segunda-feira, janeiro 25, 2021

Tag: Anistia Internacional

Divulgação

Anistia Internacional lança a campanha “Toda Friday é Black” para enfrentamento permanente do racismo estrutural e das violações dos direitos humanos no Brasil

- Campanha convida organizações e público em geral para reflexão e ação na luta antirracista, propondo que todas as sextas-feiras sejam dedicadas ao debate do tema A Anistia Internacional Brasil lança nesta sexta-feira, 27 de novembro – data de realização do evento varejista “Black Friday” no Brasil, a campanha “Toda Friday é Black”, para engajar pessoas comuns em ações de superação do racismo e seus desdobramentos e para garantir os direitos universais da população negra brasileira. É a maior iniciativa da organização na pauta antirracista até o momento, desde a campanha Jovem Negro Vivo, de 2014. Uma petição será aberta para pressionar as autoridades brasileiras a criarem o Comitê de Acompanhamento e Monitoramento das Diretrizes Nacionais sobre Empresas e Direitos Humanos, que está na legislação desde 2018, mas nunca foi colocado em prática. Se este Comitê estivesse atuante, muita coisa poderia ter sido diferente e muita tragédia poderia ter sido ...

Leia mais
Divulgação

Anistia Internacional exige investigação sobre disparo que atingiu Maiara da Silva, grávida de cinco meses, atingida na Maré.

A Anistia Internacional Brasil presta sua solidariedade à jovem Maiara Oliveira da Silva de 20 anos, moradora do Complexo da Maré. De acordo com as informações noticiadas pela imprensa, Maiara, grávida de cinco meses, foi baleada na barriga durante uma operação da Polícia Civil nas favelas do Complexo da Maré, realizada nesta terça-feira, 27/10. Maiara segue hospitalizada e seu estado é considerado grave. A Anistia Internacional Brasil mais uma vez exige providências do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro no sentido de investigar as circunstâncias dessa violação de direitos humanos, bem como identificar, processar e responsabilizar os responsáveis pelo disparo que atingiu Maiara. Da mesma maneira, a Anistia Internacional Brasil exige do MP RJ explicações sobre a ausência de um promotor plantonista responsável por acompanhar a ação e receber as denúncias de violações de direitos humanos, ocorridas durante a ação policial, conforme determinado pelo STF. Cobramos também da ...

Leia mais
Reprodução/Anistia Internacional

NOTA: Operações policiais durante pandemia da COVID-19

“É absurdo, e aquém de qualquer padrão de responsabilidade com a vida, a realização das operações policiais como as que vitimaram, na última sexta-feira, 13 pessoas no Complexo do Alemão ou que causaram o desaparecimento e a morte do menino João Pedro Mattos Pinto, na noite da última segunda-feira, no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo. Qualquer operação policial deve seguir padrões de respeito à vida e à segurança das pessoas e, em meio a uma pandemia, quando todos os esforços deveriam estar voltados para garantir saúde e vida da população, o Estado do Rio de Janeiro se faz presente nas favelas do Estado levando violência e morte. Exigimos responsabilidade e compromisso com os direitos humanos de todos e todas. Nenhuma vida vale menos que a outra”, afirma Jurema Werneck, diretora executiva da Anistia Internacional no Brasil. As operações policiais ocorreram durante o isolamento social recomendado pelas autoridades sanitárias e ...

Leia mais
A médica Jurema Werneck, diretora da Anistia Internacional Brasil Imagem: Divulgação/Anistia Internacional Brasil

Não há saída da pandemia sem olhar para todos, diz Jurema Werneck

Nesta quinta-feira (14), a ONG de luta pelos direitos humanos Anistia Internacional Brasil lança a campanha Nossas Vidas Importam, cobrando das autoridades brasileiras medidas para garantir o acesso a proteção contra a Covid-19 a populações vulneráveis, como moradores de favelas e periferias, pessoas em situação de rua, idosos em asilos, indígenas, quilombolas, travestis e transexuais, população carcerária do sistema socioeducativo, além dos profissionais de saúde. À frente do escritório brasileiro da instituição nascida em 1961 na Inglaterra, a diretora-executiva Jurema Werneck traz o olhar de quem viveu na pele as injustiças sofridas por essas pessoas. Negra, nascida na favela, aos 14 anos ela viu sua mãe, Dulcineia, morrer de aneurisma cerebral, em um caso de negligência médica. "A experiência dela adoecer e morrer foi de desassistência", diz. "Quando estudei neurocirurgia, pude ver o quadro clínico dela: era exatamente o que estava no livro. Ou seja, todo mundo que era médico ...

