprego. Ela costuma anunciar seus serviços em páginas no Facebook. Para sentir-se mais segura, Nielly afirma que nunca havia publicado o número de seu celular. Os interessados deveriam, num primeiro momento, chamá-la pelas redes mesmo, para que ela pudesse olhar o perfil da pessoa. "Uma amiga foi estuprada", ela justifica. "Uma pessoa trocou mensagem de texto com ela e a foto era de uma mulher. Quando ela chegou no local, o apartamento estava vazio, e o homem que se passou por outra pessoa cometeu ...

    Leia mais
    Bigstock

    Lockdown no Pará tem serviço doméstico como ‘essencial’, contrariando governo federal e MPT

    Decreto de lockdown publicado pelo governado Helder Barbalho prevê serviço doméstico como indispensável — Foto: Reprodução O decreto de lockdown no Pará, publicado na terça-feira (5), possui um inciso que causou polêmica: o serviço doméstico é citado entre os 59 setores essenciais que têm permissão para continuar operando durante a restrição. Nas redes sociais, o prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, reforçou que o decreto municipal de lockdown também indicará que as domésticas deverão continuar trabalhando na pandemia. A decisão, só adotada no Pará, vai na contramão do que indicam o decreto federal de serviço essencial e as recomendações do Ministério Público do Trabalho (MPT). Prefeito de Belém publica nas redes sociais que decreto municipal, seguindo o decreto estadual, também inclui doméstica como serviço essencial na pandemia — Foto: Reprodução/Twitter No Pará, de acordo com dados do Dieese-PA, são cerca de 200 mil ...

    Leia mais
    Trabalhadoras domésticas no Brasil estão sendo dispensadas sem pagamento por causa do coronavírus

    Coronavírus no Brasil: 39% dos patrões dispensaram diaristas sem pagamento durante pandemia, aponta pesquisa

    Desde o início da pandemia de coronavírus, 39% dos empregadores de domésticas diaristas abriram mão do serviço destas profissionais, sem entretanto manter o pagamento das diárias, indica uma pesquisa que será divulgada nesta semana. Tal percentual é ainda maior entre os entrevistados pertencentes às classes A e B - camadas da sociedade em que a renda por pessoa da família é superior ao teto de R$ 1.526 mensais que limita a classe C. Por  Ligia Guimarães, da BBC Trabalhadoras domésticas no Brasil estão sendo dispensadas sem pagamento por causa do coronavírus (Foto: Getty Images) Nesse grupo (A e B), o percentual de empregadores que dispensaram as diaristas sem pagamento é de 45%. A pesquisa indica ainda que 23% dos empregadores e empregadoras de diaristas e 39% dos patrões de mensalistas afirmaram que suas funcionárias continuam trabalhando normalmente, mesmo durante o período de quarentena. A pesquisa foi ...

    Leia mais
    blank

    Após morte de diarista no RJ, manifesto pede quarentena remunerada: ‘Cuide de quem cuida de você’

    Universitário, que é filho de empregada doméstica e se sensibilizou ao ver a morte da colega de profissão da mãe, já recebeu mais de uma centena de mensagens de outros filhos preocupados. 'Liberá-los, neste momento, é um gesto de humanidade'. Por Gabriel Barreira, G1 Filho de uma empregada doméstica fez manifesto por quarentena remunerada após morte de uma diarista por coronavírus (Foto: Arquivo pessoal) Marcelo Rocha estava no Rio a trabalho quando soube do primeiro caso de morte com sintomas de coronavírus no estado: uma diarista, de 63 anos. Ligou para a mãe, empregada doméstica, e ouviu que ela continuaria trabalhando. "Preciso fazer alguma coisa", concluiu. O universitário e arte-educador de 22 anos escreveu nas redes sociais um manifesto pelo o que chamou de "quarentena remunerada" a empregados e empregadas domésticas. Ou seja, o direito de continuar recebendo, mesmo sem trabalhar. Centenas de mensagens aflitas de ...

    Leia mais
    https://www.instagram.com/p/B8hByM5lH9M/

    Ex-empregada doméstica diz a Paulo Guedes que está indo a ONU

    Deputada estadual do Psol mandou recado ao ministro da Economia que discriminou as empregadas doméstica ao dizer que no período do real mais valorizado a empregada doméstica estava indo para a Disney, “uma festa danada”. No Vermelho Deputada estadual do PSOL/MG, Andreia de Jesus (Foto: Reprodução/Instagram @andreiadejesuus) A deputada estadual do PSOL em Minas Gerais, Andreia de Jesus, trabalhou como empregada doméstica e nas eleições de 2018 foi eleita com 17.689 votos para o mandato na Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Andreia mandou um recado nas redes sociais nesta semana para o Ministro da Economia, Paulo Guedes, que criticou “empregada doméstica indo de avião para a Disneylândia”, no que chamou de uma “festa danada”, para criticar os tempos em que a cotação do dólar estava abaixo de dois reais e justificar os maiores valores nominais da moeda estadunidense no Brasil nesta semana. “Ei, Paulo Guedes! Vai ...

