Heineken é acusada de machista por promoção de sapatos na hora do futebol

As cervejarias gostam de mostrar mulheres exuberantes em seus comerciais, o que costuma provocar debates sobre a exploração da imagem feminina em campanhas sexistas.

por Cley Scholz

A marca Heineken colocou no ar uma propaganda que não mostra nenhuma mulher, mas provocou um grande debate pela forma machista como se refere às mulheres.

A campanha publicitária mostra apenas sapatos femininos de vários modelos e anuncia uma liquidação programada para acontecer no horário da final do campeonato Liga dos Campeões da Europa, entre Real Madrid e Atlético de Madri.

O jogo acontece neste sábado, dia 24 de maio, às 15hs45. “Você vai assistir com seus amigos e uma Heineken na mão, e o melhor, sem dispensar a sua mulher, porque desta vez é ela quem vai dispensar você”, afirma o locutor.

Em seguida é anunciada a ‘Heineken Shoe Sale’, a liquidação com descontos de até 50% nas lojas e no site da Shoestock, “para ela pensar apenas em sapatos, e não em onde você está”.

+ sobre o tema

Carta aberta a uma mãe

Carta aberta de uma mãe que não sabe o...

Terceirização tem ‘cara’: é preta e feminina

O trabalho precário afeta de modo desproporcional a população...

Exclusão de gênero do Plano Nacional de Educação é retrocesso, diz educador

Termo foi retirado também de planos municipais e estaduais...

Arquitetura dos direitos reprodutivos e ameaças ao aborto legal e seguro

Iniciamos esta reflexão homenageando a menina de 10 anos,...

para lembrar

Fusão ministerial é “apagão histórico”, afirmam juristas e especialistas

O Instituto Patrícia Galvão ouviu juristas, especialistas, pesquisadores e...

Programa Justiça Sem Muros do ITTC lança campanha sobre visibilidade ao encarceramento feminino

Inspirado na arte de Laura Guimarães, o programa Justiça Sem...

Professores, técnicos e alunos poderão usar o nome social na Uepa

A Universidade do Estado do Pará (Uepa) passa a...

Estudantes do Rio combatem machismo e racismo com projeto transformador

Com o título Solta esse Black, alunas da Escola Municipal...
spot_imgspot_img

O direito das mulheres à literatura

A literatura, para Antonio Candido, é direito inalienável do sujeito, indispensável à humanização. Espaço de desacato, para a escritora argentina María Teresa Andruetto, ela nos questiona,...

Competência Feminina Negra diante de Chefes e Colegas de Trabalho Negros: Desafios e Reflexões

Hoje, mês da consciência negra, não focalizaremos no racismo perpetrado pelos brancos, mas sim direcionaremos nossa atenção para nós mesmos. Vamos discutir as novas...

Pode a subalterna julgar?

O STF (Supremo Tribunal Federal) é a mais alta corte do Poder Judiciário brasileiro, cuja presidência é a quarta na linha de sucessão à Presidência da República. Na hipótese...
-+=