Leia mais
Reprodução/Facebook

‘Nossas vidas importam’: movimento cobra de autoridades o acesso adequado à saúde para os mais vulneráveis

Em transmissão ao vivo nesta quinta-feira (14), a Anistia Internacional Brasil vai lançar a campanha “Nossas Vidas Importam”, que faz frente à pandemia do novo coronavírus. O movimento é um alerta às autoridades brasileiras para que nenhuma pessoa seja deixada para trás no combate à crise. A live será realizada às 19h no canal da Anistia Brasil no YouTube. A iniciativa cobra que sejam tomadas medidas concretas e urgentes pelas autoridades federais, estaduais e municipais, a fim de minimizar os impactos da Covid-19. A organização destaca a atuação ativa e efetiva da sociedade civil, em contraste com as ações das autoridades. “As necessidades de populações mais vulneráveis devem ser reconhecidas, pois em suas realidades, marcadas pela desigualdade estrutural, elas já estão se mobilizando para diminuir os impactos da pandemia. São elas que, no cotidiano de privações e de ausências em políticas públicas, criam soluções", afirma Jurema Werneck, diretora executiva da Anistia Internacional Brasil. ...

Leia mais
Divulgação/Anistia Internacional

Anistia Internacional repudia manifestações pró-Regime Militar

A Anistia Internacional repudia qualquer manifestação que tenha por objetivo pedir a volta do Regime Militar que se instalou de 1964 a 1985, no Brasil. O Golpe Militar deu início a um período de exceção, marcado por graves violações de direitos humanos, como direito à vida, direito à dignidade humana, à liberdade de associação, à liberdade de expressão, entre outros. Da Anistia Internacional  Divulgação/Anistia Internacional “Em um momento de crise global, em que todos os brasileiros precisam de um governo que enfrente à crise da COVID-19 e garanta o acesso à assistência médica de forma ampla, sem deixar nenhum cidadão para trás, fazer memória do Regime Militar e defender seu retorno é um enorme retrocesso. Expõe o cidadão brasileiro a violações de direitos humanos fundamentais garantidos pela Constituição de 1988. Não podemos esquecer que durante o Regime Militar torturas, estupros, assassinatos, cassações de direitos políticos e ...

Leia mais

AÇÃO URGENTE: a resposta à COVID-19 deve ser inclusiva e não deixar ninguém para trás

A crise da COVID-19 afeta a todos e todas, mas não da mesma maneira. A crise revela como as diferentes formas de exclusão, desigualdades e violações dos direitos humanos estão inter-relacionadas. Mas ela também oferece aos governos da região uma oportunidade para efetuar mudanças radicais necessárias para nos tornarmos a sociedade que queremos ser: mais justa pra todo mundo. Da Anistia Internacional Br (Foto: Amit Dave/Reuters) A saúde e a segurança social são direitos humanos e precisam ser priorizadas, inclusive com investimentos públicos. A importância que os governos atribuem a uma questão muitas vezes pode ser descoberta em seus orçamentos. A América Latina e o Caribe formam uma das regiões do mundo com o menor investimento (público e privado) em saúde por habitante. Os recursos dedicados pelos governos centrais à saúde chegam à média de 2,4% do PIB em 23 países do continente, contrariando as recomendações ...

Leia mais
Ato em frente ao Palácio do Planalto na manhã desta terça-feira (26). Foto de Thais Mallon

Bolsonaro se nega a receber a Anistia Internacional e lideranças indígenas que exigem a proteção da Amazônia e dos povos tradicionais

Na manhã desta terça-feira (26), a Anistia Internacional Brasil realizou uma ação na Praça dos Três Poderes, em frente ao Palácio do Planalto, em Brasília, junto a três lideranças indígenas para marcar a entrega a petição que reuniu mais de 162 mil assinaturas de 53 países do mundo exigindo que o Presidente Jair Bolsonaro proteja a Amazônia e os povos tradicionais que nela vivem. Na mesma ocasião, a organização lançou a pesquisa “Cercar e trazer o boi: pecuária bovina ilegal na Amazônia brasileira”, em que documentou, em terras indígenas e reservas, como a atividade ilegal da pecuária na Amazônia contribui para o desmatamento e violações de direitos dos povos da floresta. Da Anistia Internacional Brasil  Ato em frente ao Palácio do Planalto na manhã desta terça-feira (26). Foto de Thais Mallon A ação simulou uma reunião com o presidente Bolsonaro, uma vez ele negou o pedido ...

