Érico Brás e Kenia Maria, ganham ação contra racismo na Avianca de R$ 35 mil

O casal de atores Érico Brás e Kenia Maria ganharam, em 1º Instância, processo que moveram contra a Avianca por racismo e danos morais. A empresa recorreu da decisão.

no UOL

A companhia área foi condenada a indeniza-los em R$ 35 mil por causa de um episódio ocorrido em março de 2016, durante um voo que saiu de Salvador com destino ao Rio de Janeiro, em que eles foram obrigados a descer da aeronave.

“Achei uma decisão muito justa e até representativa para ao nosso país. É importante ressaltar que ganhamos essa causa porque tínhamos conhecimento da lei e por isso temos que falar cada vez mais sobre os direitos e deveres de cada cidadão.”, contou Érico.

“Revelo que sinto um alívio pela humilhação que eu passei. Eu levo o debate racial para escolas, universidades, rede sociais, TV e revistas, mas quando encaro o racismo de frente, confesso que ainda fico apavorada, muda e não seguro a vontade de chorar. Não vou me adaptar nunca!”, desabafou Kenia, que também é defensora da ONU Mulheres pelos direitos das mulheres negras.

Na ocasião, ela foi impedida pelo comissário de bordo de acomodar sua bagagem de mão embaixo da poltrona. O comandante acionou a Polícia Federal dizendo que o casal poderia ser uma ameaça para o voo e os expulsou da aeronave. Em protesto, sete passageiros se recusaram a seguir viagem em apoio ao casal e também desceram do voo.

Na sentença, a Avianca afirma que o comandante retirou o autor do voo para não ocasionar mais atrasos e prejudicar os demais passageiros. A empresa também sustenta que não há prova de dano nos pertences da esposa de Érico e que a retirada dele do voo não constitui racismo.

“Um comissário tinha autorizado que ela colocasse embaixo [da poltrona], mas o comandante veio e disse que não podia. Como estava tudo cheio, ela pediu para ele arranjar um local para colocar. Ele, então, pegou e enfiou a bolsa com grosseria no bagageiro”, relatou o ator na ocasião.

Érico contou ainda que questionou o tratamento do comandante e o chamou de mal educado. “Ele, então, pediu para que eu deixasse o avião porque eu era uma ameaça, sendo que ele que me agrediu. Me senti extremamente impotente”, lamentou.

+ sobre o tema

Imigrantes africanos trabalham como escravos na Itália

Enquanto os italianos e turistas viajam em férias, não...

Violência racista dá sinais de escalada na Itália

País registra nove ataques a bala contra integrantes de...

‘Coloque um branco de volta na Casa Branca’

Um apoiador do candidato presidencial republicano Mitt Romney foi...

Estratégias do Racismo e Ações Afirmativas: um embate necessário

RESUMO : O presente texto busca discutir o tema...

para lembrar

Imigrantes africanos denunciam racismo no Brasil

  Durante um protesto realizado nesta quinta-feira, dia...

“Morri na Maré”: assista ao minidoc

Financiado coletivamente, filme realizado por dois jornalistas franceses mostra...

Museu de NY vai retirar estátua de Teddy Roosevelt por simbologia racista

O Museu de História Natural de Nova York anunciou...

NOTA PÚBLICA – Chacina no Rio de Janeiro

Mortes como as desses jovens, no entanto, reforçam...
spot_imgspot_img

Nem a tragédia está imune ao racismo

Uma das marcas do Brasil já foi cantada de diferentes formas, mas ficou muito conhecida pelo verso de Jorge Ben: "um país tropical, abençoado...

Futuro está em construção no Rio Grande do Sul

Não é demais repetir nem insistir. A tragédia socioclimática que colapsou o Rio Grande do Sul é inédita em intensidade, tamanho, duração. Nunca, de...

Kelly Rowland abre motivo de discussão com segurança em Cannes: ‘Tenho limites’

Kelly Rowland falou à imprensa sobre a discussão que teve com uma segurança no tapete vermelho do Festival de Cannes durante essa semana. A cantora compartilhou seu...
-+=