Feminicídios sobem 35% no primeiro trimestre de 2022 e RS vê reverter queda do último ano

Enviado por / FonteDo G1

Dados da Secretaria de Segurança Pública do RS indicam oito crimes por violência de gênero no estado em março, cinco a mais do que os três registrados no mesmo mês de 2021.

Com as oito mortes de mulheres vítimas de feminicídio em março, segundo dados divulgados pela Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP-RS), o Rio Grande do Sul registra 27 crimes por violência de gênero do trimestre, o que representa uma alta de 35% em comparação com as 20 vítimas dos primeiros três meses de 2021.

O aumento reverte a tendência de queda verificada de 2020 para 2021, quando havia reduzido quase 26%. Somente em 2012 e em 2016 o RS registrou mais vítimas na série histórica. Veja o gráfico da série histórica

Entre as vítimas do mês passado, conforme a SSP, apenas uma tinha medida protetiva de urgência contra o agressor. O dado reforça o diagnóstico apresentado pelo Mapa de Feminicídios divulgado pela Polícia Civil com análise de todos os 96 casos registrados no ano passado, dos quais 86 (quase 90%) não tinham o amparo de MPU vigente.

O cenário evidencia, para a SSP, a urgência de conscientização de levar à polícia todo caso de abuso contra as mulheres tão logo se tenha conhecimento do fato e seja qual for a gravidade aparente. A denúncia, com anonimato assegurado pelas autoridades, é o primeiro passo.

Além do 190 para situações de urgência, a SSP mantém o Disque-Denúncia 181 e o Denúncia Digital 181 e a PC disponibiliza o WhatsApp (51) 98444-0606 para a comunicação de qualquer suspeita de abuso.

Alguns casos

Os crimes de março aconteceram em Alvorada, Caxias do Sul, Cidreira, Esteio, Passo Fundo, Pelotas (2) e São Borja.

Um deles é o de mulher de 35 anos, que foi morta a facadas na noite de 21 de março, em Alvorada, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Segundo a Polícia Civil, o agressor, um homem de 46 anos, era companheiro da vítima. Ele fugiu após o crime e é procurado.

Dez dias antes, um crime parecido, mas com desfecho diferente. Uma mulher de 49 anos foi morta a facadas pelo ex-companheiro ao sair do trabalho, em uma empresa de Sapucaia do Sul, conforme a Polícia Civil. O homem foi preso em flagrante.

Em Caxias do Sul, o crime aconteceu na tarde de 16 de março. A vítima foi identificada como Lindamir dos Santos e tinha 32 anos. O suspeito, cujo nome não foi divulgado, tem 45 anos, e foi encontrado morto dentro da casa onde ele residia, próximo ao local do crime.

Outros crimes

Entre os demais crimes contra a mulher, há uma oscilação no trimestre. As lesões corporais variaram 0,7%, de 5.012 para 5.049 mulheres agredidas nos meses de março de 2021 e 2022.

Já as ameaças mantêm uma leve queda de 4,5% com 8.836 em março do ano passado e 8.438 nos primeiros três meses deste ano. Os estupros e as tentativas de feminicídio também tiveram quedas.

Os abusos baixaram de 627 para 474, diminuição de 24,4%. Enquanto isso, as tentativas de assassinato caíram 26,5% — de 83 para 61 em 2022.

+ sobre o tema

para lembrar

Milhares saem às ruas na Argentina para protestar contra feminicídio

Mobilização ocorre após caso de adolescente de 14 anos...

Femicidio e Políticas Publicas. O que falta?

Falta de políticas públicas pode ser o principal causador...

A desumanização das vitimas de feminicídio

A violência doméstica mata:  Por hora 5 mulheres em...

Feminicídio é fenômeno político, não apenas de gênero, dizem palestrantes

Para senadora, falta de ação do Estado para evitar...
spot_imgspot_img

Morte de artista circense Julieta Hernández põe em discussão os direitos da mulher viajante; veja outros casos de violência

O Fantástico deste domingo (14) mostrou como a morte de artista circense Julieta Hernández reacendeu a discussão sobre os direitos da mulher. Jussara Botelho...

DF teve mais feminicídios cometidos com armas legais do que ilegais

Armas de fogo legais são mais usadas em feminicídios do que armas ilegais no Distrito Federal. Os dados, levantados pelo Metrópoles, mostram que o...

Amparo para órfãos do feminicídio

Um alento para crianças e adolescentes em vulnerabilidade que perderam a mãe para o hediondo feminicídio. Cada um deles terá direito a receber auxílio...
-+=