Entrevista: Akon leva energia para 600 milhões de pessoas na África

Entrevista com Akon sobre seus novos projetos 
Sem-Título-4-1024x806
 Embora o público não tenha visto isso acontecer no BET Awards 2016, Akon foi sim aclamado com o primeiro prêmio “Bem Global” da história do BET. O artista foi prestigiado com o prêmio por ações humanitárias, o qual veio como um resultado de seu projeto que busca fornecer energia extraída do Sol para 600 milhões de pessoas na África.
 O momento de entrega do prêmio entretanto foi cortado da transmissão ao vivo. Uma circunstância realmente infeliz, porém o magnata de 43 anos de idade, e de renomado nome no Hip Hop, filantropo e militante das causas raciais entre outras coisas, trabalha incansavelmente para a melhoria de vidas sem qualquer anseio de ganho pessoal, que é provavelmente o motivo de você não ter ouvido falar dele se gabando de seu projeto desde a sua criação em 2014.
Já o Snoop Dogg de bom grado cuidou dessa divulgação,
Veja a entrevista exclusiva com o Akon.
Você sabe bem como a internet e a mídia funcionam, ano passado você anunciou seu projeto na Africa, mas muitas pessoas disseram que foi abafado por conta do caso envolvendo a Caitlyn Jenner e Snoop Dogg, no qual ele postou uma imagem sua dizendo que seus feitos não eram notícia mas a transformação de Caitlyn era. O que você achou disso? Você acha que teve uma boa repercussão com esse caso? 
 Akon: Eu estava tranquilo quanto a isso. Eu senti que essa situação trouxe mais luz para o projeto do que confusão, e isso foi honestamente uma bênção para mim. Eu me meter nesse caso só faria dar mais publicidade contrária. É por isso que eu nunca disse nada sobre isso. Eu simplesmente fui lá e fiz, e eu acho que graças à Deus era uma situação que estava destinada a acontecer para ser conhecido (o projeto). E eu acho que situações como essas são muitas vezes mais uma bênção do que maldição entende?
Então queremos começar a história exatamente do inicio, o que é esta iniciativa? Como isso começou, quando isso aconteceu? Você estava em casa e você pensou “Os africanos precisam de energia”, Conte-nos? 
 Akon: Bem, na verdade, você me conhece, eu mesmo cresci sem eletricidade, água corrente limpa, e sem as necessidades básicas. Vim de uma aldeia “Kaolack” no Senegal e eu era uma daquelas crianças africanas carequinhas correndo e brincando de jogar futebol com os pés descalços, apenas curtindo a vida como ela é, e não percebendo o quanto uma eletricidade era importante, porque eu não tinha isso. Então, eu estava feliz como eu era, mas depois quando me mudei para os Estados Unidos e tive a experiência, foi quando eu fui realmente capaz de entender o que era a eletricidade, e quanto impacto isso teve na minha vida. Voltando para casa, era quase como se eu me sentisse nu, literalmente. Foi uma daquelas coisas, um monte de coisas que eu tinha e gostava de fazer nos EUA, eu simplesmente não podia fazer lá. Um monte de coisas que eu precisava, e que precisava ser feito, simplesmente não estava acontecendo. Muito tempo depois de ter saído de lá, 15/20 anos depois, eu fui à casa de um amigo num bairro antigo para visitar minha avó, e a situação ainda era a mesma. Mesma aldeia, nenhum desenvolvimento, sem eletricidade, e você sabe como é viver em 2010/2013 sem eletricidade, é quase impossível. Então, eu só queria que eles fossem capazes de experimentar o que a vida era.
Como exatamente vocês estão trazendo a energia? Você teve que obter uma licença para eletricidade ou uma sanção do governo? Como está acontecendo? Você teve que terceirizar empreiteiros? 
 Akon: É então, a forma como o nosso projeto funciona, é que todos nós estamos trabalhando com o governo porque queremos fazê-lo com uma boa base. A ideia é eletrificar toda a área rural até onde as cercas não vão, na África sol é ilimitado. O sol é o nosso maior recurso, e não temos chances de usar o sol para trazer essa energia, sendo assim a energia solar tornou-se o nosso principal foco, de como trazer energia para essas áreas. Por isso, criamos uma PPP (Parceria Pública Privada), com o governo, onde você pode trazer os investidores privados, o governo subsidiar, e as pessoas também a terem um acesso para poder entrar e investir. Isso realmente funciona, pois, todo mundo é responsabilizado, as pessoas estão ajudando o processo e os investidores são capazes de obter seu dinheiro de volta. Nossa equipe está assessorando todo o processo.
 Atualmente a África é conhecida como um continente que hospeda um monte de outros países do terceiro mundo, mas é também o berço de algumas das pessoas mais inteligentes na terra, e você é obviamente, um exemplo vivo disso. Onde está a desconexão aí? 
 Akon: A desconexão é simples e clara: é só educação ! Eu acho que, mais sobre África precisa ser exposto lá fora, as pessoas precisam se educar mais sobre África. Eu não acho que seja responsabilidade dos sistemas escolares de fazer isso. É mais sobre a pessoa querer conhecer a história, para compreender sua origem, e coisas dessa natureza . E eu acho que chegamos ao ponto em que algumas coisas simplesmente não importam realmente até você entender a base e a raiz de onde veio. E então, você começa a entender melhor os desafios que você está enfrentando, as situações que podemos passar, o seu avanço e etc, Tudo isso vem de sua história. Acho que quanto mais você começa a compreender a si mesmo , a origem no qual você veio, você obtém uma melhor compreensão até mesmo de como o seu futuro deve ser exibido.
 
