Ex-promotora que condenou jovens negros por estupro é acusada de racismo

Linda Fairstein pode perder seu emprego após funcionários de uma ONG para vítimas de crimes violentos tomarem conhecimento do caso

Do O ESTADO DE S.PAULO

Photo: Netflix / Getty

Após a estreia da série Olhos que Condenam na Netflix na última sexta-feira, 31, o caso dos ‘Cinco do Central Park’ reacendeu o debate sobre discriminação racial. Uma das protagonistas da história, a ex-promotora Linda Fairstein(interpretada pela atriz Felicity Huffman na série) foi responsável pela acusação injusta dos jovens negros e agora enfrenta consequências da condenação.

De acordo com o TMZ, fontes da ONG Safe Horizon, que ajuda vítimas de abuso e crimes violentos em Nova York, revelaram que os funcionários estão indignados com o fato de Fairstein ter permanecido no conselho de uma organização para minorias por tanto tempo. Agora, ela corre o risco de perder seu emprego na instituição sob acusação de racismo.

Em 1989, Linda Fairstein era chefe da Unidade de Crimes Sexuais de Manhattan e teve participação nas confissões forçadas dos cinco jovens condenados.

Olhos que Condenam é uma série de quatro episódios dirigida por Ava DuVernay. A trama gira em torno de um grupo de meninos negros adolescentes acusados de agredir e estuprar uma mulher branca que praticava corrida no Central Park, em Nova York. Eles foram presos e passaram mais de uma década na cadeia. O caso ocorreu há 30 anos, em abril de 1989. Os cinco acusados foram liberados em 2002, após evidências de DNA comprovarem a inocência deles.

+ sobre o tema

Iniquidades raciais e as mudanças do clima

O verão brasileiro, embora conhecido pelas belíssimas praias, férias...

Conversas sobre o luto: quando uma mãe preta retorna ao mundo das encantadas

O encantamento é uma das principais heranças deixadas por...

E assim vamos nós, lutando pela existência de nossas gerações

Vamos que vamos! Frase muito usada por quem sonha...

Ser menina na escola: estamos atentos às violências de gênero?

Apesar de toda a luta feminista, leis de proteção...

para lembrar

spot_imgspot_img

Caso Marielle: mandante da morte de vereadora teria foro privilegiado; entenda

O acordo de delação premiada do ex-policial militar Ronnie Lessa, acusado de ser o autor dos disparos contra a vereadora Marielle Franco (PSOL), não ocorreu do dia...

Quanto custa a dignidade humana de vítimas em casos de racismo?

Quanto custa a dignidade de uma pessoa? E se essa pessoa for uma mulher jovem? E se for uma mulher idosa com 85 anos...

Pacto em torno do Império da Lei

Uma policial militar assiste, absolutamente passiva, a um homem armado (depois identificado como investigador) perseguir e ameaçar um jovem negro na saída de uma...
-+=