Homem confessa ter matado ex-namorada por ciúmes em SP, mas é liberado pela polícia

Wellington dos Santos Ferreira, de 21 anos, confessou ter assassinado a ex-namorada, Fernanda Marília da Silva, em Bertioga (SP) no último domingo (9), mas foi liberado. De acordo com a polícia, ele responderá por feminicídio qualificado.

no UOL

O UOL apurou que o jovem se apresentou à delegacia de Bertioga no final da tarde de segunda (10) acompanhado da mãe. De acordo com a polícia, ele confirmou ter assassinado a ex-namorada a tiros no domingo por motivo de ciúmes e fugiu. Ela estava na casa da mãe com as duas filhas do casal.

Depois de algumas horas de depoimento, o jovem foi liberado pela polícia sob o pretexto de que não foi preso em flagrante e que se apresentou por vontade própria, em menos de 24h do ocorrido, na presença de um advogado.

Como indicou que foi movido por ciúmes, Wellington responderá por feminicídio qualificado. Ele precisa ficar à disposição da polícia para cooperação e não deve deixar a cidade no litoral norte de São Paulo.

O crime

Na noite do último domingo, a jovem Fernanda, de 16 anos, foi assassinada na frente de suas duas filhas e da mãe. De acordo com depoimentos prestados à polícia, ela morava com Wellington, mas estava na casa da mãe por causa de brigas entre o casal.

Wellington foi à residência, na área rural de Bertioga, e, depois de dar uma volta com a filha mais velha, de pouco mais de um ano, deu entre dois e três tiros na jovem, que estava sentada no sofá.

A mãe chegou a levá-la ao pronto socorro da cidade, mas Fernanda não resistiu.

+ sobre o tema

Especialistas pedem mais compromisso com saúde de presidiárias

Se a realidade psicológica e social da mulher encarcerada...

Depois de escapar de casamento forçado, refugiada afegã faz sucesso no rap

Sonita Alizadeh é uma refugiada afegã de 18 anos,...

Discussões sobre a dissidência sexual nos contextos africanos

Em maio deste ano, apresentei meu Trabalho de Conclusão...

Apagadas da história, heroínas negras se tornam protagonistas em coletânea de cordéis

Líderes quilombolas, escritoras e revolucionárias têm trajetórias ilustradas em Heroínas brasileiras...

para lembrar

Estudo: 40% dos soldados israelenses gays sofrem assédio

Quase metade dos homossexuais e das lésbicas do Exército...

Bloquear os retrocessos no Brasil

A AWID falou com Ana Cernov, coordenadora de programas...

Mulheres Negras contra o racismo, a violência policial e a redução da maioridade penal

Núcleo Impulsor do Estado de São Paulo da Marcha...

Carolina do Brasil

Antes da internet com seus blogs, redes sociais, aplicativos...
spot_imgspot_img

‘Abuso sexual em abrigos no RS é o que ocorre dentro de casa’, diz ministra

A ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, considera que a violência sexual registrada contra mulheres nos abrigos que recebem desalojados pelas enchentes no Rio Grande...

ONU cobra Brasil por aborto legal após 12 mil meninas serem mães em 2023

Mais de 12,5 mil meninas entre 8 e 14 anos foram mães em 2023 no Brasil, num espelho da dimensão da violência contra meninas...

Após um ano e meio fechado, Museu da Diversidade Sexual anuncia reabertura para semana da Parada do Orgulho LGBT+ de SP

Depois de ser interditado para reformas por cerca de um ano e meio, o Museu da Diversidade Sexual, no Centro de São Paulo, vai reabrir...
-+=