Leia mais

Anistia Internacional contrata diretor(a) de programas e campanhas

A Anistia Internacional é um movimento global com mais de 7 milhões de apoiadores, que realiza ações e campanhas para que os direitos humanos internacionalmente reconhecidos sejam respeitados e protegidos. Está presente em mais de 150 países. Todos os dias, alguém, em algum lugar do mundo, recebe apoio da Anistia Internacional. Enviado para o Portal Geledés  Reprodução/Facebook O compromisso da Anistia Internacional é com a justiça, a igualdade e a liberdade. A organização é independente de qualquer governo, ideologia política, interesse econômico ou religião. É financeiramente autônoma. Suas atividades são financiadas principalmente por membros e apoiadores. Qualquer cidadão do mundo pode se tornar membro da Anistia Internacional e ajudar a fazer uma diferença real no mundo. O trabalho de pesquisa desenvolvido permite a descoberta de fatos e leva à demanda por mudanças. Sua atuação visa mobilizar e pressionar governos, grupos armados e empresas para promover e proteger ...

Leia mais
Márcia Foletto / Agência O Globo

Anistia Internacional cobra de Witzel solução sobre assassinato de Marielle

Quase um ano e meio depois do assassinato da vereadora carioca Marielle Franco (Psol) e seu motorista, Anderson Gomes, a Anistia Internacional cobrou novamente o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), a garantir esforços pela elucidação do crime, descobrindo seus mandantes e objetivos. Há seis meses, os ex-policiais Ronnie Lessa e Élcio Vieira de Queiroz foram presos acusados de serem os executores do crime. Desde então, não há nenhum avanço importante no sentido de identificar os mandantes do crime e suas motivações. A Anistia Internacional e a família de Marielle foram recebidas pelo governador e ouviram dele o compromisso de empenhar esforços na investigação. A organização encaminhou novos pedidos a Witzel e ao procurador-geral de Justiça do Estado, José Eduardo Gussen, renovando sua cobrança por resolução dos assassinatos e por informações atualizadas sobre os inquéritos policiais e outras ações investigativas em curso. “No dia em que nos reunimos pessoalmente, ...

Leia mais
Foto- Jandira Queiroz : Anistia Internacional

Em carta a Bolsonaro, Anistia Internacional diz que decreto das armas pode aumentar homicídios

Representantes da organização estão em Brasília; documento deverá ser entregue aos ministros Santos Cruz e Damares Alves por Marco Grillo no O Globo A diretora da Anistia Internacional para as Américas, Erika Guevara-Rosas (à esquerda), e a diretora executiva da Anistia Internacional Brasil, Jurema Werneck ( à direita) Foto- Jandira Queiroz : Anistia Internacional Em carta direcionada ao presidente Jair Bolsonaro , a Anistia Internacional afirma que a flexibilização da posse e do porte de armas atenta “contra as garantias do direito à vida” e poderá provocar o aumento no número de homicídios no Brasil. O documento, apresentado nesta terça-feira, em Brasília, também traz críticas à expansão do conceito de excludente de ilicitude, proposto no pacote anticrime do ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública), e a outras políticas do governo, relacionadas a drogas, demarcações de terras indígenas, entre outros pontos. A diretora da Anistia Internacional ...

Leia mais
Márcia Foletto / Agência O Globo

Anistia Internacional quer comissão independente para caso Marielle

No dia em que faz oito meses dos assassinatos da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e do motorista Anderson Pedro Gomes, a Anistia Internacional recomendou hoje (14) que uma comissão externa independente acompanhe as investigações em curso no país. Para a entidade, o grupo deve ser formado por peritos, juristas e especialistas sob o argumento da existência de lacunas em relação ao crime. A preocupação da organização não governamental é verificar se todas as linhas de investigação estão sendo exploradas, se há negligência e também interferência indevida na investigação criminal. O assassinato ocorreu na noite de 14 de março, no centro do Rio de Janeiro, quando Marielle saía de um evento político. A Anistia Internacional divulgou ontem (14) o documento denominado O labirinto do caso Marielle Franco, que analisa o caso em cinco eixos temáticos, e alerta para ausência de respostas e as informações desencontradas. A divulgação do documento ocorreu, no ...

