Funcionária de loja chama menina negra de 9 anos de ‘ladra’ e família denuncia racismo no Shopping Del Rey, em BH

Caso ocorreu no último sábado (26). Polícia registrou boletim de ocorrência como calúnia.

A família de uma menina de 9 anos denunciou ter sido vítima de racismo em uma unidade da loja All Mini, no Shopping Del Rey, que fica no bairro Caiçara, Região Noroeste de Belo Horizonte. O caso ocorreu no sábado (26).

De acordo com a mãe da vítima, a criança foi com a irmã mais velha, de 23 anos, até a loja para comprar prendedores de cabelo. Elas estavam acompanhadas por três adolescentes. Enquanto as clientes escolhiam as peças, perceberam que eram seguidas e observadas por uma funcionária.

“O tempo inteiro elas foram vigiadas, a minha filha comprou um item no valor de R$ 8 e foi pago em dinheiro. Ela esperou minha filha pagar, abordou a minha filha na frente dos clientes, constrangeu a minha filha e falou com ela: ‘Você é ladra, você está roubando. Você está pegando joias da loja e colocando na mochila’’ Minha filha não estava com mochila e a loja não tem joias”, contou a mulher.

As vítimas saíram da loja e encontraram com os pais nos corredores do shopping. Ao relatar o ocorrido, todos voltaram até a loja para esclarecer os fatos e mostrar a nota fiscal. De acordo com o boletim de ocorrência, uma funcionária afirmou que a menina de 9 anos havia furtado objetos do local.

“Eu questionei. ‘Quero saber o que aconteceu. Minha filha é menor, como vocês abordaram? Como tem câmera na loja, me apresente esse vídeo, o momento exato que a minha filha estava furtando’. A funcionária começou a rir da minha cara e respondeu: ‘Não vou mostrar nada, não. Aquela menininha é ladra’. Falou na minha cara”, disse a mãe das vítimas.

O pai das meninas é policial penal e sacou a arma. Segundo o boletim de ocorrência, apontou para as funcionárias, que correram. Os seguranças do shopping e a Polícia Militar foram acionados. Os envolvidos foram levados para a delegacia, ouvidos e liberados.

A Polícia Civil informou que um procedimento foi instaurado para apurar o ocorrido. Também será feita uma análise das imagens das câmeras e testemunhas serão ouvidas para verificar se houve crime de calúnia ou racismo.

O advogado William Santos, que representa a família, discordou da classificação da ocorrência no registro policial, qualificada como calúnia.

“Primeiro, trata-se de crime de racismo, que vai contrário ao boletim de ocorrência que foi feito. Mexeu com parte da sociedade é que maioria da população brasileira. E por uma situação que não se desenhou como crime de calúnia, como consta no boletim de ocorrência. No mínimo, é um crime de injúria racial”, afirmou.

O Shopping Del Rey informou que repudia toda e qualquer forma de discriminação e está à disposição para apoiar o trabalho da apuração das autoridades competentes.

A reportagem procurou a loja All Mini e aguarda retorno.

+ sobre o tema

Como as escolas de samba nos ensinam sobre ancestralidade

Desde que foram criadas, escolas de samba têm sido...

Esperança de justiça une mães de vítimas da violência policial no Rio

A longa espera por justiça é uma realidade presente...

Primeira mulher trans a liderar bancada no Congresso, Erika Hilton diz que vai negociar ‘de igual para igual’

A deputada federal Erika Hilton (PSOL-SP) foi aclamada nesta quarta-feira como...

para lembrar

Centenas debatem racismo e o que é ser negro na Europa “nos seus próprios termos”

Entre a hipervisibilidade e a invisibilidade do que é...

Professor avalia estruturação do racismo no Brasil: “Pele alva e pele alvo”

"Racismo se difere de outras formas de discriminação. O...

Morte de George Floyd reacende luta antirracista

O CNN Mundo desta semana aborda as consequências do...
spot_imgspot_img

Por que ser antirracista é tão importante na luta contra a opressão racial?

O Laboratório de Estudos de Gênero e História, da Universidade Federal de Santa Catarina, lança nesta quarta-feira (21) o quinto vídeo de sua campanha de divulgação...

Moção de solidariedade da UNEGRO ao Vai Vai 

A União de Negras e Negros Pela Igualdade (UNEGRO), entidade fundada em 1988, com  longa trajetória na luta contra o racismo e suas múltiplas...

Perfeição do racismo brasileiro transforma algoz em vítima

O racismo é um crime perfeito. É com essa frase que o antropólogo Kabanguele Munanga, uma das maiores autoridades do Brasil em estudos raciais, define...
-+=