“Estamos a dizer às pessoas de cor: vocês não são bem vindas aqui. E eu sou parte do problema”. O discurso de Joaquin Phoenix nos BAFTA

“Também faço parte do problema. Não fiz tudo o que estava ao meu alcance para garantir que os sets em que trabalhei eram inclusivos”, disse Phoenix ao receber o prémio de Melhor Ator por “Joker”.

No Observador

“É obrigação daqueles que criaram, perpetuaram e beneficiaram de um sistema de opressão que o desmontem. E esses somos nós”, afirmou (Foto: PA Images via Getty Images)

Foi um dos vencedores da noite em que a academia britânica de cinema entregou os seus prémios anuais. Venceu na categoria de Melhor Ator, pela prestação em “Joker” (a mesma que lhe deu o Globo de Ouro e que o coloca como favorito nos Óscares) e quando subiu ao palco para receber a estatueta, deu o discurso mais forte da noite.

Começou por confessar-se “honrado e privilegiado” por vencer, reconhecendo também a importância da academia britânica no percurso do ator: “Os BAFTA sempre apoiaram a minha carreira”, disse. Mas os agradecimentos ficaram-se por aí. Os restantes minutos foram aproveitados por Phoenix para uma tomada de posição política e social.

“Sinto-me em conflito”, começou por dizer: “Muitos dos meus colegas de trabalho não têm este privilégio e merecem-no”. Depois, largou a frase chave do discurso: “Estamos a enviar uma mensagem muito clara para as pessoas de cor: que vocês não são bem vindos aqui. Uma mensagem que enviamos para pessoas que contribuíram tanto para este meio, para esta indústria, contributos dos quais beneficiamos.”

Assumiu que “ninguém quer um tratamento preferencial, ainda que seja isso que damos a nós próprios todos os anos”. Joaquin Phoenix acredita que “as pessoas só querem ser reconhecidas e respeitadas pelo seu trabalho”. E nãos e demarcou daquilo que diz ser as “responsabilidades”: “Não estou a tentar excluir-me desta situação, tenho vergonha de o dizer, mas também faço parte do problema. Não fiz tudo o que estava ao meu alcance para garantir que os sets em que trabalhei eram inclusivos. Mas a questão não tem apenas a ver com sets que são multiculturais. Temos que fazer o trabalho difícil de realmente compreender o racismo sistémico.”

No final, deixou a mensagem: “É obrigação daqueles que criaram, perpetuaram e beneficiaram de um sistema de opressão que o desmontem. E esses somos nós.”

[veja aqui o discurso de Joaquin Phoenix:]

+ sobre o tema

Macetando o apocalipse

Veio de Veveta, também conhecida como Ivete Sangalo, o...

Saiba quem é o neto de Bob Marley que emplacou sucesso na Billboard; ouça a canção

YG Marley, nome artístico de Joshua Marley, neto do...

Conceição Evaristo é eleita a nova imortal da Academia Mineira de Letras

A escritora Conceição Evaristo, 77, foi eleita nesta quinta (15)...

Fui demitida depois dos 40. E agora?

Dia desses, enquanto navegava pelos comentários de uma publicação...

para lembrar

Como falar sobre raça e privilégio com o meu filho negro

Esta experiência foi uma das muitas lições que meu...

“Não há saúde mental onde tem racismo”, afirma psicanalista

A luta de ativistas por direitos se torna, muitas...

Após acusação de racismo, Gucci nomeia 1ª chefe de diversidade

Grife italiana se envolveu em polêmica ao lançar um...
spot_imgspot_img

Oprah Winfrey completa 70 anos com um império de R$ 17 bilhões

A apresentadora, empresária e atriz Oprah Winfrey completa 70 anos, nesta segunda-feira, e vive um momento chave na carreira como produtora da nova versão...

Enredo e Samba: Portela vai homenagear as mulheres negras

A Portela vem para o carnaval de 2024 com a missão de abordar o romance da escritora Ana Maria Gonçalves, e vai refazer os...

Filmes de Plástico: De  Mar, Amar

Contagem, abril de 1968. Palco da primeira grande greve operária no recrudescer da ditadura militar no Brasil. Contagem semeia Lula em São Bernardo do...
-+=