Leia mais

Anistia Internacional pede investigação imparcial de possíveis crimes de ódio no Brasil

A Anistia Internacional divulgou uma nota nesta quarta-feira demonstrando preocupação com o cenário de violência instalado no Brasil em meio ao processo eleitoral de 2018. A organização pediu que as autoridades investiguem "de forma célere, independente e imparcial" os possíveis casos de crimes de ódio registrados pelo país. Do Sputnik News © Fotolia / jinga80 "A Anistia Internacional vê com preocupação o aumento de episódios de violência durante o período eleitoral que têm sido relatados em diferentes cidades do Brasil. Os casos já divulgados pela imprensa, e outros relatados pelas redes sociais e por sites criados para coletar informações sobre a violência no contexto eleitoral, demonstram que uma grande quantidade de agressões pode ter sido crimes de ódio, motivadas por discriminação racial, de gênero e de orientação sexual e identidade de gênero, ou ainda por razões de opinião política", escreveu a organização. ...

Leia mais
(FOTO: MÁRIO VASCONCELLOS/CMRJ)

Anistia critica falta de solução no caso Marielle: “Justiça está em cheque”

A Anistia Internacional divulgou uma nota pública em que volta a fazer duras críticas à Justiça Criminal brasileira após quatro meses do assassinato de Marielle Franco e de seu motorista Anderson Gomes. De acordo com a organização, a não solução do caso "demonstra ineficácia, incompetência e falta de vontade das instituições do Sistema de Justiça Criminal brasileiro em resolver o caso". A diretora executiva da Anistia Internacional, Jurema Werneck, sugere que é urgente o estabelecimento de um mecanismo externo e independente para monitorar a investigação. A organização diz que, desde o início das investigações, diversas informações foram veiculadas pela imprensa e permanecem sem qualquer tipo de esclarecimento: que a munição utilizada pertenceria a um lote que teria sido vendido à Polícia Federal; que a arma empregada seria uma submetralhadora de uso restrito das forças de segurança; que submetralhadoras do mesmo modelo da utilizada teriam desaparecido do arsenal da Polícia Civil; que câmeras ...

Leia mais
Foto: Ricardo Moraes/REUTERS

Amnistia pede prioridade para investigação ao assassínio de Marielle

A Amnistia Internacional (AI) defendeu esta sexta-feira, num comunicado, que as autoridades brasileiras devem dar prioridade à resolução dos assassínios da vereadora Marielle Franco e do seu motorista, Anderson Gomes, levando os responsáveis à justiça brasileira. "A sociedade precisa saber quem matou Marielle e porquê. Todos os dias que este caso permanece sem solução, o nível de risco e incerteza em torno dos defensores dos direitos humanos piora", declarou Jurema Werneck, diretora-executiva da Amnistia Internacional Brasil. Os assassínios de Marielle Franco e de Anderson Gomes completam um mês no sábado. "Se o Estado não levar os culpados à justiça, envia uma mensagem de que os defensores dos direitos humanos podem ser mortos com impunidade. As autoridades devem deixar claro que este não é o caso e avançar rapidamente para investigar aqueles que mataram Marielle e aqueles que ordenaram a morte dela", sublinhou Jurema Werneck. Eleita como vereadora da prefeitura do ...

Leia mais
(Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo)

Diante de morte de Marielle, deputados europeus pedem suspensão de negociação com Mercosul

GENEBRA – O partido espanhol Podemos enviou uma carta para a Comissão Europeia exigindo que bloco “condene” o assassinato da vereadora Marielle Franco e que as autoridades em Bruxelas suspendam as negociações comerciais para fechar um acordo de livre comércio entre a Europa e o Mercosul. O pedido de suspensão das negociações ainda foi solicitado por outros grupos do Parlamento Europeu, em especial a aliança de 52 euro deputados que formam parte da Esquerda Europeia Unida. “Pedimos para a Comissão uma suspensão imediata das negociações com o Mercosul até que haja o fim da violência e intimidação contra a oposição política e defensores de direitos humanos”, declararam os partidos da aliança de esquerda. O grupo representa menos de 10% dos 750 membros do Parlamento Europeu. Ainda assim, na carta, os deputados do partido espanhol insistiram ainda que a Europa deve exigir que o Brasil faça “uma investigação independente, rápida e ...

