#EuEmpregadaDoméstica: Relatos da página vão virar livro com ajuda de crowdfunding

Racismo. Machismo. Classismo. E por aí vai.

A página do Facebook Eu Empregada Doméstica, desde quando foi inaugurada em julho deste ano, reuniu milhares de relatos de mulheres que trabalham ou já trabalharam como empregadas domésticas – e muitos reúnem discriminações como as colocadas acima.

Fonte: Huffpost Brasil

Agora, o projeto vai dar um salto adiante: publicar em livro os poderosos relatos, para fazer ecoar a voz das mulheres que contribuíram com a página e compartilharam suas histórias.

Idealizada pela rapper Preta-Rara, ela própria ex-empregada doméstica, as histórias colocadas na página tiveram amplo alcance – portanto, nada mais pertinente que colocá-las em um belo projeto de livro.

“A nossa voz ecoa não só na internet”, diz Preta-Rara no vídeo abaixo. Ela quer que a publicação ocupe vários espaços.

“A gente quer construir essa narrativa em conjunto. Com esse livro, nós vamos correr o Brasil e o mundo.”

Para tanto, foi necessário criar um projeto de financiamento coletivo. Entenda:

Os poetas Mel Duarte e Sérgio Vaz apoiam o projeto:

O financiamento coletivo está no Catarse.me. A meta é de R$ 30 mil. Até a tarde desta quarta-feira (21), já arrecadou mais de R$ 14 mil. As contribuições se encerram no próximo sábado (24).

Entre as recompensas estão nome impresso no livro, cartão postal eletrônico, marcador de livro e caneta.

Aqui estão as instruções de como contribuir:

+ sobre o tema

Duas mulheres – duas abolições?

É fato notável a ascensão de mulheres, em muitos...

Racismo histórico: Como mulheres negras da mitologia foram retratadas como brancas pela Arte

Guerra de Titãs foi um dos filmes mais populares de...

para lembrar

Flávia Oliveira: Hora de devoção à democracia

Os problemas que mais afligem os brasileiros, como saúde,...

Seminário Identificação e Abordagem do Racismo e do Sexismo Institucionais Brasilia, 10 e 11 de maio

Evento ocorre no âmbito do seminário "Identificação e Abordagem...

As múltiplas faces da desigualdade na América Latina e Caribe

Relatório da Christian Aid revela que a desigualdade na...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=