Ginastas acusados de racismo são ouvidos pelo STJD

Arthur Nory, Fellipe Arakawa e Henrique Flores deram depoimentos separados a auditor, que fará inquérito sobre o caso

Os ginastas Arthur Nory, Fellipe Arakawa e Henrique Flores, suspensos pela Confederação Brasileira de Ginástica (CBG) por piadas racistas direcionadas a Angelo Assumpção, foram ouvidos nesta terça-feira pelo auditor Felipe Bevilacqua, do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Cada um deles deu seu depoimento separadamente, para que seja feito um inquérito sobre o ocorrido.

Da Band 

“A prova de vídeo fala por si só, mas o inquérito tem mais a finalidade de encaminhar a investigação e o fato para realmente saber pelo depoimento pessoal dos atletas e do ofendido se houve uma injúria racial ou preconceito, ou se realmente se tratou apenas de uma brincadeira infeliz, de mau gosto”, informou Bevilacqua à rádio Bradesco Esportes FM Rio.

Com o inquérito, será definido se o trio irá a julgamento no STJD ou se o caso será direcionado à CBG. Tudo depende de como o ocorrido for enquadrado, como explicou Bevilacqua.

“Se for dentro de competição ou se a procuradoria entender que o fato de eles estarem em um treinamento ligado a algum tipo de competição é subordinado ao Código Brasileiro de Justiça Desportiva, eles vão ser denunciados para serem julgados pelo tribunal. Caso contrário, pode ser que eles sejam encaminhados para a confederação para a aplicação de uma penalidade direta. Fica a critério da confederação”, esclareceu.

O relatório de Felipe Bevilacqua será entregue na quinta-feira. Ainda não há previsão para a data do julgamento, caso ele ocorra.

+ sobre o tema

Número de jovens negros assassinados preocupa autoridades, entidades e grupos sociais

Encontro discutiu sobre racismo, discriminação racial, intolerância religiosa e...

Brasil é um país dividido entre brancos escolarizados e negros mais pobres

Por: Max Milliano Melo Dois países ocupam uma...

Conselho mundial de Brasileiros no Exterior

Hamburgo - O sociólogo e jornalista Marcos Romão, 57...

para lembrar

De consciência, orgulho e afeto

Neste 20 de novembro, faz 50 anos que um...

Identidades, branquitude e pertencimento, Maria Lúcia da Silva

Redefinir a questão racial, atribuindo-lhe o lugar das...

A Ideologia do branqueamento: tudo que você precisa saber

Toda vez que me proponho a falar sobre um...
spot_imgspot_img

Mobilizações apontam caminho para enfrentar extremismo

As grandes mobilizações que tomaram as ruas das principais capitais do país e obrigaram ao recuo dos parlamentares que pretendiam permitir a condenação de...

Uma pessoa negra foi morta a cada 12 minutos ao longo de 11 anos no Brasil

Uma pessoa negra foi vítima de homicídio a cada 12 minutos no Brasil, do início de janeiro de 2012 até o fim de 2022....

Como as mexicanas descriminalizaram o aborto

Em junho de 2004, María, uma jovem surda-muda de 19 anos, foi estuprada pelo tio em Oaxaca, no México, e engravidou. Ela decidiu interromper...
-+=