Fui assediada no ginecologista

53% das mulheres entrevistadas já sofreram abuso sexual ou moral no ginecologista

no Catraca Livre

Em 2014, Luisa* mudou de cidade e passou a se consultar com sua ginecologista aos sábados, quando visitava os pais em sua antiga casa. Um dia, a médica deixou de atender aos fins de semana e indicou seu marido para substituí-la. A jovem, que não costumava se consultar com homens, acabou aceitando a sugestão.

Logo no início da consulta, o clima já estava estranho e o ginecologista questionou se ela tinha namorado. Luisa* respondeu que sim, que era noiva, mas o profissional insistiu: “quantas vezes vocês fazem sexo por semana?”. Em seguida, o médico pediu que ela colocasse o avental com a abertura nas costas e “brincou” que o procedimento era feito de forma diferente pois “gostava de ver a bunda de suas pacientes”.

Durante a consulta, o ginecologista acariciou os seios da jovem, falando termos técnicos para tentar confundi-la. E o pior ainda estava por vir. “Quando ele examinou minha vagina, começou a me masturbar e disse que o modo como eu depilava meus pelos pubianos era coisa de ‘mulher que gostava de sexo’”, relata.

Luisa* levantou da maca rapidamente e colocou sua roupa. Na saída, o ginecologista a chantageou: “Quero que fique claro que o que se passou aqui foi uma relação de médico e paciente. Você vai sair daqui e vai viver sua vida sem falar nada. Depois, se quiser voltar daqui um ano, estarei aqui. Melhor fazer dessa forma, já que vai ser a sua palavra contra a minha”.

“Saí de lá arrasada e chorei dias seguidos. Retomar a rotina sexual com meu noivo foi bastante difícil e passei a ter fobia de ficar numa sala fechada sozinha com um homem que não conheço”, conta a vítima.

O abuso relatado pela jovem não representa um caso isolado. Luisa* é uma das 374 mulheres (53%), de um total de 700 participantes, que afirmam já terem sofrido abuso sexual ou moral em consultas com ginecologistas, de acordo com levantamento on-line realizado pelo Catraca Livre. As entrevistadas responderam uma série de questões a respeito da conduta de seus médicos entre os dias 15 de abril e 5 de maio de 2016.

nao-se-cale-abuso-ginecologista

A pesquisa foi realizada com leitoras de todo o Brasil, que enviaram relatos de cidades como Natal (RN), Fortaleza (CE), Salvador (BA), Teresina (PI), Rio de Janeiro (RJ), Niterói (RJ), São Paulo (SP), Contagem (MG), Belo Horizonte (MG), Londrina (PR), Joinville (SC) e Pelotas (RS).

[quote font=”times” font_size=”24″ font_style=”italic” bgcolor=”#” color=”#000000″ bcolor=”#” arrow=”yes”]“Quando ele examinou minha vagina, começou a me masturbar e disse que o modo como eu depilava meus pelos pubianos era coisa de ‘mulher que gostava de sexo’”[/quote]

grafico-abuso-moral-sexual-3

Leia matéria completa no Catraca Livre

+ sobre o tema

Violência contra a mulher: denunciar é dever e pode salvar vidas

Só nos três primeiros meses deste ano, a Polícia...

Casal sofre ataque homofóbico em bairro onde vai morar no PR

Panfletos apócrifos distribuídos na vizinhança continham endereço do jornalista...

Mulher negra continua em desvantagem: Racismo Institucional

"Observamos no Brasil que, além do racismo social, sofremos...

Acusado continuou a bater em jornalista quando ela já agonizava

Mateus Araújo a matou com três pedradas na cabeça, na...

para lembrar

Escritoras afrocubanas en el siglo XIX. Antecedentes del feminismo negro en Cuba

Varias personas me han preguntado por el libro que...

Com chuva, Parada Gay atrai 150 mil pessoas em Florianópolis

Cerca de 150 mil pessoas, segundo os cálculos da...

Suprema Corte dos EUA abre caminho para casamento gay em 5 estados

Em uma decisão surpreendente, ministros rejeitaram apelos dos Estados...
spot_imgspot_img

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...

Em reunião com a ministra das Mulheres, movimentos denunciam casos de estupros e violência em abrigos para atingidos pelas enchentes no RS

Movimentos feministas participaram de uma reunião emergencial com a ministra da Mulher, Cida Gonçalves, no final da tarde desta terça-feira (7), de forma online....

Documentário sobre Ruth de Souza reverencia todas as mulheres pretas

Num dia 8 feito hoje, Ruth de Souza estreava no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. O ano era 1945. Num dia 12, feito...
-+=