Dr. Fred Nicácio posta reação de idosa ao ser consultada pela primeira vez por um médico negro

Dr. Fred Nicácio, de 31 anos, atendeu idosa em Conceição de Macabu e fez a reflexão: “Por quantos médicos negros você já foi atendido na sua vida? Será que terá que esperar 74 anos igual a Dona Eunice?”.

por Juliana Scarini e Ariane Marques no G1

Médico de Campos, RJ, atendeu Dona Eunice em Conceição de Macabu, também no interior do Rio. — Foto- Reprodução:Facebook

Um médico postou a reação de uma paciente idosa que, pela primeira vez, havia sido consultada por um negro em toda a sua vida. Dr. Fred William Nicácio, de 31 anos, que fez o atendimento em um hospital municipal de Conceição de Macabu, no Norte Fluminense, decidiu falar desse encontro nas redes sociais para provocar uma reflexão sobre o número de médicos negros no Brasil.

“Essa é a Dona Eunice, e no auge dos seus 74 anos, foi a primeira vez que foi consultada por um médico negro. Obrigado por me dar essa honra, Dona Eunice”, disse ele na postagem.⠀⠀⠀

Dr. Fred conta que ela entrou no consultório com o neto de 9 anos. E que ficou olhando com admiração.

“Ela ficou com aquela carinha de admirada, de quem está vendo uma coisa muita especial, que o olhinho chegava a brilhar. Estava com um sorriso contido e aí eu percebi essa face dela de contentamento, e eu falei assim: ‘tudo bem com a senhora?’. E ela disse que sim, mas que queria tirar uma foto comigo. Eu disse: ‘claro, mas por que?’. Foi quando ela revelou que era a primeira vez que estava sendo atendida por um médico negro. Aí ela me ganhou, me desmanchou, e deu nisso daí”, disse Dr. Fred.

Fred Nicácio ao lado do companheiro, o Dr. Fábio Gelonese. O casal está junto há mais de três anos — Foto- Reprodução: Facebook

A consulta aconteceu no mês de agosto. Ao G1 o médico disse que o preconceito existe e espera que a postagem ajude a mudar a visão das pessoas.

“Isso me motivou a postar para fazer esse questionamento: por quantos médicos negros você já foi atendido na sua vida? Será que você vai ter que esperar 74 anos igual a Dona Eunice para poder ser atendido? “, questiona Fred William.

A idosa levou o neto de 9 anos para ser atendido, o que foi motivo de alegria para Fred William, que é natural de Campos do Goytacazes e aluno bolsista sócio-social do 6º ano de medicina na Unig, no Campus 5.

Fred William Nicácio é natural de Campos dos Goytacazes e bolsista sócio-social na Unig, em Itaperuna — Foto- Arquivo Pessoal:Fred Nicácio

“O mais incrível dessa história é que o neto dela não precisou esperar 74 anos para ser atendido por um médico negro”, afirmou o estudante na rede social.

Dr. Fred afirmou que, como médico, tem um importante papel na luta contra o preconceito racial, principalmente após a exposição da história na internet.

“Eu assumo que eu tenho esse papel e agora ainda mais com essa exposição. Tenho uma responsabilidade com essas questões e chega a me emocionar saber que eu sou voz, uma voz para milhões de pessoas. Então, isso precisa mudar. Eu quero ser agente dessa mudança e, se Deus quiser, serei”, afirmou Fred.

+ sobre o tema

Ilê Aiyê une Pernambuco e Bahia na Semana Pré do Recife

Principal grupo afro da Bahia se apresentará pelas ruas...

Aluno de medicina exerce profissão ilegalmente no NE

Por: MATHEUS MAGENTA Falta de profissionais já formados...

para lembrar

Remédios contra Aids prolongam vida, mas ainda causam graves efeitos colaterais

Dificuldade de viver com a doença é ignorada pela...

Candidatos precisam saber a diferença entre “aborto” e “direito ao aborto”

 Eduardo Campos, pré-candidato à Presidência da República pelo PSB,...

A saúde privada oferece assistência de qualidade?

Nota do Brasil Debate A saúde, direito social garantido pelo artigo...

Pobres demais para interessarem ao mercado?

Quatro mil mortos, sobretudo na Guiné, Serra Leoa e...
spot_imgspot_img

Seminário promove debate sobre questões estruturais da população de rua em São Paulo, como moradia, trabalho e saúde

A Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), a Comissão de Defesa dos Direitos Humanos D. Paulo Evaristo Arns – Comissão Arns...

A indiferença e a picada do mosquito

Não é preciso ser especialista em saúde para saber que condições sanitárias inadequadas aumentam riscos de proliferação de doenças. A lista de enfermidades que se propagam...

Mulheres pretas e pardas são as mais afetadas pela dengue no Brasil

Mulheres pretas e pardas são o grupo populacional com maior registro de casos prováveis de dengue em 2024 no Brasil. Os dados são do painel de...
-+=