Leia mais

Brasil retrocedeu na garantia dos direitos humanos, diz Anistia

‘Estado brasileiro deixa que uma geração de jovens seja assassinada todos os anos’, afirma coordenadora da Anistia Internacional. Do G1 Reprodução/Anistia A Anistia Internacional divulgou o relatório anual O Estado de Direitos Humanos no Mundo 2017/2018. O documento afirma que houve retrocesso na garantia dos direitos humanos no Brasil. A Anistia Internacional convidou para a divulgação do relatório representantes dos índios, parentes de vítimas de violência policial e famílias de presos. O levantamento sobre os direitos humanos é feito pela Anistia Internacional em mais de 50 países e é divulgado simultaneamente em todo. No Brasil, a direção da Anistia diz que em 2017 houve retrocesso na defesa dos direitos humanos em diversos aspectos. A Anistia destaca como pontos negativos no Brasil: a pressão por mudanças nas leis, como de redução da maioridade penal e do estatuto do desarmamento; o aumento de homicídios nas grandes cidades; a atuação das polícias ...

Leia mais

ONU apresenta no Congresso campanha pelo fim da violência contra juventude negra

Deputados, religiosos, representantes da sociedade civil e do Sistema Judiciário participaram na quarta-feira (6) no Congresso Nacional em Brasília (DF) do lançamento da Frente Parlamentar pela Prevenção da Violência e Redução de Homicídios. A iniciativa já congrega quase 200 parlamentares de pelo menos 25 partidos, e tem como objetivo debater caminhos alternativos às propostas centradas unicamente em medidas repressivas e punitivas. Da ONU O trabalho da frente parlamentar deve se concentrar em articular iniciativas de redução da violência, que oferecem principalmente (Imagem retirado do site da ONU)   Falando em nome da ONU Brasil e da campanha Vidas Negras, Jaime Nadal, representante do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), enfatizou a distribuição desigual dos homicídios no país, o que aparece como conseqüência radical das desigualdades raciais. Deputados, religiosos, representantes de organizações da sociedade civil e do Sistema Judiciário participaram na quarta-feira (6) no Congresso Nacional em Brasília (DF) do ...

Leia mais

Anistia Internacional pede redução de homicídios de negros em ato no DF

Representantes das cinco regiões do país fizeram ato simbólico em frente ao Ministério da Justiça com caixão. Jovens levaram manifesto com 63 mil assinaturas por políticas públicas. Integrantes da Anisitia Internacional fazem ato pacífico em frente ao Ministério da Justiça pela redução da morte de negros no Brasil (Foto: Marina Oliveira/G1) Por Luiza Garonce Do G1 ntegrantes da Anistia Internacional fazem movimento pacífico em frente ao Ministério da Justiça, em Brasília, nesta quarta-feira (6) para entregar o manifesto "Jovem Negro Vivo", que demanda políticas de redução de homicídios da população negra no Brasil. A cada 23 minutos, um jovem negro morre no país, segundo o Mapa da Violência da Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso). Iniciado em 2014, o manifesto da Anistia coletou 63.132 assinaturas de apoio em todo o país por meio de uma plataforma online. O documento pede que as autoridades brasileiras assegurem aos jovens negros o "direito a uma vida ...

Leia mais

Anistia Internacional protesta, no DF, contra ‘retrocessos’ aos direitos humanos

Manifestantes usaram máscaras com rostos dos presidentes da Câmara e do Senado. Segundo organização, 138 projetos de lei em tramitação nas casas ameaçam direitos. Do G1 A Anistia Internacional promoveu um ato, na manhã desta segunda-feira (31), em frente ao Congresso Nacional, em Brasília, contra 138 projetos de lei em tramitação na Câmara dos Deputados e no Senado Federal. Segundo a entidade, as propostas geram “retrocessos aos direitos humanos”. Os ativistas usaram máscaras com os rostos dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Eunício Oliveira, e ergueram bananas com gritos de “direitos liquidados a preço de banana”. Faixas e balões foram levantados em protesto. O ato faz parte da campanha “Direitos não se liquidam”, lançada pela organização nesta segunda. Jurema Werneck, diretora executiva da Anistia Internacional Brasil, protesta em frente ao Congresso Nacional (Foto: Bianca Marinho/G1) A Anistia Internacional mapeou 138 projetos de lei que, segundo a entidade, ferem ...

Leia mais
Página 1 de 4 1 2 4

Últimas Postagens

Artigos mais vistos (7dias)

Twitter

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms bellow to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist