Ex-colônias africanas são esperança de Portugal em crise

por João Carlos,

Uma das saídas para a economia portuguesa é a apostar nos mercados emergentes em África. (PA)

Angola, Guiné-Bissau, Cabo Verde são apenas algumas das ex-colônias de Portugal que poderão talvez contribuir para o término da crise no país europeu. Empresários apostam no mercado dos falantes da língua portuguesa.

Os países africanos de língua portuguesa e o Brasil podem ajudar Portugal a sair da crise. Pelo menos é o que acreditam os empresários dos referidos países, entrevistados pela DW em Lisboa.

Eles consideram que uma cooperação pode ser vantajosa e beneficiar o crescimento da economia portuguesa, deprimida por uma forte recessão. Portugal não tem outra saída senão apostar no mercado externo, defendem empreendedores.

A ajuda vem de África

Desde maio de 2011, Portugal depende de um programa de assistência financeira internacional, em consequência da degradação das contas públicas. As perspectivas de crescimento económico ainda são reduzidas, mesmo com o esforço interno do país para inverter este ciclo, com origem na crise da dívida. Uma situação que afeta também alguns dos países periféricos da União Europeia.

Uma das saídas para a economia portuguesa é a apostar nos mercados emergentes em África, na Ásia e na América Latina. Para José Lino Dores, do grupo Navex, que tem ligações com África e Brasil, as ex-colônias portuguesas são determinantes para ajudar Portugal a sair da crise.

“Não somente ajudar Portugal a deter um nível superior de desenvolvimento, como também a situação [pode ser] recíproca. Portugal poder alavancar, de alguma maneira, outras economias”, defende Dores.

Para António Silva, empresário angolano no ramo dos transportes, logística e comércio, Angola já está a dar a sua contribuição. Ele defende que Portugal já olha Angola com outros olhos, o que já deveria ter feito há anos, acredita Silva.

Mas como não fez, perdeu muito com isso, conclui o empresário. “As empresas angolanas, como a Sonangol, já estão a entrar no capital das empresas portuguesas”. Na opinião dele, Portugal pode contar com o apoio de Angola.

Outro que estende a mão é Manuel João Almeida, empresário do ramo da hotelaria em Cabo Verde. Ele diz que a crise está a atravessar o mundo e que Portugal precisa apostar no mercado externo. “A gente também aposta em Portugal”, acrescenta.

Quem menciona a Guiné-Bissau é Saico Embaló, outro empresário daquele país ocidental africano. Ele acredita que a Guiné-Bissau poderá servir de plataforma de entrada para empresas portuguesas interessadas no mercado ocidental africano.

Na opinião dele, o mercado ainda é virgem e “tem muita coisa para explorar”, sobretudo no ramo industrial. “As nossas portas estão abertas para receber empresas portuguesas. Vamos trabalhar em conjunto”, defende Embaló.

“Unidos venceremos”

As opiniões dos mais diferentes empresários foram coletadas à margem do 1º Congresso Mundial de Empresários das Comunidades Portuguesas e Lusofonia, que terminou nesta quinta-feira (01.03) em Lisboa.

O tema mais debatido foi a importância dos negócios para relançar a economia portuguesa. Neste âmbito, o ministro português dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, defendeu maior aproveitamento das capacidades da rede de empresários no exterior.

Na opinião dele, esta rede de empresários no exterior tem uma capacidade que muitas vezes não é aproveitada e que “se tudo for bem conjugado pode constituir um enorme serviço para Portugal”, defende.

Capacidade que, segundo Portas, pode contribuir para mobilizar recursos a favor do crescimento económico e ajudar Portugal a sair da crise.

Autor: João Carlos (Lisboa)

Edição: Bettina Riffel / Renate Krieger

 

 

 

Fonte: Zwela Angola

+ sobre o tema

Alforriados, negros ainda foram explorados como escravos

No século 19, entre os anos 1830 e 1888,...

Kevin Feige da Marvel, quer reconhecimento do Oscar por Pantera Negra

Kevin Feige da Marvel quer reconhecimento do Oscar por...

Un maire noir de Paris en 1879, effaçé des archives et de l’Hisoire

Severiano de Hérédia, Un maire noir de Paris Un Caribéen noir,...

para lembrar

Comunidade Quilombola da Favila recebe certificação

- Fonte: Írohín Jornal Online -     A comunidade remanescente de...

Ismael Ivo, diretor do Balé da Cidade, sofre dois AVCs

Diretor do Balé da Cidade, Ismael Ivo sofreu dois...

Arte africana, influente e relegada

As primeiras obras, hoje denominadas por “arte africana”, foram...
spot_imgspot_img

Obrigada Shirley

É com muita tristeza que compartilhamos a notícia do falecimento da Shirley Villela, nossa companheira e amiga, tecedora da Redes da Maré, de 2013...

Jordan Peele faz anúncio misterioso nas redes sociais

Jordan Peele tem planos para outubro. Ele publicou uma foto com a data de 23 de outubro deste ano em fundo preto e não acrescentou...

‘Bad Boys 5’ já está sendo discutido, afirma produtor

‘Bad Boys: Até o Fim‘ estreou há apenas uma semana, mas um 5ª filme para a franquia estrelada por Will Smith e Martin Lawrence já está sendo discutido. A...
-+=