Ex-integrante do Panteras Negras é libertado nos EUA após 43 anos em solitária

Enviado por / FonteDo Ultimo Segundo 

Um juiz no Estado americano de Louisiana ordenou a libertação de um homem que esteve preso em uma solitária há 43 anos.

Albert Woodfox, de 68 anos, está detido em isolamento desde 18 de abril de 1972, por ter participado de uma rebelião que matou um guarda. Ele nega qualquer envolvimento no crime.

O juiz, James Brady, também proibiu a promotoria de acusar Woodfox novamente. Ele já tinha sido processado duas vezes pela morte do guarda, mas as duas condenações foram anuladas.

Ainda assim, os promotores estaduais afirmaram que devem recorrer da decisão “para terem certeza de que esse assassino permaneça na prisão e seja responsabilizado por suas ações”.

Woodfox e outros dois homens foram colocadas na solitária na Penitenciária Estadual de Lousiana. Eles ficaram conhecidos como os Três de Angola (Angola Three), já que a prisão fica próxima de uma antiga fazenda de escravos chamada Angola.

Os outros dois homens – Robert King e Herman Wallace – foram libertados respectivamente em 2001 e 2013. Wallace morreu logo depois de ser libertado, enquanto aguardava um novo julgamento. A condenação de King foi anulada.

Até mesmo a viúva do guarda morto na rebelião se juntou ao movimento pedindo a libertação dos três detidos.

Inicialmente, os três foram presos por acusações de roubo. Woodfox e Wallace pertenciam aos Panteras Negras, um grupo formado em 1966 que militava por autodefesa dos negros contra o racismo e a violência policial.

Durante todas essas décadas, os três negaram qualquer envolvimento com os roubos em questão e sustentaram que foram presos por crimes que não cometeram.

Ao descrever seus 29 anos na solitária, King disse à BBC há três anos que se manteve forte, mas que era extremamente assustador ver como outros entravam em colapso por falta de contato humano.

+ sobre o tema

Vizinhos do Mali preparam plano para o envio do contingente militar africano

  Os chefes militares africanos reuniram-se esta terça-feira em Bamako,...

Projeto de lei de Romário irrita rappers

Deputado propõe texto que regulamenta profissões ligadas ao hip-hop...

para lembrar

Em SP, Slash dá aula de rock para casa de shows lotada

Eram 21h30 em ponto, horário marcado para o início...

Poesia Erótica nos Cadernos Negros

O erotismo está presente na literatura da antigüidade até...
spot_imgspot_img

Violência contra territórios negros é tema de seminário com movimentos sociais em Salvador

Diante da escalada de violência que atinge comunidades negras e empobrecidas da capital e no interior da Bahia, movimentos sociais, entidades e territórios populares...

Tony Tornado relembra a genialidade (e o gênio difícil) do amigo Tim Maia, homenageado pelo Prêmio da Música Brasileira

Na ausência do homenageado Tim Maia (1942-1998), ninguém melhor para representá-lo na festa do Prêmio da Música Brasileira — cuja edição 2024 acontece nesta quarta-feira (12),...

Segundo documentário sobre Luiz Melodia disseca com precisão o coração indomado, rebelde e livre do artista

Resenha de documentário musical da 16ª edição do festival In-Edit Brasil Título: Luiz Melodia – No coração do Brasil Direção: Alessandra Dorgan Roteiro: Alessandra Dorgan, Patricia Palumbo e Joaquim Castro (com colaboração de Raul Perez) a partir...
-+=