    Leia mais
    Leonardo Sakamoto. (Foto: RFI/Rui Martins)

    Por que Guedes fala mal dos pobres? O psicanalista Christian Dunker explica

    "Paulo Guedes diz coisas inapropriadas, mas elas são dirigidas para um determinado setor da elite econômica, um grupo que compreende da mesma maneira que ele a subnarrativa do lugar de ricos e pobres. Deixa claro que eles precisam se aliar contra os pobres, que usam demais os serviços públicos, que andam demais de avião, que vão a lugares que não deviam ir." Por Leonardo Sakamoto, da UOL O psicanalista Christian Dunker (Foto: Reprodução/Redes Sociais) A avaliação é de Christian Dunker, psicanalista e professor titular do Departamento de Psicologia Clínica do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo. Ele é um dos coordenadores do Laboratório de Teoria Social, Filosofia e Psicanálise da USP e ganhador do prêmio Jabuti pelo livro "Estrutura e Constituição da Clinica Psicanalítica". Ao responder às reclamações do preço alto da moeda norte-americana, Paulo Guedes disse que o tempo do dólar baixo acabou. ...

    Leia mais
    Preta Rara: "Sei o que é ser impedida de usar o mesmo banheiro do patrão ou de se alimentar da comida que ela mesma faz para os seus senhores." Imagem: Arquivo Pessoal

    Ministro Paulo Guedes, fui empregada doméstica e preciso te dizer uma coisa

    O Brasil ainda vive um ranço colonial. Por isso, nem me assusto com comentários como o de Paulo Guedes pontuando como negativa a época em que o dólar estava baixo e que empregadas domésticas iam à Disney. "Uma festa danada", disse, sem nenhum constrangimento. Por Preta Rara, do Universia  Preta Rara: "Sei o que é ser impedida de usar o mesmo banheiro do patrão ou de se alimentar da comida que ela mesma faz para os seus senhores."/ Imagem: Arquivo Pessoal Ministro, o nosso lugar vem sendo construído há muitos séculos. Durante o período escravagista, os escravos domésticos eram tratados como se fossem da família. Hoje são as trabalhadoras domésticas que passam por situações que se assemelham no requinte de crueldade. Eu já fui empregada doméstica, e sei o que é ser impedida de usar o mesmo banheiro do patrão ou de se alimentar da comida ...

    Leia mais
    Foto: Reprodução/Facebook

    ‘É a fala de um senhor de engenho’, diz representante das domésticas sobre declaração de Guedes

    Ministro da Economia disse que empregadas domésticas estavam indo para a Disney com dólar baixo Da TUPI Foto: Reprodução/Facebook A Federação Nacional dos Trabalhadores Domésticos (Fenatrad) respondeu a fala do ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre domésticas nos Estados Unidos. A secretária-geral da Fenatrad, Creusa Maria Oliveira, comparou a fala do ministro da Economia, Paulo Guedes, com a de um senhor de engenho, nome que se dava aos donos de escravos. Creusa afirmou que as declarações de Guedes revelaram um pensamento preconceituoso e discriminatório da classe trabalhadora, mas disse que a fala do ministro não a surpreendeu, já que ela entende a administração dele como uma “condução da economia voltada para a precarização do trabalho”. “Não fiquei surpresa com as declarações dele porque revelam o pensamento preconceituoso e discriminatório com o qual o governo trata não só os trabalhadores domésticos mas também os servidores públicos. É ...

    Leia mais
    imagem: Valor Econômico

    Trabalho doméstico volta a crescer em SP; diaristas agora são maioria

    O trabalho doméstico voltou a crescer na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) em 2018 e as diaristas superaram as mensalistas com e sem carteira assinada como vínculo preponderante no serviço doméstico, apontam dados da Fundação Seade divulgados nesta quarta-feira. Por Thais Carrança no Valor Econômico imagem: Valor Econômico Em 2018, as mulheres representavam pouco menos da metade (46,1%) do total de ocupados da região metropolitana, mas quase a totalidade do trabalho doméstico (96,6%). O contingente de mulheres ocupadas no serviço doméstico no ano passado cresceu 10,2%, maior aumento entre todos os segmentos de atividade. Com esse crescimento, o serviço doméstico passou da quarta para a terceira principal ocupação das mulheres na região. As principais atividades exercidas pelas mulheres no ano passado eram ligadas à administração pública, educação e saúde (21,9%), seguidas pelo comércio (16,4%), serviços domésticos (14,5%) e alojamento e alimentação (14,3%). O crescimento da ...