 Além da música, você se elevou à uma posição não só de fornecedor de energia de sua cidade, mas de seu continente inteiro. Você olha para um álbum como “Convikt” e é apenas o equilíbrio perfeito de Pop, R&B e Hip- Hop. Agora você vê caras que estão liderando a parada como Drake, Fetty Wap e Future fazendo exatamente o que você está fazendo. Você se sente como um padrinho deste tipo de estilo?
 Akon: Eu gosto do fato, de que eu posso dizer que eu contribuir para a coisa toda, a melodia do rap. Porque quando eu comecei, eu era um rapper e virei cantor; que é como T-Pain foi criado. Eu comecei a fazer rap primeiro e depois percebi que é a melodia que gruda em você, porque se você quer ser um artista internacional, você vai estar criando músicas e temas em áreas onde as pessoas não entendem o que você está dizendo, então como eles irão lidar com isso, copiar e cantar junto sem ser capaz de se relacionar com o que você está fazendo ? Mas através da melodia, independentemente do que você está dizendo, você sempre pode sentir a energia e a vibração da coisa e é isso que me fez começar a fazer rap e cantar todo tipo de coisa, mas eu posso definitivamente apontar hoje um monte de gente que está fazendo isso da melhor maneira. Para ser honesto, eu sou um grande fã de um monte de música que está nas paradas hoje. Me instiga e me lembra muito de mim mesmo, mas eu amo a forma como eles transformaram e elevaram a outro nível essa coisa. É muito interessante como a música evoluiu a esse nível neste momento.
Uma iniciativa como a Iluminando a África é obviamente um processo demorado, um monte de negócios, um monte de reuniões e tudo. Você está muito longe de voltar à sua carreira musical no momento? Podemos obter algo novo do Akon antes do ano acabar? 
Akon: Sem dúvidas, Independentemente do que está acontecendo fora da música , a música está sempre sendo criada porque acredite ou não, isso tudo é parte do conteúdo de criação. Tudo o que eu estou fazendo fora, inspira o que eu faço na música. Então musicalmente, é claro que você vai ouvir um enorme crescimento e você também vai ouvir a típica, tradicional Konvict Muzik, no estilo Akon onde colocamos nas faixas urbanas um pouco de personalidade própria. Você tem os discos pop que te elevam, e que fazem você feliz, e dançar, mas você também tem canções que tenham conteúdo significativo. Eu quero ser capaz de dar-lhe uma experiência completa em 360°. Eu acho que tudo acontecer, era parte do nosso destino, apenas para me proporcionar esse tipo de conteúdo no futuro.
 
E finalmente, você tem Lady Gaga e tem T-Pain em seu apadrinhado, essas são enormes realizações e conquistas. Quem é a sua próxima grande estrela ?
 Akon: Eu estou sempre pronto e em movimento, correndo em volta deles à procura de coisas novas, mas eu estou realmente animado com este novato Kamino que temos, eu acho que ele vai ser a próxima sensação, de verdade.
 
Como é o som e estilo dele ? 
 Akon: Eu nunca posso te dizer o que é, até que você escute. Se eu te disser que soa como algo, então não é original, mas eu garanto que quando você ouvir esse garoto você vai ficar viciado.

+ sobre o tema

Alemães e sul-africanos passam experiências da Copa a Cuiabá

Cuiabá recebe, nesta quinta-feira (23), profissionais diretamente ligados...

Jay-Z completa 45 anos com tentáculos na música, entretenimento e esporte

Jay-Z, completa 45 anos nesta quinta (4) com o...

Justin Bieber é indicado a prêmio de entretenimento negro

O ídolo teen canadense Justin Bieber recebeu uma indicação...

para lembrar

IZA lança batom com a M.A.C e o significado por trás da cor é lindo!

A cantora contou que a cor foi feita especialmente...

Rihanna apresenta desfile de lingerie cheio de arte e diversidade na Semana de Moda de Nova York!

Além da música, Rihanna arrasa no mundo da moda! A cantora,...

Veja os novos livros infantis de Edimilson de Almeida Pereira e Cidinha da Silva

Diz o ditado que Exu matou um pássaro ontem com uma...
spot_imgspot_img

Majestosa, Lauryn Hill entrega show intenso e coroa história da Chic Show

"Não é só um baile black", gritou Criolo durante o terceiro show do festival Chic Show 50 Anos, no sábado (12). O rapper do...

Exposição e seminário em São Paulo celebram legado de Nelson Mandela

No dia 18 de julho é celebrado o Dia Internacional Nelson Mandela, data estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) em reconhecimento à contribuição...

Ícone da percussão, Naná Vasconcelos ganha mostra no Itaú Cultural

O Itaú Cultural, localizado na avenida Paulista, em São Paulo, abre nesta quarta-feira (17) a Ocupação Naná Vasconcelos, em homenagem ao músico pernambucano falecido em 2016. A mostra é...
-+=