A força do tambor feminino

O bloco de carnaval formado por 250 mulheres para “empoderá-las” por meio da música

Por MARINA ROSSI, do El Pais 

Beth Beli, na sede do Ilú Obá De Min. (VICTOR MORIYAMA)

Os fiéis do candomblé, religião de origem africana, acreditam que são filhos de orixás, de quem herdam suas características. Filhos de Iansã, por exemplo, são independentes e determinados. Filhos de Oxossi são guerreiros e têm sempre a sua presença notada. Elizabeth Belizário, ou apenas Beth Beli como costuma ser chamada, é a mistura do orixá da floresta – Oxossi – com a senhora dos ventos e da tempestade – Iansã. Sua “coroa” – termo usado para designar o terceiro orixá que rege as características mais predominantes – em todo caso, pertence a Xangô, o rei que representa a justiça. Isso pode explicar muito de sua história.

Aos 47 anos, Beth é a presidenta – “com A”, como ela diz – do Ilú Obá De Min, um coletivo paulistano de tambores composto somente por mulheres. Fundado em 2004 com 30 representantes femininas, hoje, 11 anos depois, são 250. No carnaval deste ano em São Paulo, o bloco se apresentou duas vezes: na sexta-feira e no domingo. Cerca de 15.000 pessoas foram arrastadas pelas ruas da cidade para acompanhar o cortejo que é regido pela cultura da África e pelo candomblé. Os tambores e repiques em tons africanos são acompanhados pela apresentação dos orixás, representados por bailarinos caracterizados, caminhando em enormes pernas de pau.

Nascida na Brasilândia, bairro pobre da zona norte de São Paulo, Beth é a caçula de três irmãos. A mãe, de origem indígena, era dona de casa. O pai, negro, era militar. A família era católica e por isso, Beth foi batizada, ia à missa e comungava. Estudou em colégio militar até o Ensino Médio. “Chegando a uma certa idade, eu não aguentei mais a rigidez do colégio militar e pedi para sair”, diz ela. Adolescente, começou a frequentar escolas de samba. Foi nesse momento que iniciou sua carreira como música, tocando percussão, o que a aproximou do candomblé. O tambor faz o ritmo nos rituais da religião, e é elemento de transcendência de seus fiéis.

Graças ao seu trabalho, viajou para diversos países em apresentações e shows. “Meu pai me dizia: Você tem que se dar bem, independente do que você faça”, diz ela. Antes de viajar pelo mundo, Beth tocou nos blocos carnavalescos Banda Lá e posteriormente no Ori Axé (que significa “a força da cabeça”), ambos formados por homens e mulheres, em sua maioria negros. Nesses blocos, Beth achava injusto que apenas negros pudessem participar. Por isso, quando saiu, prometeu que só voltaria aos blocos “se fosse para trabalhar para Xangô”, o orixá da justiça. Assim, em 2004 se juntou a outras duas músicas, Sandra Campos e Sônia Leite, e juntas formaram o Ilú Obá De Min (que significa “mãos femininas que tocam tambor para Xangô”). “Eu tinha esse desejo, que a bateria fosse só feminina”, diz. “Até pela minha história. Se o tambor me empoderou tanto, por que não empoderar tantas outras mulheres?”.

 

Continue lendo aqui

+ sobre o tema

Prêmio Movimentos Criativos contempla jovens negros(as)

Um + Um = Três! Quando somamos o melhor...

Eleito o Primeiro Prefeito Negro Alemão

Ex-comissário de polícia da BKA(a PF alemã) é...

para lembrar

Zumbi Volta À Cena Em São Paulo

Baseada no clássico “Arena conta Zumbi”, de Augusto...

Serena Williams tem mais uma boa atuação, despacha eslovena e avança na Austrália

Com ótimos saques, americana vence sem maiores dificuldades Tamara...

Netflix divulga trailer de drama sobre racismo pós-2ª Guerra

Netflix divulga trailer de drama sobre racismo pós-2ª Guerra....
spot_imgspot_img

Fundação Casa de Rui Barbosa Institui Grupo de Trabalho para Programa de Patrimônio, Memória e Reparação

A Fundação Casa de Rui Barbosa (FCRB), anunciou a criação do Grupo de Trabalho (GT) responsável pela elaboração do "Programa Abdias Nascimento: Patrimônio, Memória...

Jornais da Europa repercutem título do Real Madrid e enaltecem Vini Jr.

Não poderia ser diferente. O Real Madrid estampa a capa dos principais jornais esportivos da Europa, após a conquista da 15ª Champions League do clube. E Vinicius Junior...

Jay-Z acompanha final da Champions em Londres e prestigia Vini Jr.

O rapper e empresário Jay-Z está em Londres neste sábado (1º/6) para acompanhar a final da Liga dos Campeões da Europa, decida por Real...
-+=