Líder de luta das domésticas receberá título de doutora honoris causa

Creuza Oliveira é presidente de honra da Federação Nacional das Trabalhadoras Domésticas e receberá honraria da Universidade Federal da Bahia

Uma das pioneiras da luta das trabalhadoras domésticas no Brasil, a sindicalista e ativista Creuza Oliveira vai receber o título de doutora honoris causa concedido pela UFBA (Universidade Federal da Bahia).

O título foi proposto pelas professoras Elisabete Aparecida Pinto, Marina Silva e Patrícia Zucoloto, do Instituto de Psicologia, e aprovado em 29 de junho pelo Conselho Universitário da UFBA.

Baiana de Santo Amaro, cidade do Recôncavo baiano, Creuza Oliveira é uma das mais importantes líderes da luta pelas trabalhadoras domésticas e presidente de honra da Federação Nacional das Trabalhadoras Domésticas.

Foi protagonista na luta pela aprovação em 2013 da PEC das Domésticas, a Proposta de Emenda Constitucional que garantiu às trabalhadoras domésticas direitos trabalhistas semelhantes ao de outras profissões. Também se destacou pela militância no movimento negro, em defesa dos direitos das mulheres e contra a exploração do trabalho infantil.

“Esse título não é só meu, é um título merecido por toda a categoria. A luta das domésticas tem mais de 80 anos de organização sindical e teve a participação de muitas pessoas. É importante reconhecer e dar visibilidade a essa história”, afirmou Creuza em entrevista à Folha.

Em nota, a UFBA classificou a honraria como marco da história do Instituto de Psicologia e “uma importante expressão do nosso projeto de unidade acadêmica comprometida e em diálogo permanente com a vida social e com riqueza de saberes que a diversidade humana tem a nos ensinar.”

Creuza Oliveira começou a trabalhar como empregada doméstica em Santo Amaro, aos 9 anos, para ajudar no sustento da família. Mudou-se para Salvador, aos 14 anos, continuou sua trajetória trabalhando em casas de famílias e, aos poucos, engajou-se na luta pelos direitos da categoria.

Nos anos 1980, aos 28 anos, passou a integrar um grupo de pessoas que se reuniam para discutir os direitos dos trabalhadores domésticos, duas vezes por mês.

Um ano depois, em 1986, fundou a Associação das Empregadas Domésticas da Bahia. Quatro anos depois, ajudou a fundar e foi a primeira presidente do Sindicato dos Trabalhadores Domésticos da Bahia.

Em Salvador, ajudou a idealizar a construção do Conjunto Habitacional 27 de abril, no bairro do Doron, inaugurado em 2012. O condomínio é composto por quatro prédios, uma creche e exclusivo para trabalhadoras domésticas.

Em julho deste ano, Creuza Oliveira também recebeu a comenda da Ordem Dois de Julho, principal honraria do Governo da Bahia. A medalha homenageia personalidades que se destacaram na garantia das liberdades públicas e foi parte das comemorações pelos 200 anos da Independência do Brasil na Bahia.

+ sobre o tema

Vídeo: estrelas de Holywood dão respostas contra o sexismo

Por que em festas e cerimônias célebres, como o...

O machismo não tem graça! Nota de repúdio à charge do jornal O Globo.

Nós, mulheres e feministas da Marcha Mundial de Mulheres...

Ela é negra do Brasil

Nilma Lino Gomes assume a Unilab como a primeira...

para lembrar

Mc Soffia: “Todo tipo de racismo só me fortalece”

Apesar da pouca idade, a cantora muito mais conteúdo...

Narrativas não expressam diversidade brasileira, dizem escritoras

Mais de 70% dos livros publicados no Brasil entre...

Por que Maryse Condé, premiada e contestadora, é cada vez mais lida no Brasil

Há cinco anos, a escritora Maryse Condé ganhou um prêmio que,...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=