Enquanto isso no Brasil: Rafaela Silva e COB desistem de caso de racismo

O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) informou nesta terça-feira que não dará prosseguimento ao caso de racismo que a judoca Rafaela Silva teria sofrido por meio do Twitter. A entidade repudiou o incidente e chegou a consultar seu departamento jurídico sobre o caso, mas a própria atleta optou por não buscar a Justiça.

De acordo com Rosicléia Campos, treinadora da Seleção feminina, a judocarecebeu mensagens de cunho preconceituoso pela rede social após sua eliminação nas oitavas de final da Olimpíada de Londres na categoria até 57 kg.

“Chamaram de macaca, que tinha que ir para jaula. Que país é esse que a cor de pele justifica um ato assim?”, questionou a técnica. Rafaela recebeu ofensas e cobranças pesadas por parte de internautas após sua derrota para a húngara Hedvig Karakas por desclassificação após tentar um golpe ilegal.

Uma usuária do Twitter reclamou com a atleta pelo microblog: “cara, que vexame. Não te ensinaram a jogar limpo? Mais uma que foi para fazer o Brasil passar vergonha e chorar”, escreveu @Dri_Caldeira. Irritada, Rafaela respondeu: “e quem é você pra falar de mim? Outra que não tem o que fazer fica e aqui tomando conta da vida dos outros”.

Entre as principais acusações, a internauta chamou a atleta de “desonesta” e disse que “faltou espírito olímpico”: “é dinheiro do povo que te manda pra Londres, emporcalhar o nome do País!! Chega de desonesto no país!!”, continuou a tuiteira.

Matérias relacionadas:

Atleta grega é expulsa dos Jogos por racismo no Twitter

Olimpíadas 2012: Atleta suíço é banido dos Jogos por racismo

Olimpíadas 2012: Jogador suíço chama “atrasados mentais” aos rivais sul-coreanos

 

Confira a seguir na íntegra o comunicado emitido pelo COB:

Nota do Comitê Olímpico Brasileiro:

O Comitê Olímpico Brasileiro (COB), a Confederação Brasileira de Judô e a Missão Brasileira nos Jogos Olímpicos Londres 2012 repudiam qualquer manifestação de racismo, seja contra atletas, membros de delegações ou qualquer outra pessoa.

O Brasil é um país multirracial e não se deve admitir e tolerar, sob nenhuma hipótese, atitudes que estimulem qualquer tipo de segregação.

A Missão Brasileira em Londres, prestando auxilio jurídico a atleta, consultou o departamento jurídico do COB sobre as medidas legais que possam ser tomadas.

No entanto, a própria Rafaela Silva não pretende dar prosseguimento ao caso.

Atenciosamente,

COB – Relações com a Imprensa

Fonte: Jornal do Brasil

+ sobre o tema

“Não esperava ódio”, diz autora de projeto antirracismo, alvo de… racismo

A campanha fotográfica, divulgada em um Tumblr na semana...

Pioneira, Uerj vira “Congo” depois de implantar cotas

MORRIS KACHANI ENVIADO ESPECIAL AO RIO Até dez anos...

Fábio Konder Comparato:Uma questão de justiça social

Entre os dias 3 e 5 de março, 45...

para lembrar

‘Essas negas querem usar o elevador social’ diz réu que terá de indenizar vítima de racismo

  Decisão unânime da 2ª Turma Recursal dos Juizados Especiais...

Racismo e agressão física a menores no Center Shopping de Uberlândia, Minas Gerais

Tania Pacheco – Combate Racismo Ambiental Center Shopping de Uberlândia O episódio...

Fotógrafo vítima de racismo procura OAB/RJ e tem caso revertido

Em 8 de dezembro de 2010, o fotógrafo Izaqueu...
spot_imgspot_img

Uma pessoa negra foi morta a cada 12 minutos ao longo de 11 anos no Brasil

Uma pessoa negra foi vítima de homicídio a cada 12 minutos no Brasil, do início de janeiro de 2012 até o fim de 2022....

Como as mexicanas descriminalizaram o aborto

Em junho de 2004, María, uma jovem surda-muda de 19 anos, foi estuprada pelo tio em Oaxaca, no México, e engravidou. Ela decidiu interromper...

Como o diabo gosta

Um retrocesso civilizatório, uma violência contra as mulheres e uma demonstração explícita do perigo que é misturar política com fundamentalismo religioso. O projeto de lei...
-+=