Estudante dá queixa por prática de racismo

Em menos de um mês, um novo episódio de suposto racismo volta a envolver estudantes de Direito da PUC-Campinas

Por Alenita Ramirez, Do Correio

Imagem ilustrativa com a frase 'racismo é crime, denuncie"
Imagem Geledés

Em menos de um mês, um novo episódio de suposto racismo volta a envolver estudantes de Direito da PUC-Campinas. Nesta semana, um aluno de 23 anos da Unicamp registrou Boletim de Ocorrência (BO) contra um grupo de universitários torcedores do time Direito PUC-Campinas que assistiam uma partida pela Liga Campineira de Universitários (LCU), em um clube recreativo no Jardim São Carlos, em Campinas. Segundo relatos da vítima para a polícia, houve xingamentos raciais e que em razão das ofensas o jogo foi paralisado e seu time se retirou do campo. O caso foi registrado como injúria e será investigado pelo 13º Distrito Policial (DP).

O fato teria acontecido no dia 30 de setembro. O aluno integra a Liga das Humanas da Unicamp (LHU) e disputava o campeonato com o time da Associação Atlética Acadêmica XVI de Abril – Direito PUC-Campinas.

Segundo consta no BO, as ofensas teriam ocorrido no segundo tempo do jogo, quando o estudante entrou em campo. Um grupo de torcedores que estava na arquibancada passou a insultar o universitário “dizendo que o cabelo da vítima era duro e feio” e também o chamando de maconheiro, “com ofensas relacionadas a drogas e ao tráfico”. Ainda conforme o documento, o estudante afirmou que “apenas integrava a arquibancada da torcida”.

Entendo de se tratar de mais um ataque racista, centro acadêmicos e os coletivos Negro Rute de Souza e LGBT Marcha e P. Jonhson agendaram para o próximo dia 21, um protesto no Campus I da PUC-Campinas.

Outro lado

Em nota, a PUC-Campinas informou que “condena atitudes de teor racista e discriminatório praticadas por quaisquer cidadãos, inclusive por integrantes da comunidade interna da Universidade, que reforcem estereótipos ou promovam divisões baseadas nas diferenças entre as pessoas”. “A Instituição tem suas atividades orientadas pelo propósito de contribuir para a construção de uma sociedade mais justa e solidária. Com base nisso, a PUC-Campinas se solidariza com todas as vítimas de atos de natureza preconceituosa e, sempre que necessário, aplicará o Regimento Interno da Universidade”.

A Associação Atlética Acadêmica XVI de Abril – Direito também disse que repudia todos e qualquer ato de racismo ou discriminações em geral e que “infelizmente o esporte e seus recintos não são locais onde tais atos não ocorrem, pelo contrário, há enraizado em nossa sociedade uma banalização destes nos recintos desportivos.”

Já a assessoria da Unicamp informou que “não recebeu denúncia sobre o ocorrido”. E prosseguiu: “Em eventos acontecidos fora das dependências da Unicamp cabe queixa junto à delegacia local e junto à ouvidoria da instituição em questão. Caso seja feita denúncia junto à ouvidoria, procederemos a uma inquirição junto aos responsáveis pelo evento.”

+ sobre o tema

Combater violência contra jovem negro será prioridade, diz Secretaria da Juventude

A socióloga Helena Abramo, representante da Secretaria Nacional de...

Negros são maioria dos mortos em ações policiais em seis estados

A cada quatro horas uma pessoa negra é morta...

Canadá admite ter sido cúmplice de ‘genocídio racial’ de mulheres indígenas

O Canadá foi cúmplice de um "genocídio racial" contra...

para lembrar

Quilombolas

Demorou, mas saiu. O IBGE divulgou, em 27 de...

O “sonho” de Martin Luther King não se tornou realidade, por Douglas Belchior

  50 anos depois do histórico discurso de Martin Luther King, ocorrida...

Torcedores do Atlético-PR pintam rosto contra racismo; veja fotos

Por: Paulo Passos Protesto foi organizado através da internet,...

Após denúncia de racismo, ex-estagiária afirma que tem dificuldade em conseguir emprego

Funcionária acusa colégio de bairro de classe média-alta de...
spot_imgspot_img

Novo Selo de Igualdade Racial será lançado para incentivar diversidade nas empresas, anuncia Anielle Franco

O governo federal planeja introduzir, até o final do ano, um "Selo de Igualdade Racial" destinado a reconhecer empresas públicas e privadas que implementam...

Professora denuncia aluno por injúria racial após estudante escrever ‘preto não é gente’ em folha de papel

Uma professora denunciou um estudante de 14 anos à polícia após ele escrever "preto não é gente" em uma folha de papel, em uma...

5 por dia: Bahia lidera ranking de mortes em ações policiais no primeiro quadrimestre

Enquanto a localização de lideranças criminosas aumentou na Bahia no início de 2024, a letalidade das ações policiais também registrou crescimento. De acordo com o Ministério...
-+=