Fotógrafa retrata o cotidiano de tribo semi-nômade em região remota da Namíbia

A fotógrafa Susan Portnoy passou alguns dias no deserto de Kunene, região remota entre a fronteira da Namíbia com Angola, registrando o cotidiano e os costumes do fascinante povo semi-nômade Himba. Em algumas fotografias impactantes, ela documenta a experiência de estar tão longe de tudo e de todos.

No Nômades Digitais

Vivendo em cabanas feitas de esterco, areia e madeira, a tribo produz de tudo um pouco para poder sobreviver. As mulheres se dedicam a fazer acessórios, como colares com fios de couro, conchas e outros itens que encontram. Enquanto isso, os homens tomam conta das cabras e dos gados do rebanho, que quanto mais volumoso, maior é o status da família.

Nas vestimentas, as mulheres e matriarcas usam tangas de couro macio, muitas de suas jóias, e passam uma pasta vermelha chamada de Otjize em seu rosto, cabelo e corpo. Nenhuma delas toma banho, limitando-se a usar a pasta perfumada. As meninas têm variados penteados na cabeça de acordo com a idade: quando crianças, fios cortados rente a cabeça; na puberdade, os cabelos são alongados com pelo de cabra, trançados e com pasta Otjize na raíz. Quando se casam, um capacete oval feito com pele de carneiro adorna a cabeça. Os homens usam o cabelo em corte baixo por boa parte da vida.

himba2

A família é algo fundamental dentro da aldeia, sendo que a mulher desempenha o papel de cuidar dos filhos, preparar a comida, se dedicar ao artesanato e até construir as cabanas onde vivem. Os homens, que podem ter mais do que uma esposa, trazem o que comer para a aldeia e cuidam dos afazeres pecuários. As crianças brincam livremente no deserto, produzem suas bonecas e inventam jogos, com ou sem bola, muitas vezes feita de tecido ou deixada por turistas.

Por viverem no deserto ensolarado e praticamente sem água ou recursos básicos, o grupo étnico se mantém firme com os costumes desde sua fundação, há mais de 200 anos, movendo-se constantemente em busca de sobrevivência.

Dá uma olhada nas fotos e observe os detalhes:

himba1 himba3 himba4 himba5 himba6 himba7 himba8 himba9 himba10 himba11 himba12 himba13 himba14

Todas as fotos © Susan Portnoy

+ sobre o tema

UA recompensa cientistas africanos

A União Africana (UA) identificou cinco cientistas africanos para...

A literatura engajada do Nobel de Literatura Wole Soyinka

Por: Nahima Maciel Wole Soyinka foi o primeiro e único...

Negros estrangeiros buscam Mama África paulistana

Segundo relatório da Polícia Federal de dezembro de 2013,...

para lembrar

Médica luta há 30 anos contra mutilações genitais em meninos na África do Sul

Mesmo sendo criticada e ameaçada, a médica Mamisa Chabula-Nxiweni,...

África em Quadrinhos

Introdução Os estudos sobre a História da África apresentam-se como...

Pai fotografa filha de 5 anos vestida como heroínas negras

Tendo como objetivo a nobre missão de ensinar sua...
spot_imgspot_img

Um Silva do Brasil e das Áfricas: Alberto da Costa e Silva

Durante muito tempo o continente africano foi visto como um vasto território sem história, aquela com H maiúsculo. Ninguém menos do que Hegel afirmou, ainda no...

Artista afro-cubana recria arte Renascentista com negros como figuras principais

Consideremos as famosas pinturas “A Criação de Adão” de Michelangelo, “O Nascimento de Vênus” de Sandro Botticelli ou “A Última Ceia” de Leonardo da Vinci. Quando...

Rotas de Fuga para o Aquilombamento

Quando iniciei meu trabalho atual como fotógrafo negro e de pessoas pretas, pensava em como transmitir textualmente, sinteticamente, aquilo que eu queria passar sobre...
-+=