Em disco de peso, Titãs falam sobre racismo, violência policial e pedofilia

MAURO FERREIRA

‘Nheengatu’ esboça retrato forte do Brasil, a ‘República dos bananas’, como o país é denominado em uma das faixas

Rio – “Te chamam de macaco / Te julgam pela cor da pele”, bradam os Titãs em versos de música, ‘Quem são os animais?’, que soa bem atual quando a discussão do racismo está em pauta no Brasil pela atitude do jogador de futebol Daniel Alves, que comeu banana lhe atirada em campo por torcedor. O rock ‘Quem são os animais’ fecha ‘Nheengatu’, disco que devolve peso ao grupo Titãs.

Produzido por Rafael Ramos, ‘Nheengatu’ honra o legado de banda que já produziu clássicos como ‘Cabeça dinossauro’ (1986), mas que tinha causado até vergonha com ‘Sacos plásticos’, CD de 2009 feito com Rick Bonadio. Lançado esta semana, ‘Nheengatu’ esboça retrato forte do Brasil, a ‘República dos bananas’, como o país é denominado em outra faixa.

Titãs honram seu passado em ‘Nheengatu’, álbum produzido por Rafael Ramos que inclui regravação de ‘Canalha’, música de Walter Franco

‘Nheengatu’ apresenta registros de estúdio das músicas apresentadas pelos Titãs — com mais peso — no show ‘Inédito’ (2013) e acrescenta outros petardos ao repertório do quarteto. ‘Fardado’, rock de virulência punk sobre a violência policial, é um deles. Parceria de Paulo Miklos com Arnaldo Antunes, que versa sobre o ciclo interminável da morte (as naturais e as provocadas), ‘Cadáver sobre cadáver’ é outro destaque de disco que aborda temas espinhosos.

‘Pedofilia’ é exemplo da intenção do grupo de tocar em questões fortes. A letra foi escrita sob a ótica da vítima enojada do ato de violência. “Sou só nojo de mim / Só nojo, por dentro”, dizem versos cuspidos pelo grupo.

Os arranjos de ‘Nheengatu’ têm mais nuances do que os do show ‘Inédito’. Mas as guitarras dão o tom ‘hard’ do rock ‘Fala, Renata’ e de ‘Chegada ao Brasil (Terra à vista)’. Com críticas às instituições religiosas (‘Senhor’) e releitura de música do compositor paulista Walter Franco (‘Canalha’), ‘Nheengatu’ é o CD que os Titãs deviam ao público que se manteve fiel.

 

 

Fonte: O Dia

+ sobre o tema

Sakamoto: Depois de muito tempo, este blog desce do pedestal e responde a um leitor

por Leonardo Sakamoto Detesto fazer o que chamo...

TIRIRICA E SARNEY

Por: Luis Fernando Veríssimo Richard Nixon certa vez...

Fica MUF: Museu de Favela está perdendo seu espaço

A ONG Museu de Favela - MUF é uma...

para lembrar

Corregedoria da Câmara de SP aprova cassação de vereador por fala racista

A Corregedoria da Câmara Municipal de São Paulo aprovou...

Curiosidade sobre como vivem pobres alimenta turismo nas favelas

No início do século 20, a curiosidade sobre como...

Por que ser antirracista é tão importante na luta contra a opressão racial?

O Laboratório de Estudos de Gênero e História, da...

James Cone, teologia negra da libertação e luta antirracista

No dia 28 de abril de 2024, completa-se 6 anos da morte do pastor e teólogo James Cone, o sistematizador da teologia negra. Esta...

Com a mão erguida e o punho cerrado eu grito: fogo nos eurocêntricos cientistas-cientificistas

A verdade é que esse mundo é uma Ameaça. Uma Ameaça a certas gentes. Uma Ameaça a certas não-gentes. Uma Ameaça a redes, a...

Aluna ganha prêmio ao investigar racismo na história dos dicionários

Os dicionários nem sempre são ferramentas imparciais e isentas, como imaginado. A estudante do 3º ano do ensino médio Franciele de Souza Meira, de...
-+=