Empresários negros baianos debatem ações na Copa do Mundo

A voz do empresariado negro baiano foi ouvida durante o I Encontro com Empresários Negros e a Secretaria Estadual da Copa 2014 (Secopa), realizado nesta quarta-feira (14/12), no hotel Sol Vitória Marina, em Salvador, e que reuniu cerca de 40 das mais expressivas representações dos segmentos da gastronomia, cultura, moda, construção civil e imobiliária.

O debate, provocado pela vereadora Olivia Santana (PCdoB), contou com a participação do Secretário da Secopa, Ney Campello, que aproveitou a oportunidade para reafirmar o desejo de que o evento traga grandes resultados para a Bahia, nos chamados Legados Sociais.

O Secretário destacou a realização do encontro, afirmando que “uma rede social de legados é o leito natural de todos os debates da sociedade e é preciso trabalhar de forma conjunta, com os diversos segmentos, para que no final todos possamos ganhar com a Copa do Mundo”, concluiu.

Para a vereadora Olivia Santana, o objetivo do encontro foi plenamente alcançado, uma vez que os empresários presentes tiveram um diálogo de alto nível e propositivo. “Não foi um encontro de lamentações. Ao contrário, os empresários negros da Bahia chegaram trazendo ideias, propostas e alternativas para o nosso futuro. O resultado foi grandioso, pois discutimos possibilidades de ação numa Copa do Mundo que está de olho no social”, afirmou Olívia.

O empresário Manoel Antonio dos Santos, responsável pela industrialização do acarajé, enalteceu a realização do encontro e lembrou, emocionado, da sua infância “pobre, sendo criado passando fome e que hoje vê um País com fartura e com mais união, a exemplo do que temos nesse encontro”, destacou.

Empresário do setor imobiliário, Jorge Silva também destacou a ideia do Encontro de Empresários Negros, mas solicitou que outras ações fossem tomadas, para que a semente plantada neste encontro possa dar bons frutos no futuro. Com isso foi criada uma comissão provisória que vai discutir novos encontros e sugestões de atuação do segmento, visando a uma maior participação nas ações da Copa do Mundo.

A nutricionista, Adriana Neiva, integrante da Associação das Quituteiras do Nordeste, destacou a oportunidade dos pequenos empreendedores estarem inseridos na Copa do Mundo, ajudando a melhorar as suas comunidades, como é o caso do Nordeste de Amaralina. “Os pequenos também podem fazer parte do bolo e nós temos capacidade para mostrar o nosso trabalho”, lembrou.

Clarindo Silva, da Cantina da Lua, aproveitou a oportunidade para solicitar o apoio na luta pela revitalização do Pelourinho, o que vai ajudar ainda mais no fortalecimento dos comerciantes e dos artistas da área.

Fonte: Vermelho

+ sobre o tema

Programa “Maus Médicos”: em São Paulo, eles entram, batem o ponto e vão embora

  O repórter Fábio Brilhante, do SBT, e sua...

Maternidade obrigatória, paternidade facultativa

Ainda hoje, muita gente insiste que não precisamos do...

Janine dá aula de ética a Lobão Filho

"A corrupção, como insistimos alguns há muitos anos,...

Médicos estrangeiros começam a trabalhar no Brasil em setembro

Em setembro médicos estrangeiros começam a trabalhar nas cidades...

para lembrar

spot_imgspot_img

João Cândido e o silêncio da escola

João Cândido, o Almirante Negro, é um herói brasileiro. Nasceu no dia 24 de junho de 1880, Encruzilhada do Sul, Rio Grande do Sul....

Levantamento mostra que menos de 10% dos monumentos no Rio retratam pessoas negras

A escravidão foi abolida há 135 anos, mas seus efeitos ainda podem ser notados em um simples passeio pela cidade. Ajudam a explicar, por...

Racismo ainda marca vida de brasileiros

Uma mãe é questionada por uma criança por ser branca e ter um filho negro. Por conta da cor da pele, um homem foi...
-+=