Fratura exposta

A democracia brasileira está em situação de emergência, mas o centro cirúrgico está contaminado

Por Flávia Oliveira Do O Globo

Foto: Marta Azevedo

Na falta de diagnóstico original para o colapso político nacional, já tão bem esquadrinhado pelos colegas jornalistas dos vários matizes profissionais e ideológicos, é à medicina que recorro. Melhor metáfora não me ocorreu que a de uma fratura exposta na ainda jovem democracia brasileira.

Tal como o acompanhante de um ente querido gravemente fraturado, fui me aconselhar com um profissional da saúde, o sempre solícito infectologista Edimilson Migowsck. Doutor, como se cuida de uma fratura exposta?

É situação de urgência. Demanda tratamento eficaz e, ainda assim, pode deixar sequelas. Carece de intervenção cirúrgica, após assepsia em ambiente seguro e higienizado. É indispensável um cirurgião habilidoso.

Há fraturas que produzem ossos pontiagudos. São eles que podem romper estruturas como nervos, artérias e vasos sanguíneos. Havendo perda de sangue, pode ser necessária uma transfusão.

A intervenção cirúrgica é seguida de internação, semanas — não raro, meses — de antibióticos potentes para dar cabo de bactérias oportunistas. Ao fim do tratamento, ainda que bem-sucedido, o paciente pode mancar, ter restrições de movimento. A cicatriz fica para sempre.

A democracia brasileira sofreu fratura exposta. É situação de emergência, mas o centro cirúrgico está contaminado. A Agência Lupa nos informou que dos 513 deputados, 299 têm ocorrências judiciais; 76 já foram condenados.

Aos potenciais cirurgiões faltam qualificação e/ou legitimidade. Há uma presidente, Dilma Rousseff, acuada, à frente de um governo abaixo da crítica; um vice, Michel Temer, conspirador; um presidente da Câmara, Eduardo Cunha, réu no Supremo Tribunal Federal; uma oposição rancorosa.

Por toda parte, há risco de infecção. A borda pontiaguda pode fazer sangrar Executivo, Legislativo e Judiciário, os poderes da República. É ilusão ou cinismo falar em instituições democráticas em funcionamento, com um processo de impeachment presidido por um parlamentar acusado de corrupção e lavagem de dinheiro.

E tem a dor. Dói demais a fratura na democracia. Doeu nos ossos de milhões de brasileiros.

+ sobre o tema

O Estado emerge

Mais uma vez, em quatro anos, a relevância do...

Extremo climático no Brasil joga luz sobre anomalias no planeta, diz ONU

As inundações no Rio Grande do Sul são um...

IR 2024: a um mês do prazo final, mais da metade ainda não entregou a declaração

O prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda...

Mulheres em cargos de liderança ganham 78% do salário dos homens na mesma função

As mulheres ainda são minoria nos cargos de liderança...

para lembrar

Obama: Ele para tudo por um recital

Por: SHERYL GAY STOLBERG   WASHINGTON - Não é segredo que...

Polícia de SP procura ex-namorado da advogada Mércia Nakashima

SÃO PAULO - A polícia procura pelo advogado e...

Pesquisadora brasileira ganha prêmio literário na Itália e o dedica a Lula. Vídeo

“Este prêmio é dedicado a Luiz Inácio Lula da...

Brasil vive ‘revolução social’, diz Marilena Chauí

Em lançamento de livro sobre os dez anos de...

‘O 25 de abril começou em África’

No cinquentenário da Revolução dos Cravos, é importante destacar as raízes africanas do movimento que culminou na queda da ditadura em Portugal. O 25 de abril...

IBGE: número de domicílios com pessoas em insegurança alimentar grave em SP cresce 37% em 5 anos e passa de 500 mil famílias

O número de domicílios com pessoas em insegurança alimentar grave no estado de São Paulo aumentou 37% em cinco anos, segundo dados do Instituto...

Fome extrema aumenta, e mundo fracassa em erradicar crise até 2030

Com 281,6 milhões de pessoas sobrevivendo em uma situação de desnutrição aguda, a ONU alerta que o mundo dificilmente atingirá a meta estabelecida no...
-+=