    Leia mais
    Foto: NILTON FUKUDA/ESTADÃO

    330 mil domésticas perdem o registro

    Número de trabalhadoras com carteira assinada caiu 1,6% desde 2014 no País por Luciana Dyniewicz no O Estado de S.Paulo Foto: NILTON FUKUDA/ESTADÃO Enquanto o número de domésticas na informalidade avança em meio à crise econômica, o de empregadas registradas recua – um indicativo de que muitas estão perdendo os direitos trabalhistas recém-adquiridos. Desde 2014, quando a crise deu seus primeiros sinais, o total de trabalhadoras sem carteira aumentou 8,2%, enquanto o de empregadas com carteira diminuiu 1,6% – 330 mil perderam o registro. Ao todo, o efetivo de domésticas soma hoje 6,2 milhões de mulheres e representa quase 7% dos trabalhadores ocupados do País. “As domésticas são vítimas da crise. Muitas trabalhavam no comércio ou na indústria, mas, com a falta de oportunidades, agora atuam como domésticas. Se abrirem vagas em outras áreas, elas vão sair dos atuais empregos”, diz Cimar Azeredo, coordenador de trabalho e ...

    Leia mais
    blank

    “Volte pra favela” por Olivia Santana

    Foi este o brado insultuoso, semelhante ao autoritarismo dos capitães do mato, que a mim foi dirigido quando participava de um evento da Federação Baiana de Automobilismo, no dia 4 de fevereiro passado, no Hotel Catussaba. O destempero, extravasado como um impulso incontido, revelava o sentimento profundo daquela senhora, acompanhada e apoiada por sua amiga, irritada por estar dividindo com uma negra assumida e resolvida coma sua autoestima, o amplo espaço de um hotel de “elite”, como ela disse. por Olívia Santana enviado para o Guest Post de Geledés Realmente nasci na favela, como a maioria das negras e negros do nosso país.  Sou filha de uma doméstica que me criou com amor e admirável esforço, dando-me o pouco, que também era o melhor que ela tinha. Senti, cedo, o injusto e desproporcional peso de ser mulher, negra e pobre. Percebi que o estudo e a luta me seriam indispensáveis ...

    Leia mais
    blank

    Laudelina Campos de Melo, a heroína negra que lutou para garantir direitos às domésticas no Brasil

    Líder sindical teve uma trajetória que combinou luta por valorização do emprego doméstico, feminismo e ativismo pela igualdade racial. Por Amauri Terto, do HuffPost Brasil Nascida em Minas Gerais, Laudelina entrou para a história como a criadora do primeiro sindicato das domésticas do Brasil. A Proposta de Emenda Constitucional 66/2012, a PEC das Domésticas, foi aprovada em 2013. Por meio dela, a categoria passou a ter uma série de direitos garantidos, incluindo carteira assinada, FGTS, seguro desemprego, férias remuneradas e adicional noturno. De acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), existem hoje no Brasil cerca de 7,2 milhões de trabalhadores domésticos. Desse total, 93% são mulheres. E dessas mulheres, 62% são negras. A aprovação da emenda foi motivo de comemoração para milhares de trabalhadoras, que passaram a ter condições mais dignas de trabalho. Do outro lado, os empregadores se sentiram ameaçados com que chamaram de "encarecimento do serviço". Para além desse embate, importa ressaltar a ...

    Leia mais
    blank

    #EuEmpregadaDoméstica: Relatos da página vão virar livro com ajuda de crowdfunding

    Racismo. Machismo. Classismo. E por aí vai. A página do Facebook Eu Empregada Doméstica, desde quando foi inaugurada em julho deste ano, reuniu milhares de relatos de mulheres que trabalham ou já trabalharam como empregadas domésticas - e muitos reúnem discriminações como as colocadas acima. Fonte: Huffpost Brasil Agora, o projeto vai dar um salto adiante: publicar em livro os poderosos relatos, para fazer ecoar a voz das mulheres que contribuíram com a página e compartilharam suas histórias. Idealizada pela rapper Preta-Rara, ela própria ex-empregada doméstica, as histórias colocadas na página tiveram amplo alcance - portanto, nada mais pertinente que colocá-las em um belo projeto de livro. "A nossa voz ecoa não só na internet", diz Preta-Rara no vídeo abaixo. Ela quer que a publicação ocupe vários espaços. "A gente quer construir essa narrativa em conjunto. Com esse livro, nós vamos correr o Brasil e o mundo." Para tanto, foi ...

