Anistia Internacional critica redução de ajuda a imigrantes africanos

A Anistia Internacional criticou hoje (23) a resposta “lamentavelmente inadequada e vergonhosa” da União Europeia à crise no Mar Mediterrâneo, porque não vai “parar a espiral de mortes” de imigrantes e refugiados.

Do Agencia brasil

Clandestinamente, africanos atravessam o Mediterrâneo com destino à Europa em busca de melhores condições de vida. Embarcações precárias e superlotação são os principais motivos de desastres no mar.

De acordo com o projeto de declaração, ao qual a organização de defesa dos direitos humanos Anistia Internacional teve acesso, os líderes da União Europeia deverão rejeitar a ampliação das operações de busca e socorro no Mediterrâneo e duplicar a Operação Triton, de vigilância das fronteiras europeias.

Se a União Europeia aprovar a proposta em Bruxelas, a operação será inferior, em termos financeiros, humanos e operacionais, à italiana Mare Nostrum, em 2013/14.

A Operação Triton vigia uma área de 30 milhas ao longo da costa da Itália e de Malta, “muito afastada do local onde ocorre a maior parte das mortes”, afirma a Anistia, em  comunicado à imprensa.

“O documento [da União Europeia] fica lamentavelmente aquém daquilo que é necessário. Os líderes europeus têm oportunidade e responsabilidade de corrigir seus fracassos colossais, que continuam a originar mortes”, disse a diretora adjunta da Anistia Internacional, Gauri van Gulik.

“Encolher a vigilância das fronteiras da Europa e ignorar a necessidade urgente de salvar aqueles que se afogam é um insulto para os milhares que morreram e uma afronta insensível àqueles que não têm opção senão empreender a perigosa viagem”, ressaltou.

A Anistia informa que, nos primeiros três meses e meio deste ano, cerca de 900 pessoas morreram ou desapareceram no mar. No mesmo período do ano passado, foram 17 mortes, segundo levantamento do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados.

“Isso significa que uma em cada 23 pessoas morre afogada ao tentar atravessar o Mediterrâneo, registrando-se 53 vezes mais mortes do que em 2014, apesar de o número dos que fazem a travessia continuar a ser mais ou menos o mesmo. Foram 20.899 até meados de abril do ano passado e 21.385 no mesmo período deste ano”, acrescentou a Anistia.

+ sobre o tema

Contrato racial, e não social, explica evolução da história, diz livro

A exploração do branco sobre o não branco é...

No Congo, 48 mulheres são estupradas a cada hora

Brasília - Um estudo científico, publicado no American...

Gilberto Gil recebe Margareth Menezes no Amigos, Sons e Palavras

O próximo episódio de Amigos, Sons e Palavras, no...

para lembrar

Isabel Fillardis interpreta cantora que desafiou preconceitos no século 19

O sorriso generoso de Isabel Fillardis já denuncia que...

Día de la afrovenezolanidad homenaje a Chávez y Chirino – Por: Jesús Chucho Garcia

El movimiento Social Afrodescendiente, conformado por la Red de...

Carolina de Jesus e a literatura de periferia

“Não tenho força física, mas minhas palavras ferem mais...
spot_imgspot_img

Tony Tornado relembra a genialidade (e o gênio difícil) do amigo Tim Maia, homenageado pelo Prêmio da Música Brasileira

Na ausência do homenageado Tim Maia (1942-1998), ninguém melhor para representá-lo na festa do Prêmio da Música Brasileira — cuja edição 2024 acontece nesta quarta-feira (12),...

‘Bad Boys 5’ já está sendo discutido, afirma produtor

‘Bad Boys: Até o Fim‘ estreou há apenas uma semana, mas um 5ª filme para a franquia estrelada por Will Smith e Martin Lawrence já está sendo discutido. A...

Violência contra territórios negros é tema de seminário com movimentos sociais em Salvador

Diante da escalada de violência que atinge comunidades negras e empobrecidas da capital e no interior da Bahia, movimentos sociais, entidades e territórios populares...
-+=