Em Minas, Polícia Civil indicia homem por publicação racista no Facebook

O homem que fez a postagem no seu perfil do Facebook disse que estava brincando e não dirigiu a mensagem a uma pessoa. O delegado não aceitou a desculpa

A Polícia Militar prendeu nesta sexta-feira (10/9), em Ubaporanga, no Vale do Rio Doce, um homem de 43 anos de idade, acusado de prática de racismo nas redes sociais. Ele postou em seu perfil, no Facebook, uma mensagem considerada racista por um internauta, que, ao ler, printou a postagem e chamou a polícia.

“Preto é gente só quando tá dentro do banheiro. Você bate na porta e eles dizem: tem gente?”. Esta foi a mensagem que levou o autor à prisão. A primeira pessoa para a qual o denunciante mostrou o print foi um sargento da PM, que em 18 de março de 2021 foi vítima de injúria racial praticado pelo mesmo autor da postagem. A Polícia Militar foi à casa do autor da mensagem e o conduziu até a delegacia.

O delegado de Polícia Civil de Caratinga, Ivan Sales, que indiciou o homem por racismo, diz que, ao ser ouvido pelos policiais de plantão, o suspeito afirmou que a postagem era uma brincadeira e que ele não havia se dirigido a uma pessoa, especificamente.

“Essa justificativa dele não convenceu a Polícia Civil. Em março deste ano ele já havia tomado atitude semelhante, ao chamar um sargento da Polícia Militar de ‘macacão’. Então, ele sabe que a conduta dele foi criminosa”, explica o delegado.

Segundo o delegado, as pessoas não têm levado a sério o comportamento nas redes sociais. “As pessoas precisam parar de pensar que rede social é terra de ninguém. Liberdade de expressão não significa ter liberdade para praticar crimes”, alerta.

Mesmo com o indiciado afirmando que a postagem era uma brincadeira, e que não era dirigida a uma pessoa específica, o delegado fez o indiciamento por crime de racismo, porque discriminação do povo negro. O inquérito policial foi encaminhado ao judiciário.

Se for condenado, ele poderá pegar de 2 a 5 anos de prisão e pagamento de multa.

+ sobre o tema

STF volta a proibir a apreensão de menores sem o devido flagrante nas praias do Rio

Após audiência realizada na manhã desta quarta-feira, em Brasília, o STF determinou...

Adolescente denuncia mulher por agressão e injúria racial em Rio Preto

Um adolescente de 13 anos denunciou ter sofrido injúria...

para lembrar

Internet e a geografia do turismo sexual

Os espaços virtuais destinados ao sexo, considerados principais veículos...

BlackRocks Startups fecha parceria com o TikTok

O BlackRocks Startups (BRS) - Hub de inovação que...

Niousha Roshani, antropóloga: ‘O discurso de ódio on-line pode matar’

Pesquisadora do Berkman Center, da Universidade de Harvard, iraniana...

O que um intelectual e um youtuber possuem em comum?: vitimismo e branquitude 

Uma característica da branquitude é o vitimismo. Essa afirmação...
spot_imgspot_img

Campanha denuncia desigualdade no acesso à internet com as ‘franquias de dados’

 Direito essencial, o acesso à internet no Brasil é barrado à população mais pobre pelo limite dos pacotes de dados móveis. Para as classes...

Anielle defende punição mais rígida para crimes de racismo

A ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, disse, nesta quarta-feira (1º), que é preciso fazer com que os brasileiros passem a ter consciência racial....

Mulheres negras blogueiras, responsabilidade e ação

O trabalho de uma mulher negra blogueira não tem o devido reconhecimento e visibilidade, mesmo que seus artigos alcance milhares de leitores. Existe uma visão...
-+=