    Leia mais
    blank

    Formatura Trabalhadoras Domésticas

    É com alegria que THEMIS, CECA e OIT convidam para a formatura das alunas do curso Trabalhadoras Domésticas Promovendo Direitos. Enviado para o Portal Geledés  A cerimônia ocorrerá no dia 10 de dezembro, sábado, às 17h30min, no Auditório da Câmara Municipal de Vereadores de São Leopoldo (Rua Independência, 66, Centro, São Leopoldo/RS). Pedimos que confirme presença até o dia 09 de dezembro, sexta-feira, por esse e-mail ou pelo telefone (51) 3212.0104

    Leia mais
    blank

    “Não era só a minha história”, diz criadora de página que conta relatos vividos por empregadas domésticas

    Página “Eu empregada doméstica” acumula mais de 15 mil curtidas. A criadora da página, a rapper Preta Rara, trabalhou durante 7 anos como empregada doméstica em Santos (SP) Por Beatriz Sanz, da Revista Fórum  Atualmente, Joyce Fernandes concilia seu trabalho como professora de história com a carreira musical. No mundo do rap, ela é a Preta Rara. A santista de 31 anos, porém, trabalhou durante 7 como empregada doméstica. “Na terça-feira (19) eu estava cozinhando e lembrei das coisas que aconteciam quando eu era empregada doméstica. Resolvi postar um episódio no meu perfil, quando eu vi, já tinha 3, 50, 100 curtidas”. Ela conta que este foi o pontapé inicial para que ela criasse a página “Eu empregada Doméstica”. A página entrou no ar à meia-noite desta quinta-feira (21) e já conta com quase 15 mil curtidas até o momento. Ela diz que ficou surpresa com a repercussão do seu ...

    Leia mais
    blank

    Leia relatos de domésticas no Facebook

    Uma página no Facebook criada na quarta-feira, dia, 20, reúne relatos de mulheres que trabalham como empregadas domésticas e foram vítimas de humilhações e abusos por seus patrões. Do Catraca Livre  Há algumas horas no ar, a página já tem mais de 4 mil curtidas. "No dia 19 de julho comecei a relatar alguns casos que aconteceu comigo quando eu era empregada doméstica, e logo veio a ideia de expor não só a minha história, mas dividir isso com os meus seguidores aqui no Facebook e incentivar as pessoas a contarem os seus relatos ou relatos das mulheres de suas famílias que já foram ou são empregadas domésticas. Recebi muitos relatos e resolvi criar essa página para divulgar", diz a administradora da página. É possível enviar seu relato usando a hashtag #EuEmpregadaDoméstica. Confira alguns exemplos:

    Leia mais
    blank

    “Ser faxieneira é um orgulho”, diz Bethyna Nascimento que sofreu preconceito nas redes

    A Rainha de Bateria da Escola de Samba Chegou o que Faltava, Bethyna Nascimento Casagrande, compareceu na tarde desta quinta-feira (14) à Câmara Municipal de Vitória para receber uma moção de repúdio pelo fato de ter sofrido preconceito nas redes sociais pela profissão de faxineira. no 24Brasil "Você vai ter que fazer muita faxina para pagar sua fantasia”. Essa foi a mensagem que a jovem, de 22 anos, recebeu por mensagem no Facebook na manhã da última segunda-feira (12). Em discurso, de quase 3 minutos, Bethyna relembrou o preconceito sofrido e afirmou que ficou muito triste com a tentativa de denegrir sua imagem. Entretanto, reiterou que ser faxineira é um orgulho, um trabalho digno como qualquer outro, pelo qual consegue sustentar sua família, sua casa e seus sonhos. "Temos certeza que nós vamos combater isso. Diante de tanta hipocrisia de saber que nós mulheres sofremos tantos preconceitos, às vezes por sermos ...

    Leia mais
    blank

    Vote agora! Laudelina um aplicativo que auxilia empregadas domesticas sobre seus direitos

    VOTE AQUI Um app que fornece conhecimento e ferramentas para trabalhadoras domésticas lutarem por seus direitos Cerca de 70% das mais de 6 milhões de trabalhadoras domésticas no Brasil trabalham sem carteira de trabalho assinada. THEMIS vai ajudar essas mulheres, explicando seus direitos, proporcionando uma calculadora de salário, e conectando as trabalhadoras umas às outras. O projeto visa a atingir mais de 50% de todas trabalhadoras domésticas brasileiras até o final de 2019. A THEMIS e a FENATRAD está como finalista do Desafio Social Google 2016, com o projeto de criação do app LAUDELINA para trabalhadoras domésticas no Brasil. Precisamos de seu voto e apoio na divulgação para ganhar. Ao abrir o link todos os 10 projetos finalistas aparecem e você pode votar em até 4 projetos, mas estamos pedindo seu voto para a THEMIS. ...

    Leia mais
    Página 1 de 8 1 2 8

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist